Correio Paulinense

Paulínia, 10 de dezembro de 2023
Sem ameaça de pancadaria e xingamentos na plateia, Sessão da Câmara destaca Saúde, Segurança, Caco, AIJ e as promessas furadas de Moura Junior (PMDB), o “cortador de subvenções”!

Última atualização em 4 de setembro de 2013

[imagem] Boa taaaaaaaaaaaaaaarde meus amores! Eitaaaa! A Sessão de ontem foi “chique no urtimo” , como canta a queridíssima dupla  Cezar e Paulinho. Graaaaaaças a Deus nenhum Assessor Especial de Moura Junior (PMDB) apareceu por lá, tomado por algum “Caboclo Quebra Tudo” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaadas), querendo dar porrada em todo mundo. Vai ver a “macumba” que dizem ter sido encontrada em um dos toaletes do Paço Municipal foi para afastar os desordeiros da Câmara Municipal (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).  Eles devem ter levado uma bronca tão da “mulesta” do faraônico que o “caboclo” subiu sem cantar e feito um trem bala (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Ainda bem.
A Saúde e a atrocidade de Moura Junior (PMDB) contra o Caco e a AIJ foram os destaques da “Palavra Livre”.  O vereador Tiguila Paes (PRTB) pediu ao colega Sandro Caprino (PRB), líder dos “dois prefeitos” na Câmara, que falasse com o secretário Renato Cardoso sobre os problemas que continuam afetando a saúde municipal. Segundo o vereador, cinco pediatras do Hospital Municipal pediram demissão recentemente, entre outros motivos, por falta de segurança.  Pouco tempo após tomar posse, Moura Junior (PMDB) dispensou a empresa privada que fazia segurança no HMP. 
Tiguila Paes (PRTB) também ressaltou que a demora no atendimento continua a mesma coisa. “Na semana passada cheguei ao HMP por volta das 08h30min da noite e pacientes que chegaram às 13h38min ainda não tinham sido atendidos”, comentou o vereador.  Tiguila também citou o ocorrido na UBS do Jardim Planalto, segunda-feira (2), quando não tinha ninguém para abrir a Unidade e falta de cartucho na impressora usada para a marcação de consultas, entre outros serviços, prejudicando o atendimento à população. Neste momento, alguém da plateia ironizou o governo Moura Junior (PMDB), gritando: TÁ ARRUMANDO A CASA (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
A vereadora Ângela Duarte, também do PRTB, acompanhou o colega de bancada lembrando que Moura Junior (PMDB) prometeu resolver totalmente os problemas da saúde em 90 (noventa) dias. Na verdade, o atual prefeito prometeu deixar a Saúde de Paulínia com padrão de primeiro mundo em 180 (cento e oitenta) dias. Já se passaram 50, como bem lembrou a queridíssima vereadora. 
Aliás, em todas as sessões legislativas, o líder Caprino (PRB) tem usado o pouco tempo do governo Moura Junior (PMDB) para tentar justificar o fato de não ter sido feito, até agora, absolutamente nada de positivo para a população. Sempre que ele fala isso as vaias cantam alto. Ora, com o dinheiro que Paulínia tem e, sobretudo, a gana que os “dois prefeitos” tinham de assumir a Prefeitura era pra faltar cartucho de impressora em Unidade Básica de Saúde? A Saúde foi a área  mais explorada politicamente na fraude eleitoral do ano passado. O então candidato de mentirinha Edson Moura deitou e rolou em cima da Saúde e horas antes da eleição passou o bastão para o filho Moura Junior, que deu sequência ao golpe prometendo transformar Paulínia na Cleveland brasileira, em termos de Saúde, dentro de seis meses. Ah, me poupe!  Até para o líder Caprino é uma hipocrisia afirmar que a saúde municipal pode ser resolvida em tão pouco tempo. 
O mais curioso é que o próprio líder Caprino (PRB) reconhece que as suas desculpas (que o governo tem pouco tempo; que o governo pegou a prefeitura cheia de problemas, engessada; entre outras esfarrapadas)  não justificam. “Concordo com o vereador Tiguila. Temos que ter atitude e resolver os problemas”, disse ele. Oxe! Que discurso mais contraditório!  Para a vereadora Ângela Duarte, embora Moura Junior (PMDB) não tenha colocado em seu plano de governo a demissão de mais de 400 pais de famílias (do Caco e da AIJ) o prefeito soube fazer isso muito bem, em tão pouco tempo. Pois é, para o bem ou para o mau, cada um usa o seu tempo como bem entender. 
O vereador Gustavo Yatecola (PT do B) destacou os dois ataques da chamada “gangue da marcha à ré” na city, dia 27 no Magazine Luiza e dia 31 numa loja de roupas da Vila Bressani, os assaltos a postos de gasolina no Planalto e João Aranha, cinco furtos de veículos em uma semana no entorno do HMP.  Endossando a fala  do colega sobre os problemas de segurança da city, o vereador Sandro Caprino (PRB) acrescentou que Paulo Mota, presidente de seu partido e atual secretário de Defesa Civil, foi assaltado duas vezes em frente a um banco da city. Para Yatecola o aumento da criminalidade pode está ligado diretamente ao corte das horas-extras do funcionalismo municipal, decretado pelo prefeito Moura Junior (PMDB). Edilsinho Rodrigues (PPS) também acredita nesta possibilidade. 
Ao falar da perversidade que Moura Junior (PMDB) fez com o Caco e a AIJ, Yatecola (PT do B) frisou a promessa feita por Arthur Augusto Campos Freire, Secretário Jurídico, de mandar o projeto de lei para a Câmara pedindo autorização para liberar o dinheiro das indenizações trabalhistas das entidades, quinze dias após o Caco e a AIJ apresentarem o valor que cada funcionário tem direito a receber.

”Fui informado que o Caco e a AIJ apresentaram os valores à Prefeitura sexta-feira, dia 30, e segunda-feira, dia 2, respectivamente”, disse o vereador.  Caso Moura Junior (PMDB) cumpra o que prometeu, Yatecola acredita que em 15 dias o projeto estará na Câmara. Sobre isso vou repetir: acho que Moura Junior (PMDB) não quer “pagar” bosta nenhuma.  A jogada da “perícia” nas rescisões tem o objetivo apenas de protelar para judiar ainda mais dos funcionários das entidades, inclusive daqueles que sempre foram mouristas roxos. 

Todo mundo sabe que o corte das subvenções do Caco e da AIJ foi uma vingança política das mais baixas e asquerosas.  Os Moura (leia-se pai e agora filho) são assim e pronto. Não aceitam ser contrariados. Somente eles podem e sabem fazer, o resto é tudo um bando de otários incompetentes. É ou não é?  Por exemplo: segundo o secretário Arthur, Moura Junior (PMDB) cortou a subvenção do Caco por conta de apontamentos do TCE (Tribunal de Contas do Estado) nas contas de 2010 e 2011 da entidade. Ahhhhhhh vááááááááá´!!! 
Por que então o ex-prefeito Edson Moura não cortou a subvenção do Caco quando o mesmo TCE apontou várias e sérias irregularidades na aplicação dos  R$ 14 milhões que a entidade recebeu da Prefeitura em 2006? Ele cortou? Não. Nos anos seguintes, o Caco continuou recebendo a subvenção, inclusive R$ 11,5 milhões em 2008, o último ano do governo Moura. Será que “o pau que bate em Francisco” não deveria “bater em Chico” também?
Na sessão de ontem, ao comentar sobre o argumento do secretário Arthur, a vereadora Ângela Duarte (PRTB) lembrou que a grande maioria das entidades subvencionadas pela Prefeitura tem suas contas apontadas pelo TCE e nem por isso foram guilhotinadas. Tá meu bem!
Outro absurdo. Segundo o vereador Gustavo Yatecola (PT do B) a assistente social Clélia de Moraes assegurou, durante a reunião dia 28 no Plenarinho da Câmara, que tão logo o Caco e a AIJ entreguem os prédios, a Prefeitura assumirá todos os programas das entidades num prazo de 20 (vinte dias).  Ah dá licença! Entre públicos e alugados, o Caco já entregou três dos cinco prédios que ocupava. Atualmente, a grande maioria dos 139 empregados da instituição está amontoada, junto com os móveis, na sede central e outro no Caco Shop. Uma situação humilhante.

Já os quatro prédios onde funcionavam os Núcleos I, II, III e IV da AIJ estão desocupados desde o dia 09 deste mês (ou seja, há quase 30 dias), conforme o “rei da cocada preta”, Moura Junior (PMDB) determinou. Conclusão: a Prefeitura já tem 7 prédios disponíveis há quase 30 dias e até agora não assumiu bulhufas nenhuma. E se assumir alguma coisa será um milagre.

O queridíssimo Cássio de Oliveira Marques, da AIJ, disse que os contratos de locação dos prédios desocupados pela associação foram entregues à Prefeitura. “Entretanto, a imobiliária tem ligado na Prefeitura, mas o financeiro informa que não tem previsão do pagamento dos aluguéis”, afirmou Cássio. Que vergonha! Que coisa feia!  Na sessão de ontem, o vereador Valadão (PTB) traduziu bem o desrespeito do governo Moura Junior (PMDB), sobre tudo com as pessoas carentes da city. “Como nós dissemos é impressionante, porque poderiam antes ter feito a migração para outra situação, um novo projeto e não colocar as pessoas na rua para depois solucionar o problema”, falou e disse.
Fiquem com NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, meus amores. Sexta-feira continuaremos tricotando mais bafos e babados. Um beijo em todos os corações e abraços. Au revoir!

<imagem1>704a9008f5507f77a23205c9970218bf.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima