Correio Paulinense

Paulínia, 29 de maio de 2024
Segundo apuramos, o vereador Doutor João Mota (PT) deverá apresentar a proposta já na sessão legislativa de terça-feira (25)

Última atualização em 23 de novembro de 2014

[imagem] O sorteio de casas realizado pelo prefeito Edson Moura Junior (PMDB), domingo (16), no Acampamento Menezes, e a ocupação, dois dias depois, de 140 casas do Residencial Pazetti, no bairro Saltinho, poderão ser alvos de investigação de uma Comissão Especial de Inquérito da Câmara Municipal de Paulínia. Nossa reportagem apurou que a proposta de criação da CEI deve partir do vereador João Carlos Mota, o Doutor João Mota (PT), que lançará a ideia já na sessão legislativa da próxima terça-feira (25). 

No dia 2 de setembro passado, juntamente com os vereadores Edilsinho Rodrigues (PPS), Danilo Barros (PC do B), Fábio Valadão (PROS) e Angela Duarte (PRTB), o petista votou contra o Projeto de Lei 37/14, que mudou as regras do Residencial Pazetti e acabou instalando o caos no setor habitacional da cidade, durante toda esta semana.  
Embora o governo Moura Junior (PMDB) tenha a maioria da Câmara, a oposição vai apostar na repercussão negativa que o episódio trouxe para a cidade e os prejuízos sofridos por famílias do Menezes e do Pazetti, para pressionar e conseguir o apoio da base aliada do prefeito. Na ocasião da aprovação do “PL do Menezes” (como ficou conhecido o PL 37/14), por seis vereadores mouristas – Marquinho da Bola (PSB), Sandro Caprino (PRB), Du Cazellaro (PP), João Pinto Mota (PSDC), Zé Coco (PTB), Simeia Zanon (PROS), mais Custódio Campos (PT) – a oposição alertou que a Casa estava cometendo um grande equívoco, pois o Residencial Pazetti já era regido por uma lei única municipal.
Esclarecimentos
Também na sessão de terça-feira (25), o vereador Tiguila Paes (PRTB) apresentará dois Requerimentos ao Executivo, ambos relacionados ao assunto que dominou a semana. Primeiro ele pede informações detalhadas sobre o processo de seleção das 179 famílias que concorreram ao 3º Módulo do Pazetti e depois como funcionará o financiamento especial da Prefeitura, das casas sorteadas no domingo (16) e ocupadas na madrugada de terça (18) para quarta (19). 
“Como será feita a cobrança das parcelas desses imóveis: através de boletos bancários, carnês, etc…?; Onde os compradores desses imóveis pagarão as parcelas: na própria prefeitura ou em algum banco (público ou privado) determinado pela municipalidade?; por fim, em caso de inadimplência da parte dos compradores quais as medidas protetivas ao erário público que serão tomadas?”, são questões que a administração municipal terá de responder ao vereador.
Foto: Claudia Arantes/CMP 

<imagem1>7a418ee4445515703b3c511514532907.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima