Correio Paulinense

Paulínia, 13 de julho de 2024
Votação adiada; Caprino pediu "vista"; Sem hipocrisias; Não confia na Procuradoria? Legalidade e Mérito; Não é farra; O new CP Online!

Última atualização em 25 de fevereiro de 2013

Boa taaaaaaaaaaaaaaarde meus amores! Precisei ficar ?off? nos últimos dias para me dedicar ao novo projeto do site, que está 99,9% pronto. Aguardem, pois o CP Online 2013 está chegando com tuuuuuuuuud, no máximo, em dez dias.  Tenho certeza que vocês vão adorar e curtir muuuuuuuuuuuuito. Enquanto isso…

 Gente do céu, que tempestade foi aquela sábado? Parecia que a city ia se acabar. Nem a que derrubou a falsa ?Menina de Ouro? (a danada era de isopor), em 2011,foi tão forte. Misericórdia!  Não sou meteorologista, mas deve ter chovido a reserva do ano inteiro. Pela mãe do guarda! Graças a Deus, as perdas foram apenas materiais – perfeitamente recuperáveis. Amém.

 A votação final do projeto de lei reajustando o salário do Prefeito Municipal, que prometia lotar os assentos da sessão da Câmara, amanhã (26), não vai mais acontecer. O vereador Sandro Caprino, vice-presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, pediu quinze dias para analisar melhor a questão. A ?vista? pedida por Caprino só adiará a solução de um problema, que precisa ser resolvido urgentemente. Problema este que está afetando a população: a remuneração dos médicos.

 A legalidade da matéria foi aprovada pela maioria dia 14, sem o voto de Gustavo Yatecola (PT do B), que não compareceu a sessão por motivos de saúde, e com o voto contrário do petebista Zé Coco. Agora, só falta o mérito. Aliás, não entendi Zé Coco votar contra a legalidade do projeto. Será que o vereador não confia no parecer da Procuradoria Jurídica da Casa?

 O que vale é o mérito, quando o vereador tem a oportunidade de argumentar e votar politicamente contra ou a favor a um determinado projeto. Sandro Caprino (PRB), que também integra a bancada de oposição ao governo do espirituoso, votou a favor da legalidade. Esse sempre foi o caminho natural das pedras…

 Na semana em que o reajuste para Prefeito chegou na Câmara, Zé Coco sugeriu que a Mesa Diretora, autora do projeto, aumentasse também os salários do Vice-Prefeito e Secretários Municipais. Pelo visto, não será atendido e o bico cresceu dois metros e meio.

 Ora, quando querem eles exageram na dose de hipocrisia política. Todos sabem que o aumento do salário do atual e dos próximos prefeitos só está sendo reajustado por conta do aumento salarial dos médicos que trabalham na rede municipal de saúde. Por lei, nenhum funcionário pode ganhar mais do que o Prefeito. Isso é lei, não é invenção para beneficiar o Chefe do Executivo.

 A oposição vive apontando os problemas na saúde, entre eles, a falta de médicos no Hospital Municipal. Alguns médicos estão pedindo demissão porque o salário em outras cidades da Região está mais atraente do que o de Paulínia. Diante disso, a Câmara só tinha duas opções: deixar a população sem ?batas brancas? ou aplicar o reajuste do Prefeito e por consequência melhorar o holerite médico. É preciso entender que não se trata de uma farra de aumentos e sim uma medida necessária para evitar uma evasão médica na city ainda maior.

 Na sessão do dia 14, o presidente da Câmara, Marquinho Fiorella (PP), deu uma de líder de governo e deixou bem claro: ?o salário do prefeito só está sendo reajustado para podermos aumentar também o salário dos médicos?. Na sessão para votar o mérito da questão, sem data ainda definida, espero que Marquinho da Bola (PSB), líder do governo Pavan, também deixe isso bem claro para a população presente.

 E espero mais. Espero que a base mourista na Câmara seja coerente e sincera em seus argumentos políticos contra o projeto. O atual prefeito passou os últimos quatro anos recebendo o mesmo valor e passaria os próximos quatro do mesmo jeito, sem reclamar. Então será muita hipocrisia (e das mais baratas) um vereador da oposição apelar que o salário do prefeito aumenta, enquanto o funcionalismo ?sofre? com a defasagem salarial.

 Não é correto fazer politicagem com o servidor municipal, assim como fizeram na greve de 2011. Os vereadores da oposição não podem votar para agradar quem não ?apita? mais nada na city. O reajuste do prefeito é uma medida necessária para minimizar um dos graves problemas da Saúde, tão criticada por eles ? em muitos pontos com razão. Que eles saibam separar as ideias e ajam com coerência e responsabilidade.

 Uma semana abençoada por DEUS, com muita paz e saúde. Fiquem todos sob as BÊNÇÃOS E PROTEÇÃO DIVINA. Muitos beijos e abraços. Au revoir!

<imagem1></imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima