Correio Paulinense

Paulínia, 30 de maio de 2024
Sucessão de Cazellato: nova especulação aponta Camargo prefeito e Barros vice

Última atualização em 25 de abril de 2024

O vice-prefeito Sargento Camargo (Republicanos) e o ex-secretário de Governo Danilo Barros (PL) estão entre as opções de nomes para Cazellato indicar – Crédito: Rede Social

Oláaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, meus amoooooooooooooooores. Enquanto o amaaaaaaaaaaado Davi Brito, vencedor do Big Brother Brasil, domina o noticiário de celebridades, as redações especializadas em política seguem pautando as movimentações rumo às Eleições Municipais deste ano. Além de 5.569 prefeitos, o país vai eleger cerca de 58 mil vereadores no dia 6 de outubro.

Pela mãe do guaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarda! É muita gente! Mas tem voto pra todo mundo. Em 2022, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), éramos mais de 156 milhões de eleitores, e este ano, provavelmente, seremos um pouco mais. A reza de sempre é: vote consciente!

Com os partidos políticos já definidos, os futuros candidatos a prefeito e vereador, agora, aguardam as convenções partidárias, que acontecem de 20 de julho a 5 de agosto. São as convenções que aprovam as candidaturas aos cargos em disputa. Depois, até 15 de agosto, os partidos solicitam o registro de seus candidatos à Justiça Eleitoral. Estando tudo certo, todo mundo poderá pedir voto, oficialmente, a partir do dia seguinte (16).

E no dia 2 deste mês ficamos sabendo da novidade na corrida pela sucessão na Prefeitura da City: a aliança entre o pré-candidato Tuta Bosco (Solidariedade), o espirituoso José Pavan Junior, três vezes prefeito municipal, e o ex-vereador Kiko Meschiati. “Decidimos unir forças para continuar o trabalho que ajudamos a construir. Vamos cuidar da nossa Paulínia, cidade que amamos, onde nascemos e viveremos até quando Deus nos permitir”, postou Tuta.

Pavan representa a tradicional política local e mesmo fora do cenário desde 2016, quando terminou o seu último mandato, mantém um fiel e considerável eleitorado. Kiko foi o vereador mais bem votado em 2016 (1724 votos), e é muito conhecido como o “político do povão”. Tuta, empresário do ramo petrolífero, já disputou a prefeitura duas vezes: 2016 e 2019. Nas duas ocasiões, teve a terceira maior votação.

Procurado pela coluna, Tuta falou, pela primeira vez, sobre um suposto acordo político que o atual prefeito Du Cazellato (PL) teria firmado com ele, ainda no período das convenções partidárias para as Eleições 2020. Como todos devem lembrar, naquele ano, auge da pandemia de Covid-19, o empresário pegou a doença e passou vários dias internado em um hospital privado da capital. Assim, ele desistiu de disputar a prefeitura, e apoiou a reeleição de Cazellato. “O acordo foi ele me apoiar nas eleições deste ano”, afirmou.

No entanto, até o momento, Cazellato ainda não anunciou quem será seu candidato a prefeito. Além de Tuta, outros três aliados políticos do mandatário anseiam o posto: Sargento Camargo (Republicanos), vice prefeito, Danilo Barros (PL), ex-secretário de Governo, e Edilsinho Rodrigues (Podemos), presidente da Câmara.

O mistério em torno do chamado “candidato da máquina” tem gerado inúmeras especulações. A última, por exemplo, aponta que Cazellato deve indicar Camargo a prefeito e Danilo a Vice. “Para não perder a eleição”, me disse uma fonte governista. Sinalizando claramente que deve disputar algum cargo em outubro, Danilo deixou a pasta de Governo no último dia 5, ou seja, seis meses antes do pleito, conforme determina a legislação eleitoral. Já o vice-prefeito não precisa deixar o cargo para disputar a cadeira titular. Ele só teria que sair caso tivesse substituído ou sucedido Cazellato, também nos seis meses anteriores às eleições.

Enquanto todos seguem aguardando a “decisão eleitoral do ano”, os pré-candidatos a prefeito pela oposição seguem em pré-campanha, city afora. A advogada Priscilla Bittar (PSB) tem suado para cumprir uma movimentada agenda de visitas e presenças em eventos. O deputado estadual Dirceu Dalben (Cidadania) também tem percorrido os quatro cantos paulinenses, além de divulgado seu mandato na Alesp em outdoors. Nani Moura, que perdeu as duas últimas eleições municipais, tem utilizado muito as redes sociais para se comunicar com seus simpatizantes. E Robert Paiva, que disputou para vereador em 2016 e a prefeito em 2020, também é muito ativo nas plataformas digitais, onde costuma fazer duras críticas à atual administração municipal.

Então, amaaaaaaaaaaaaaaaaaados leitores/eleitores, sigam acompanhando tudo atentamente, se preparem para analisar bem os programas que serão colocados por eles, escolham o que achar melhor e, por fim, votem com consciência. Beeeeeeeeeeeeeeijos, abraaaaaaaaaaaaaaaaaaços e fiquem com Deus. Au revoir!

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima