Correio Paulinense

Paulínia, 20 de maio de 2024
Votação da Denúncia: OPOSIÇÃO SUBIU, GOVERNO DESCEU; O “recado” de Mauro Torres; FÁBIA, EDILSINHO, VALADÃO E DANILO: o quarteto aliado que desafiou a “máquina”!!!

Última atualização em 4 de agosto de 2017

Boaaaaaaaaaaaaaaaaaaa noooooooooooooooite, meus amoooooooooooooores!!! Tem certas coisas que me recuso escrever, prefiro agir e agradecer: “Obrigado Adriana Baron e André Rolim por agirem comigo”. Agora, vamos aos babados políticos da semana, na city. Uiiiii!!!!
A votação da terceira denúncia contra o prefeito Dixon Carvalho (PP), terça-feira (1º), na Câmara Municipal, dominou completamente a cena, antes durante e depois do resultado –  8 a 6 pela rejeição – proclamado pelo presidente Du Cazellato (PSDB). Matematicamente falando, dessa vez, a oposição se saiu bem melhor que o governo. No final de março passado, a base aliada inteira (13 vereadores) VOTOU CONTRA às duas primeiras denúncias. 

Nesta terceira, quatro aliados – Edilsinho Rodrigues (PSDB), Fábio Valadão (PRTB), Danilo Barros (PR) e Fábia Ramalho (PMN) – votaram com a oposição, ou seja, A FAVOR da investigação contra Dixon (PP). Assim, o placar final foi apenas um RESULTADO FAVORÁVEL a Dixon (PP) e não uma GRANDE VITÓRIA dele, na Câmara, como aconteceu nas votações anteriores. 
Antes da votação começar,  GOVERNO e OPOSIÇÃO tentaram angariar votos, até o último minuto, cada qual, pensando em vencer com folga. Completamente parcial, mas politicamente justificável, a carta do PSDC Municipal em apoio ao prefeito Dixon (PP) e contra a abertura da Comissão Processantes (CP) foi lançada durante a sessão, principalmente, para impedir que um dos três ou mais vereadores do partido acabassem votando a favor da investigação. Pressão, total. Mesmo a leitura da missiva tendo acontecido após a leitura da denúncia, o vereador Flávio Xavier (PSDC) estava tão nervoso, que se irritou rapidinho com o barulho da plateia e disparou, mais ou menos assim: “EU SÓ QUERO QUE ME DEIXEM LÊ”.
Nos bastidores e no Plenário, durante a Palavra Livre, a oposição se esforçou para mostrar aos colegas que a denúncia tinha fundamento e, por isso, deveria ser aceita. Não conseguiu a maioria para abrir a CP, mas, por outro lado, fez com que o resultado favorável ao denunciado Dixon (PP) fosse pífio. Aliás, além de escapar apertado do terceiro pedido de investigação contra ele, o prefeito da city sofreu quatro derrotas importantes na mesma sessão (LEIA).
E os aliados que votaram a favor da investigação, sofrerão ou não retaliações? Pela “regra”, quem vai “contra a máquina” sempre sai perdendo. Perde espaço, cargos e outras “coisitas” mais, que Dixon (PP) juuuuuuuuuuuuuura não ter no governo dele, – Ah, thaaaaaaaa!!!! Bem, no Semanário Oficial de ontem (3), nenhuma exoneração de comissionado. 
Por enquanto, a única reação pública contra um aliado que votou contra Dixon (PP) está na edição de hoje da coluna “Poder é Aqui”, do colega Raoni Zambi, que atacou o tucano Edilsinho Rodrigues. Por ética, claro que não vou comentar a opinião de Zambi, mas posso dizer que, depois do que foi publicado, dificilmente Edilsinho permanecerá na base governista. Ou uma coisa não tem nada a ver com a outra?
Uma gaivota me contou que, na reunião do prefeito com a base aliada, antes da votação, Edilsinho avisou a Dixon (PP) que votaria favorável à investigação, já que o Chefe do Executivo disse não temer nada, que não fez nada de errado, principalmente em relação ao crescimento de seu patrimônio pessoal. Depois, o vereador tucano convocou sua equipe para uma reunião no gabinete legislativo e comunicou seu voto. 
Apurei que, Danilo Barros (PR) foi o único vereador aliado ausente na reunião com a base e, por isso, o clima para ele no Paço não anda tão favorável, de terça para cá. Pois é, mesmo afirmando com todas as letras, que não temia a investigação e que provaria, na Câmara e no MP (Ministério Público), não ter cometido nenhum dos crimes dos quais estava sendo acusado, Dixon (PP) não mediu esforços para barrar a abertura da CP no Legislativo. Pediu a todos os aliados que votassem contra, mas quatro não atenderam. Agora, vamos aguardar e acompanhar os desdobramentos políticos dessa “desobediência”.
Não concordo e nem acredito que os votos de Valadão (PRTB), Edilsinho (PSDB), Fábia (PMN)  e Danilo (PR) contra Dixon (PP)  tenham sido frutos de uma “combinação política” com o próprio Prefeito. Muitíssimo pouco provável. Como Dixon (PP) concordaria com algo que demonstrasse, como demonstrou, seu enfraquecimento político na Câmara? Não faz sentido. Na minha opinião, além de reconhecer a gravidade da denúncia, o quarteto votou a favor da investigação, também, devido à pressão das ruas e até de seus próprios colaboradores políticos. Pena que nenhum justificou o voto.
A segunda e última parte dos bastidores da votação da denúncia rasgarei na coluna de  segunda-feira (7).  Agora, finalizando a de hoje, o empresário Mauro Torres Junior está soltando fogo pelas ventas (como se diz lá no meu Pernambuco) com algumas publicações envolvendo seu nome. Sem citar nomes, Maurinho, como é chamado, disse que “detratores” tentaram macular seu nome e sua honra em “questiúnculas” (questões pequenas e de pequeno valor) envolvendo fatos e políticos da city.
Aos detratores, a seara adequada para tratar dos assuntos por eles abordados não é e não será, da minha parte, a mídia e muito menos a Praça Pública, mas sim, o Poder Judiciário , como estou a fazer”, avisou o Presidente Municipal do Solidariedade. Eita peste! Mais direto, imposible
Meus amoooooooooooores, por hoje, é isso. Um fim semana abençoaaaaaaaaaaado para todos nós, COM MUITAS GRAÇAS E PROTEÇÃO DO NOSSO DEUS, TODO PODEROSO. Muuuuitos beeeeeijos e abraaaaaaaaaaaaços!!!

Fotos: Facebook/Reprodução

<imagem1>fabia_edisinho_valadão_danilo.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima