Empresa Jornalística Correio Paulinense Ltda

Paulínia, 1 de outubro de 2023 - 21:49
Situação política e jurídica de Moura Junior (PMDB) é igual a da Saúde: VERGONHOSA. No 1º mandato e cassado pela 2ª vez, em menos de um ano de governo, ele luta nos tribunais para ficar no cargo

Última atualização em 28 de maio de 2014

[imagem] Boaaaaaa taaaaaaaaarde meus amores. Juridicamente falando, o dia de ontem foi agitado para a dupla Moura Junior & Bonavita, que governa e desgoverna Paulínia, amparada por liminar judicial. Governa para Cargos de Confiança, Prestadores de Serviços, Parentes (tio, prima, cunhada, esposa, irmão), Credores (pessoais e políticos), estrelas do cinema e da televisão, fornecedores de palmeiras, entre outros, que estão gargalhando à toa com o dinheiro público.  

Desgoverna para os pacientes sem remédios, sem exames médicos, sem cirurgias, estudantes sem bolsa, crianças sem creches, sem uniformes e material escolar, sem os programas do Caco e da AIJ, bairros sem segurança, sem esgotos e ruas esburacada, famílias sem moradias,  entidades sem verbas, entre outras “coisitas”. 

Acusar juízes e desembargadores de receberem dinheiro para manter os Moura no poder é algo muito grave e que pode levar muita gente à responder juridicamente por isso. Por outro lado, acreditar que nem a Justiça derruba os Moura é de uma estupidez assombrosa. Nem uma coisa, nem outra. É óbvio que em Paulínia, assim como no Brasil inteiro, o problema começa nas urnas. A maioria do eleitorado sabe que que os caras são fichas-sujas, que ficaram ricos roubando os cofres públicos e querem roubar ainda mais, porém, mesmo assim elege e reelege os meliantes. Depois da merda feita alguns até se arrependem, mas aí já é tarde. O eleitor faz o “serviço” e as leis garantem que candidatos e até famílias inteiras, que carregam a corrupção no DNA, como bem disse a amada deputada carioca Cidinha Campos (PDT), se perpetuem no poder. É ISSO! 
Em minha opinião, a situação política e jurídica do arquiteto Edson Moura Junior (PMDB) é tão vergonhosa quanto a administração que ele vem fazendo. Politicamente falando ele já é considerado, merecidamente, o pior prefeito da história da city. Penso que daqui pra frente, nada que Moura Junior (PMDB) venha à fazer de bom será capaz de apagar tudo o que ele já fez de ruim, nesses meses de mandato. Juridicamente falando, ele envereda pelo mesmo caminho do pai. Já tem duas cassações de mandato e de direitos políticos nas costas, governa na base da liminar e está sendo investigado por várias coisas suspeitas de irregularidades. Por mais que o poder faça bem ao seu ego e seja vital para a sobrevivência de sua família, duvido que Moura Junior (PMDB), ao olhar-se sozinho no espelho do seu luxuoso toalete, não sinta vergonha da maneira com que foi colocado e se mantém no topo. Duvido, porque ninguém é 100% desprovido de amor próprio.  
A APAE e a classe de enfermagem da city são as mais novas vítimas das promessas ainda não cumpridas por este governo “adorável”. Primeiro chamaram a APAE, prometeram aumentar a subvenção, pagar a segunda parcela do repasse já aprovado pelos vereadores e até agora nada. Segundo Valmir Brustolin, o Doutor Arthur não atende mais a entidade, nem para dar uma satisfação (leia matéria). Já Moura Junior (PMDB) anunciou pessoalmente as 30 horas para enfermeiros e enfermeiras e até este momento não enviou o projeto de lei para a Câmara. Ou seja, quando não é o secretário jurídico que mente ou enrola, o próprio prefeito se encarrega do “serviço”. Ô laia viu!!!!
Já estamos quase nas férias e até agora a Educação não divulgou a lista dos estudantes contemplados com bolsas de estudo este ano.  Ou seja, na prática, Moura Junior (PMDB) não entregou uma bolsa sequer, pois até receberem de fato o benefício os estudantes estão pagando as mensalidades do próprio bolso, para depois serem reembolsados pela Prefeitura. A secretária de Educação Rita Lanza “culpou” indiretamente o vereador Gustavo Yatecola (PTdoB) pela demora na finalização do processo de seleção da Bolsa 2014. 
“De acordo com a secretária de Educação, a finalização do processo de seleção está sendo mais longo este ano devido à exigência feita através da lei 3.333 de 05 de Agosto de 2013, acrescenta parágrafo 4º ao Artigo 13 da Lei 3.077 de 03 de maio de 2010, que prevê que nenhum candidato será excluído do processo seletivo por falta de documentação hábil, sendo-lhe concedido o prazo não inferior a cinco dias uteis para apresentação de documentos faltantes”, escreveu a assessoria de imprensa da prefeitura, na página virtual do município. Yatecola foi o autor desta alteração.
Balela. Além de evitar eventuais injustiças, a alteração proposta pelo vereador não justifica um atraso tão grande na concessão do benefício. Será que todos os candidatos à Bolsa 2014 deixaram de apresentar algum tipo de documento? Para mim, gastaram tanto com o que não deviam, por exemplo, o Festival de Cinema 2013 (TRÊS MILHÕES E MEIO DE REAIS) e a plantação de palmeiras, que ficaram sem caixa para pagar a bolsa. Vai saber quantos estudantes não foram prejudicados por não terem condições de esperar o reembolso ou estão devendo nas universidades e cursos técnicos. A promessa (mais uma) da prefeitura é divulgar a tal lista até o final de junho. Já o pagamento do benefício só Deus sabe quando será. Esse é o governo preocupado com a educação e futuro dos jovens paulinenses.
Da prefeitura para a Câmara. O vereador Danilo Barros (PCdoB) votou à favor do veto parcial do prefeito ao projeto de lei 12/14, do colega Doutor João Mota (PT), obrigando ralos antiturbilhão também nas piscinas públicas da city. Já o petista votou contra o veto total do prefeito ao projeto de lei 01/14, de Danilo, aumentando a metragem das vagas para carros nos estacionamentos das igrejas. Neste caso, uma mão não lavou a outra. Danilo votou contra o petista, que votou a favor do comunista. 
Como pode Danilo, vice-presidente da Casa e mais sete colegas votarem contra a instalação de um equipamento nas piscinas públicas, que serve, simplesmente, para salvar vidas? Recentemente, uma reportagem do Fantástico mostrou inúmeros casos de crianças que morreram afogadas, depois de serem sugadas por ralos de piscinas que não tinham o antiturbilhão. Sem contar as pessoas que sobreviveram, mas ficaram com graves sequelas. 
Moura Junior (PMDB) vetou a obrigação do equipamento nas piscinas municipais sob a alegação de que isso é atribuição exclusiva dele, como prefeito, conforme o parecer que recebeu de seu secretário jurídico, Arthur Freire. Já quando analisou a proposta do Doutor João Mota, o procurador jurídico da Câmara, Marcelo Turra, deu parecer favorável total.

Aí eu pergunto: o parecer do advogado do prefeito vale mais para os vereadores do que o parecer do advogado da Câmara? Se for assim, então sugiro que o presidente Fiorella (PP) cancele o contrato com Turra e a Câmara passe à pedir benção ao secretário Freire, para todos os projetos de lei dos vereadores. Aí acaba logo essa palhaçada do Executivo ficar interferindo no trabalho da Câmara, escondido por pareceres, logo de quem. Que interfira na lata e pronto.

O vereador Fábio Valadão (PROS) está irritadíssimo com esta situação. “Ou o advogado da Casa é muito incompetente ou todos os nossos projetos de lei estão sendo julgados politicamente”, rasgou Valadão, na sessão do dia 20 último. Realmente, é uma vergonha para a Câmara permitir que Moura Junior (PMDB) fique vetando projetos de leis constitucionais, de autoria de vereadores. Para isso não tem outra explicação a não ser baixar a cabeça para o prefeito em troca sabe-se lá do quê. 
Bem, agora eu preciso trocar o teclado por um prato de comida, bem quentinha. Fiquem na PROTEÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO e até sexta-feira, com outros bafos e babados. Beijoooooooooos! Abraçooooooooooooos!! Au revoir!
Foto: Cláudia Arantes/CMP

<imagem1>ef86632b3dd2ddca49d85b2fd4a3128e.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima