Correio Paulinense

Paulínia, 20 de julho de 2024
Siméia (PSDC) destaca “má-fé contra mais de 1500 famílias” e Caprino (PRB) é o 1º líder “sozinho” e com a difícil missão de conquistar aliados para um governo rejeitado!

Última atualização em 22 de agosto de 2013

[imagem] Boa taaaaaaaaaaaarde meus amores! E a Câmara da City continua firme em seu propósito de apagar definitivamente o passado de uma subserviência política, que começou junto com os anos 90.  De lá para cá, foram 12 anos (sendo oito consecutivos) à mercê das vontades e das ordens de um líder, hoje “ex”, que sempre menosprezou a importância do Legislativo Paulinense. Agora não, violão. Os atuais 15 vereadores estão provando que Legislativo é Legislativo, Executivo é Executivo. Respeito mútuo, sim. Submissão nunca mais. Pelo menos, esta é a impressão que eu tenho. E a de vocês, qual é? A opção “Comentar” está à disposição, no final desta página. .
Anteontem (20), com a polêmica tatuagem no lado esquerdo do peito, o popular Mechinha, atual diretor do Lixo Zero, “baixou” a assessora especial Simone Moura e aprontou o maior barraco na sessão da Câmara. Foi um quiproquó da gota serena! A confusão começou assim que o presidente da Casa, Marquinho Fiorella (PP), passou a palavra para o vereador Dr. João Mota (PT). Apontando o dedo e gritando, Mechinha partiu para cima de uma pessoa na plateia, mas foi contido e levado para fora do Plenário por Leandro Fanha e Mário Lacerda Junior. A Polícia Militar, presente na sessão, agiu imediatamente e acabou com o tumultuo. Os vereadores ficaram assustados com a cena deprimente. Fábio Valadão (PTB) e Du Cazellato (PP) ficaram em pé, até o furdunço ser resolvido. 
SERÁ QUE NÃO ESTÁ NA HORA DA CÂMARA INSTALAR DETECTOR DE METAIS NAS ENTRADAS PRINCIPAIS? Sei não, mas acho que o presidente Fiorella (PP) deve pensar urgentemente nesta possibilidade. Dr. João Mota lamentou o episódio. Para o vereador, os grupos políticos devem pedir aos seguidores que respeitem os demais cidadãos presentes nos trabalhos do Legislativo da City. “É muito triste o que está acontecendo hoje aqui”, disse o petista.

Passada a baixaria, o vereador marcou posição contra o prefeito Moura Junior (PMDB) em relação ao Caco e a AIJ. “Me preocupo muito com os funcionários e com as pessoas assistidas pelos projetos e  programas desenvolvidos pelas duas entidades. Nasci em Paulínia e conheço o Caco desde criança. Como advogado trabalhista e militante do Partido dos Trabalhadores tenho que pensar nas famílias que ali estão e dependem do salário. Tenho que pensar nas crianças que dependiam dos projetos das entidades. Todas as decisões importantes para o município devem ser debatidas antes com a sociedade”, disparou o vereador. 

A vereadora Siméia Zanon (PSDC) reforçou ainda mais a posição contrária da Câmara Municipal à covarde interrupção do repasse de subvenção para o Caco e a AIJ decretada por Moura Júnior (PMDB), fazendo um paralelo com a fala do prefeito, no dia em que ele tomou posse (16 de julho), em defesa do Paulínia Futebol Clube, fundado pelo Vice-Prefeito Bonavita (PTB).  “Cortar o subsídio da escola de futebol do Paulínia Futebol Clube, onde mais de 600 crianças e jovens participavam com o sonho de ser um dia Ronaldinhos e Neymares, isso sim é má fé, é maldade, é injustiça”, disse Moura Júnior (PMDB), na ocasião da posse. “Cortar o subsidio do Caco e da AIJ abruptamente, dispensando funcionários, que totalizam mais de 1.500 famílias, e retirando os sonhos de milhares de crianças e jovens isso sim é má-fé, maldade e injustiça”, afirmou Siméia. Neste momento, a vereadora foi ovacionada pela plateia e o inconveniente que gritava desaforos para ela erdeu até a chave de casa (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
Em 2011, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontou vários problemas na prestação de contas do “Paulínia” e a Prefeitura foi obrigada a cortar a subvenção anual do clube. A empresa Brasil Oil, do queridíssimo empresário Tuta Bosco, que já patrocinava a categoria profissional do “Dinão”, passou a bancar também o antigo PIF (Projeto de Iniciação ao Futebol), hoje, “Projeto Formador”. Inclusive, Tuta conseguiu, através da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, quase R$ 900 mil para o projeto, que não deixou de atender as crianças participantes. 
Falando em Tuta, o empresário vai inaugurar em breve a “Associação Amigos do Tuta”, uma organização não governamental voltada para apoiar projetos sociais da city. A equipe do mega empresário paulinense, que começou lááááááááááá de baixo, está a todo vapor nos preparativos para a inauguração do prédio da sede da Associação, onde funcionava a Family, dos meus amigos queridos Leandro e Silvio Soldera.  Lóóóóóógico que estarei lá, cobrindo tuuuuuudo pra vocês. 
Um parêntese. A ida da queridíssima Fábia Ramalho para a Assessoria Especial de Moura Junior (PMDB) não privou a Câmara Municipal de tê-la traduzindo em libras as Indicações, Projetos de Lei, Requerimentos, Moções, Votos de Pesar e, claro, as falas dos Vereadores. Muito bacana mesmo.
Diferente das sessões anteriores, o líder governista Sandro Caprino (PRB) chegou na humildade,  sem prepotência, arrogância (acho que antes de sair de casa, ele deixou tudo isso atrás da porta), sem levantar o dedo pra ninguém e pedindo para deixá-lo falar. “Depois, se quiserem me vaiar, tudo bem”, disse o vereador. Caprino (PRB) começou dizendo que ele convocou a reunião dos feirantes do São José, no último dia 14, para discutir a questão dos banheiros químicos e da segurança na feira. “O papel deste vereador é intermediar apenas, pois quem tem o poder de resolver os problemas é o Executivo”. Segundo Capino, neste governo, a feira não vai acabar e ninguém vai pagar banheiro, ninguém vai pagar nada. “O outro governo não fez nada pela feira”, disparou Caprino.
Paaaaaaaaaaaaaaaaaara tudo. Será que Caprino “deslizou na fé” e tomou uma pitú, antes da sessão? Só pode. Foi o governo Pavan (PSB) que autorizou a feira, deu todo o suporte para os feirantes, bancou até julho passado o aluguel dos banheiros químicos e Caprino ousa dizer que a administração passada não fez nada? Ah dá licença! É muito pra minha cabeça, nesta altura da madrugada (03:24). Me poupe! E o vereador foi mais hilário ainda ao dizer que no governo Moura Junior (PMDB) a feira é um sucesso, quando a feira é um sucesso há mais de quatro anos. Sem mais comentários.
Sobre a covardia que o prefeito dele está fazendo com o Caco e a AIJ, Caprino afirmou: “Este vereador nunca falou que era favor do fechamento do Caco e da AIJ”. Huuuuuuuum!!! Só se for na teoria! A verdade é que Sandro Caprino teve a “infelicidade” de estrear na vereança paulinense justamente numa legislatura que resolveu libertar a Câmara Municipal das garras maléficas do passado. Resultado: hoje ele encontra-se sozinho tentando, como bem disse o vereador Valadão (PTB), DEFENDER O INDEFENSÁVEL. Ou seja, Caprino é um líder de governo em isolamento total.
Apesar de Caprino falar bem, ser articulado e ter adquirido certa experiência em administração pública por aí, como por exemplo,com a ex-prefeita de Holambra Margarete Groot, envolvida no escândalo de corrupção denunciado pelo Fantástico da Globo, até agora, ele não conseguiu êxito nas articulações para formar a base aliada de Moura Junior (PMDB) na Câmara. Exceto o próprio Caprino e o petista Custódio Campos, os demais vereadores não parecem dispostos a se transformarem em capachos políticos dos “dois prefeitos” (Moura pai e Moura filho). Com isso, além da independência do Legislativo, o maior ganho é da população que tem a esperança de ver os seus interesses colocados acima de qualquer coisa. Querem ganho mais importante do que este? Enquanto isso Caprino continuará tentando, tentando….
Além de ser discreto no apoio a questão do Caco e da AIJ, o vereador Custódio (PT) ainda teve a infelicidade de lembrar a demolição da Concha Acústica construída por seu “amo” Edson Moura (PMDB). Ahhhhhhhhh dá licença! “Vereador, também fui contra a derrubada da Concha, mas hoje estamos aqui falando de vidas, do futuro que crianças e adolescentes tinham no Caco e na AIJ, entidades que dispensam comentários”, rebateu (felizmente) a vereadora Siméia Zaon (PSDC). 
Bem, com esta, vou ficando por aqui.  Um weekend abençoaaaaaaaaaaaado para todos nós e que NOSSO SENHOR JESUS CRISTO continue nos livrando de todo o mal (AMÉM). Muitos beijos e abraços apertaaaaaaaaaaaaados. Au revovir!

<imagem1>74d03d208e7d58982f38147d5c54ecb0.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima