Correio Paulinense

Paulínia, 22 de maio de 2024
QUE FORÇA A BASE EXERCE SOBRE O GOVERNO? Assessora POLEMIZA e jornalista EXPLICA; Bandidos virtuais, se combate na Justiça; Críticos, se responde com trabalho!

Última atualização em 25 de novembro de 2017

Boooooooooooooooooooooa taaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarde, meus amooooooooooooooooores!!!  O Correio mapeou como votaram os 14 vereadores nas 7 (sete) denúncias  apresentadas na Câmara contra o prefeito Dixon Carvalho (PP). O resultado, publicado anteontem (23), mostra que os vereadores de oposição Tiguila Paes (PPS) e Kiko Meschiati (PRB) foram os que mais votaram, 5 vezes cada, a favor de se investigar as acusações que pesam contra o mandatário municipal. O levantamento também aponta que, entre os vereadores que apoiam o governo  Dixon (PP), Fábio Valadão (PRTB) votou 4 vezes favorável ao recebimento das denúncias, sendo o primeiro da base aliada, nesse quesito.
Na sessão de terça-feira (21), antes do início da votação das duas últimas denúncias contra Dixon (PP), Valadão (PRTB) lembrou como votou nas denúncias passadas: “Fui o vereador que mais votou favorável nas seis anteriores. De seis pedidos de abertura de Comissão (Processante) eu votei favoravelmente em três”, disse ele.  Os três votos citados por Valadão (PRTB) ele deu nas denúncias 3/2017 e 6/2017, que tiveram como denunciado o prefeito Dixon (PP), e na 5/2017, cujo denunciado foi o vice-prefeito Sandro Caprino (PRB), e não computada no mapa de votação feito pelo Correio.  
Por conta disso, Thais Fischer, assessora de Valadão (PRTB), comentou no Facebook do Correio e postou no grupo “Muda Paulínia”, o seguinte:  “Muito interessante a MANIPULAÇÃO DOS DADOS do estudo. Porque o Jornalista/Assessor não considerou TODAS AS DENÚNCIAS, como a número 5 contra o Vice Sandro Caprino? Aproveito ainda uma pauta que sempre fez parte de seus estudos Mizael. Porque não faz também sobre número de Requerimentos apresentados e número de votos em requerimentos? Pode também considerar número de projetos de lei aprovados e indicações apresentadas. Acho que seria bacana a população saber tudo sobre o trabalho legislativo, JÁ QUE VOCÊ TRABALHA NA CÂMARA COMO ASSESSOR DO VEREADOR TIGUILA e tem facilidade em puxar os dados né?”. 
Gente do céu, não precisava “enfeitar tanto o pavão”, misturar assessor (eu) com jornalista (eu, também), polemizar no Muda Paulínia, apenas para questionar a ausência, no levantamento do Correio, do voto favorável de Valadão (PRTB) à denúncia contra o vice-prefeito Sandro Caprino (PP). Precisava?  Bastava ir direto ao ponto. Bastava perguntar, que eu responderia (responderei mais adiante), emboooooora a própria matéria, por si só, já responda a dúvida levantada por Thais.

Maaaaaaaas, cada um tem limite de entendimento e jeito de entender muito próprios. E outra, em que isso mudaria a vida parlamentar de Valadão (PRTB), ou no resultado do levantamento do Correio? Na vida do vereador, não sei. No resultado do ranking, nada. Só acho que, ao usar o meu cargo de assessor do vereador Tiguila (PPS) para atingir o meu trabalho jornalístico, a amada agiu na contramão da lição de RESPEITO e ÉTICA, pregada, veementemente, pelo vereador Valadão (PRTB).  Por isso, resolvi comentar e responder, por partes, aqui, na coluna. 

Vamos lá. “MANIPULAÇÃO DOS DADOS”.  Manipular significa, também, “alterar, modificar, falsificar, fraudar, falsear, adulterar”. Eita gota!!! Todos os dados publicados pelo Correio são OFICIAIS DA CÂMARA MUNICIPAL, retirados, um a um, do site do Legislativo. Portanto, não há como manipular dados produzidos por terceiros.  O que o Correio fez foi, apenas e tão somente, somar os votos dos vereadores e mostrar quantas vezes, cada um, foi favorável ou contra ao recebimento das 7 (sete) denúncias, envolvendo o prefeito Dixon (PP). 
“Porque o Jornalista/Assessor não considerou TODAS AS DENÚNCIAS, como a número 5 contra o Vice Sandro Caprino?”.  Oxiiii!!!! Pela mãe do guarda!!!  Primeiro, está muito explícito na matéria que o levantamento abrangeu apenas as denúncias contra  Dixon (PP). Arriégua!!!  E, se a intenção da lindinha foi sugerir que, caso tivéssemos contado, também, o voto de Valadão (PP) favorável à denúncia contra Caprino (PRB), a liderança do ranking seria outra, sorry, pardon, mas não seria. Basta a assessoria de Valadão (PRTB), ou qualquer outra pessoa, fazer as contas (na matéria tem os links de todas as denúncias, com os respectivos votos dos nobres vereadores). Eu, não vou fazer, pois, já somei e publiquei o que tinha para somar e publicar. 
Segundo,  o Correio não computou no levantamento e sequer citou na matéria de quinta (23)a denúncia contra Caprino (PRB)  PARA NÃO CONSTRANGER AINDA MAIS OS VEREADORES, QUE APROVARAM,  “CONSCIENTEMENTE”, UMA COMISSÃO PROCESSANTE (CP) PARA INVESTIGAR UMA SUPOSTA BRIGA ENTRE DOIS BARBUDOS (CAPRINO E MÁRCIO LEÃO), ENQUANTO REJEITARAM 7 (SETE), “CONSCIENTEMENTE”,  DENÚNCIAS COM ACUSAÇÕES GRAVÍSSIMAS CONTRA O HOMEM QUE ASSINA OS CHEQUES DA CONTA BANCÁRIA DO MUNICÍPIO. Agora, quem acha que não teve ou tem nada de constrangedor nisso, que espalhe outdoors pela city. 
Sobre o tradicional ranking do Correio, mostrando os números de Requerimentos, Indicações e Projetos de Lei  apresentados pelos vereadores,  como a própria leitora Thais disse, “que sempre  fez parte dos meus estudos”, e,  logo estaremos divulgando a edição 2017. Mesmo assim, agradeço a “sugestão de pauta”.  
“[…] JÁ QUE VOCÊ TRABALHA NA CÂMARA COMO ASSESSOR DO VEREADOR TIGUILA e tem facilidade em puxar os dados né?”.  Quanta “infantilidade”. Eita borreriana!!!  ESTOU assessor do vereador Tiguila há pouco mais de nove meses, SOU jornalista há quase 25 anos, e “puxo dados” dos Portais da Prefeitura e da Câmara desde que eles surgiram, há pelo menos nove anos. Então, o que uma coisa tem a ver com a outra?  E, quando não existia a internet e nem a Lei de Acesso à Informação, corria atrás dos dados, in loco, nos órgãos públicos. Os dados, a que Thais se refere, são disponibilizados na internet para cada habitante desta city, independentemente de ser ou não assessor de vereador. Então, sem comentários, afirmar que, como assessor parlamentar  (eu), o jornalista (eu) teria mais facilidade para acessar informações que são oficialmente públicas
Agora, já que usaram as redes sociais para falar tolices e bobagens, por um lado, e faltar com respeito e ética, por outro, quero aproveitar o gancho para lembrar que, sempre combato postagens criminosas, maldosas e infundadas (por perfis fakes ou reais) nas redes sociais, contra quem quer que seja. Outro dia, uma pessoa (não lembro quem) fez um comentário acusando de algo grave o vereador Manoel Filhos da Fruta (PCdoB) e, imediatamente, avisei o autor que seu comentário seria deletado (como deletei, no mesmo instante), porque ele tinha que ter provas para afirmar o que escreveu.  O próprio “Da Fruta” acompanhou o episódio.  
O vereador Valadão (PRTB), todos sabem, se diz a maior vítima de postagens maldosas e criminosas nas redes sociais. E, realmente, muitas coisas que escrevem sobre o vereador, adjetivos que dão a ele, são, além de criminosos, nojentos.  Porém, como advogado, ele sabe os caminhos legais para buscar as medidas cabíveis contra quem comete “crime cibernético”, e, como vereador que homem público, principalmente nos dias de hoje, é alvo não apenas dos “bandidos virtuais”, mas de muitas críticas ferrenhas, umas justas outras não. Por isso, é preciso saber  separar bem  o “joio do trigo” e, principalmente, não  entrar na neurose de querer calar, à força, bandidos e críticos. Bandidos virtuais, se combate na Justiça (artigos 138, 139 e 140 do Código Penal Brasileiro). Críticos, se responde com  trabalho. 
Em vez de, em quase todas as sessões, ficar gastando o tempo que tem batendo em fakes criminosos ou  dizendo que postagem tal é politiqueira ou maldosa, neste caso, demonstrando total falta de saber lidar com as críticas a que todo sujeito público está submetido,  deve-se falar não de forma genérica, tipo “ a cidade tem muitos e graves problemas”, mas sim detalhadamente sobre o que está acontecendo na city, no hospital, nas UBS, nas farmácias públicas e por aí vai…
Lembro de uma postagem do prefeito Dixon (PP), em sua página no Facebook, onde ele aparece com os 13 vereadores que apoiam seu governo.  “Neste momento estamos reunidos com os vereadores buscando soluções p/ melhorias da nossa cidade”, legendou o prefeito, acima da foto com os aliados, dia 24 de abril passado.  Pois bem, de abril para cá, aconteceram muitas coisas na city, menos “melhorias” concretas. Aí, eu pergunto:  que força, então, a base exerce sobre o governo? Base governista não serve apenas para aprovar as matérias de interesse do Presidente, Governador ou Prefeito, mas, principalmente para pressionar a favor da população os Chefes dos três Poderes Executivos.  
Ser base, para entrar mudo e sair calado das sessões; votar contra ou a favor disso ou daquilo, sem justificar o voto para a população, ou gritar “o voto é meu, e voto como quero” , ou, simplesmente dizer “votei com a minha consciência”;  gritar que o voto na Câmara é POLÍTICO e não JURÍDICO,  e, ao mesmo tempo, agir como se fosse “juiz”; tudo isso e muito mais  traduz bem a atual visão que a sociedade paulinense tem de seus representantes. 
Falando em traduzir, já traduzi tudo o que precisa, por hoje. Um final de semana abençoado para vocês, meus amoooooooooores, e que NOSSO SENHOR JESUS CRISTO NOS ACOMPANHE E PROTEJA TODOS OS DIAS DE NOSSAS VIDAS. Muuuuuuuuuuuuuuitos beeeeeeeeeeeeijos e abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços. Au revoir!!!

Foto: Reprodução/Facebook

<imagem1>dixoncarvalhoemreuniãocomabasealiada.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima