Correio Paulinense

Paulínia, 19 de maio de 2024
“Senhor Prefeito, peça para o seu ‘exímio’ Secretário acabar de uma vez por todas com esta patifaria e assumir o óbvio: que o seu governo não vai pagar os trabalhadores e pronto."

Última atualização em 9 de outubro de 2013

[imagem] Bom diaaaaaa meus amores! Geeeeeeeente do céu! Dá nojo ler as tentativas lazarentas do governo Moura Junior (PMDB) de justificar o injustificável: a safadeza política e desumana que ele fez contra o Caco e AIJ. Misericórdia! A última lorota do secretário Jurídico Arthur Augusto Campos Freire, para maquiar toda essa lama, é que as entidades não enviaram os dados completos das rescisões dos funcionários, impossibilitando assim a Prefeitura de “periciar” os valores a serem pagos. É muita desfaçatez política.

Primeiro, a desculpa foram precatórios trabalhistas da Prefeitura. Segundo a vereadora Ângela Duarte (PRTB) o município não deve precatório nenhum à Justiça do Trabalho. Agora, é a peste da “perícia” que eles não podem fazer por falta de dados. Peraí. O governo Moura Junior (PMDB) está achando que alguém vai roubar a Prefeitura, superfaturando rescisão ou indenizando funcionário fantasma é isso? 

Não sou advogado trabalhista, mas sou empregador e como tal até onde sei a demissão de um funcionário com mais de um ano de carteira assinada é homologada no sindicato da sua categoria ou no próprio Ministério do Trabalho, que revisam os cálculos rescisórios e apontam as falhas, se houverem. Não vão me dizer que O SECRETÁRIO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA não sabe disso?

Além disso, as entidades terão que prestar contas do dinheiro recebido da prefeitura para indenizar os seus funcionários ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Estou errado? Claro que não. Elas terão que mostrar ao TCE que “fulano trabalhou tanto tempo e por este tanto tempo teve direito e recebeu tanto”. Pronto. Então, qual a desconfiança de Moura Junior (PMDB)? E outra: quem garante que depois da “perícia” eles vão liberar o dinheiro para indenizar os trabalhadores do Caco e AIJ? Do jeito que eles falam dá a impressão que ainda não pagaram por conta disso não é? Desde o começo disse e repito: vão pagar bosta nenhuma. Se quisessem pagar já tinham pagado.
Quando traiu mais de 400 famílias, inclusive uma tia do próprio prefeito funcionária do Caco e que faltava apenas 1 ano e 6 meses para se aposentar, o governo Moura Junior (PMDB) disse que a Prefeitura não tinha e nunca teve nenhum vínculo com as entidades. Então, por que exigir os nomes e as matrículas de cada funcionário das entidades? Já sei: pra dá o bote e submeter às pessoas a vexames públicos – só pode! Já não basta a humilhação que estas pessoas e suas famílias estão passando, desde que eles agiram covardemente contra elas? Pelo visto não. ELES QUEREM MAIS, MUITO MAIS.    
“Senhor Prefeito, peça para o seu ‘exímio’ Secretário acabar de uma vez por todas com esta patifaria e assumir o óbvio: que o seu governo não vai pagar os trabalhadores e pronto. Vocês não alegam que a prefeitura não tem obrigação? Então quem quiser receber que entre na Justiça. É mais decente, Senhor Prefeito. Vocês agiram traiçoeiramente contra mais de 400 famílias e duas entidades, cujas histórias dispensam comentários, mas isso já foi. Agora, não faz sentido vocês continuarem arrastando esta lama, tentando culpar os outros por um erro grotesco que jamais deveriam ter cometido. Pelo menos, neste caso, fale a verdade para as pessoas uma única vez”. Pronto, tá vomitado!
Hoje, pra variar, estou com a “mulésta”. É muita hipocrisia e falta de respeito com as pessoas. Depois vem um sujeito chamado Alberto Belan afirmando que não tem lado político (seiiiiiiiiiiiiii), mas me acha extremamente tendencioso. Ah, vá pros quintos dos infernos. Primeiro, aqui, na minha coluna, posso ser o que eu quiser e venho sendo, “meu bem”, há 20 anos – capiche? Segundo, o mouse é o controle remoto da computação. Não quer ler as minhas opiniões é só não clicar nelas, amado. Se clica é porque gosta. Então não me venha com mais hipocrisia. 
Nesta mesma toada hipócrita me escreveu Ronaldo de Souza Santos, assessor do secretário Jurídico Arthur Augusto Campos Freire (logo de quem…gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), nomeado CC6, em 1º de setembro, pelo prefeito Moura Junior (PMDB), com um salário de quase R$ 4. 300, 00 (quatro mil duzentos e trezentos reais) por mês. Na mensagem, além de afirmar que fez parte do Conselho Municipal de Saúde, mas em seu Facebook ele continua no cargo, Ronaldo me questiona sobre vários assuntos relacionados à Saúde Municipal (Leia na sessão “Comentários” do Artigo de Domingo, Atchim, Saúde!). Não conheço este rapaz, assim como não conheço milhares de pessoas que me conhecem, devido ao meu trabalho. Mas, não posso deixar um leitor assíduo sem respostas, posso? Até porque ele me pediu: “comente sobre isso também”. Ordem dada, ordem cumprida (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
“Querido, nunca fui Conselheiro e muito menosSecretário da Saúde. Não sou Promotor de Justiça para responder sobre TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) feito por ninguém e muito menos funcionário de carreira ou comissionado da Prefeitura. Portanto, não tenho competência para responder os seus questionamentos. Agora comentar a sua mensagem, isso eu posso. Aliás, não só comentar, mas sim questioná-lo também. Não se preocupe que não vou fazer perguntas difíceis. Serão duas apenas. Agora se você também não tiver competência para responder, tudo bem”. 

“Vamos lá, “amaaaaaaaaaado”? Antes de Moura Junior (PMDB) assumir e nomeá-lo CC6 (mais de R$ 4 mil por mês….êêêê beleza) você vivia quase que 24 horas no Facebook, descendo a lenha na Saúde. To mentindo? Outro dia, você foi questionado na rede social sobre isso e (trocando em miúdos) respondeu que não tinha mais tanto tempo. To mentindo? Mas, cá entre nós (baixou a  amada Regina Assumpção...gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas) o salário de CC6 deletou da sua cabeça todos os problemas da Saúde foi amaaaaaaaaaaaaado? Digamos que você continue Conselheiro da Saúde Municipal, como está no seu Face, na qualidade de  CC6 de Moura Junior (PMDB) defenderá a Saúde, como vinha fazendo, ou o governo que lhe paga este salário espetacular? Aguardo ansiosamente as suas respostas”.
Não tenho procuração para defender o vereador Fábio Valadão (PROS) e a vereadora Ângela Duarte (PRTB), mas tenho a gravação da última sessão da Câmara, dia 1º, para esclarecer o mal-entendido que virou uma NOTA DE REPÚDIO do Conselho da Pessoa com Deficiência de Paulínia e Secretaria de Promoção Social de Paulínia,  publicada na edição de sábado (5) do Jornal Tribuna, de Wilson Machado, Secretário de Indústria e Comércio (SIC) do governo Moura Junior (PMDB). É MENTIRA que estes vereadores repudiaram a IV Semana Municipal da Luta da Pessoa com Deficiência, realizada entre os dias 21 e 27 de setembro. MENTIRA.
Ângela e Valadão repudiaram A ABERTURA POLÍTICA DO EVENTO feita pelo Vice-Prefeito Francisco Almeida Bonavita Barros (PTB), que, segundo eles, usou a maior parte do tempo para fazer propaganda da administração e não falar como deveria, dos problemas das pessoas deficientes ou da política que o atual governo pretende adotar em prol da classe. “O meu repúdio a Secretaria de Promoção Social pela falta com que acolheu, especialmente a abertura da Semana da Luta da Pessoa com Deficiência. O evento pra deficiente acabou tendo uma abertura política. Além disso, não tinha local especial para cadeirantes”, repudiou Valadão. 

Já a fala da vereadora Ângela Duarte foi exatamente esta: “Quero registrar o meu repudio a abertura da semana do deficiente, da qual eu participei, mas me retirei porque eu fui lá no intuito de ver uma administração, uma sociedade realmente preocupadas com o futuro do deficiente físico. Infelizmente a abertura foi muito política e me vi no direito de me retirar e peço desculpas às pessoas, aos deficientes físicos que ali estavam, pelo desrespeito”.
Valadão ainda pediu para a primeiro-escalão municipal preparar-se melhor para eventos públicos específicos. Traduzindo, do meu jeito: não se pode falar de travesti, quando a pauta é transexual (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Para mim, a grande falta de respeito foi o prefeito Moura Junior (PMDB) não abrir a Semana do Deficiente, sob a justificativa de que está “arrumando a casa”. Isso sim merecia uma NOTA DE REPÚDIO no jornal de Seu Machadinho, mas ele tem juízo e amor ao cargo que ocupa. Falando nele: ele ainda continua interventor do Paulínia Shopping
Pensando cá com os meus botões cor de rosa, no final das contas, depois dos descontos, o abono anual de R$ 250,00 cairá para cerca de R$ 180,00 ou estou  errado, matematicamente falando? Já a “Tarifa Zero” nós sabemos que só pra quem ganha até 2 salários por mês. Cada família receberá, segundo Moura Junior (PMDB), um cartão com até 16 passagens grátis por dia. Então se o pai precisar ir ao médico às 10hs e o filho moreno, alto, bonito, sensual, 25 anos, me visitar às 11 (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
aaaaaaaaadas) como é que faz? Isso vai dá um rebu tão da gota serena, que nem quero ver. 
Bem meus amores, agora eu quero é ver as outras pautas que me aguardam. Tenham todos uma quarta-feira abençoada e protegida por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Beijos, abraços e au rovir!

<imagem1>16ae073141dfefd12e7c84041c5d9331.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima