Correio Paulinense

Paulínia, 19 de maio de 2024
“PRIMEIRO DEIXA O CRIME ACONTECER, DEPOIS VÊ O QUE FAZ”: Oposição é criticada por denunciar editais milionários, suspeitos de irregularidades; ADEUS, EDUARDO CAMPOS!

Última atualização em 13 de agosto de 2014

[imagem] Boa noite, meus amores. Que tragédia a morte de Eduardo Campos, governador do meu Estado natal, Pernambuco.  Quando acontece uma coisa dessas, apenas as causas técnicas são, na maioria das vezes, explicadas por uma “caixa preta”, já as demais continuam inexplicáveis, pois fogem do alcance humano. Os meus mais verdadeiros sentimentos à família Campos, pela perda repentina do ente querido e à todos os meus conterrâneos que certamente estão chorando a partida precoce do homem que vinha governando Pernambuco, como nenhum outro governador. Que Deus derrame o Seu Conforto sobre todos e receba a alma do também presidenciável, Eduardo Campos.
Já por aqui a tragédia é outra e pelo visto só tende a piorar. Para o pessoal do atual governo municipal, “o certo é deixar primeiro o crime acontecer, para depois apurar os fatos e punir os culpados”. Vocês acreditam nisso? Ou seja, levando para o campo policial, propriamente dito, o policiamento preventivo não deveria existir, então. A Polícia Militar e a Guarda Municipal ficariam internas em suas bases, esperando alguém ligar dizendo que fulano matou cicrano, que teve a casa roubada ou o carro furtado, em vez de ficarem patrulhando as ruas da city, justamente para coibir e até mesmo evitar esses crimes. Não é um absurdo?
Pois é. Para o “rei” da Saúde de Paulínia, Marquinho Somar, os vereadores não deveriam denunciar supostas irregularidades nos editais de licitações lançados pelo governo Moura Junior (PMDB), do qual ele faz parte. Ele acha que pregões como o de R$ 114 milhões, para reformas dos prédios públicos, ou o de R$ 17 milhões, para festas, deveriam acontecer e depois os vereadores que reclamassem. É mole? “Mas antes tenham a capacidade de deixar acontecer primeiro, pois se tiver algo errado o crime terá sido cometido, e a população já terá sanado os problemas que a afligem, e a justiça cobrará o que possivelmente estiver errado, dos responsáveis por tal erro”, escreveu o blogueiro mourista para os vereadores da oposição. Oxi!
Na “vizão” de Somar a oposição deveria deixar Moura Junior (PMDB) gastar milhões públicos em festas, pagar R$ 900 mil de cachê à escolas de samba, comprar 7200 extintores de incêndio, locar 150 veículos, contratar laboratorista e auxiliar de laboratório, tudo à preço de ouro, pagar cinco vezes mais por uma cirurgia de catarata, entre outras aberrações que estão sendo barradas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCESP) e Poder Judiciário, para depois reclamar. Aí eu pergunto: se constatada a ilegalidade quem fornecesse os extintores devolveria o dinheiro público e pegaria o produto de volta? Ah, da licença! Tudo bem defender o “pão de cada dia”, mas com esse tipo de “argumento” aí já é demais.
Mesmo com a oposição marcando em cima, Moura Junior (PMDB) tem cometido atrocidades inaceitáveis e repugnantes, imaginem, então, se agisse totalmente livre, sem ninguém questionar, criticar ou denunciar os seus desmandos? Misericórdia! A vaca já estaria do brejo pra lá. A vereadora Angela Duarte (PRTB) e os vereadores Fábio de Paula Valadão (PROS), Doutor João Mota e Custódio Campos, ambos do PT, não podem cochilar um minuto sequer, pois fora da Câmara tem uma população revoltada com tudo o que está acontecendo e que espera, não apenas dele, mas de todos os vereadores, ações firmes em defesa dos seus interesses. É para isso que a Câmara existe, caso contrário, não teria o menor sentido. Né?
Mas o governo e seus integrantes não aceitam mesmo qualquer ato fiscalizatório do Legislativo, até porque o líder mourista estava acostumado com 100% de liberdade político-administrativa, para fazer o que bem entendesse com o dinheiro da city. Ele fazia e os vereadores assinavam embaixo. Até hoje, vereador aliado só serve para isso: assinar caladinho, sem reclamar e discordar, nem pensar.

Ontem (12), o Conselho Municipal de Educação (CME) foi à Câmara embasar aos vereadores a necessidade de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar supostas irregularidades na Educação Municipal. Dos 15, apenas quatro compareceram pessoalmente: Angela Duarte (PRTB), Custódio Campos (PT), Fábio Valadão (PROS) e João Pinto Mota (PSDC). Os demais, uns mandaram representantes e outros nem isso. O petista doutor João Mota justificou a ausência e adiantou que já assinou favorável a criação da CEI da Educação. Reparem que da base mourista, apenas um vereador, João Pinto Mota, compareceu. Ou seja, a impressão que temos é que para a maioria da base governista, Educação não é um assunto tão importante assim.
Mas não dever ser mesmo, pois o líder mourista Sandro Caprino (PRB) já sinalizou ser contra a CEI para investigar a pasta. Para ele, os muitos e graves problemas da Educação podem ser resolvido apenas conversando com a Secretária Rita Lanza, pais, alunos e funcionários do setor. O vereador Custódio Campos, autor da CEI, vai apresentá-la na sessão da próxima terça-feira (19) e aí, lá no Plenário da Casa ou no conforto do lar (pela internet), a população vai acompanhar os debates e, sobretudo, saber quem é favorável ou contra que as coisas públicas sejam tratadas com responsabilidade e transparência pelos Moura (pai e filho). Se a primeira transmissão pela internet, no último dia 5, teve, logo de cara, quase 700 pessoas acompanhando, terça-feira esse número vai dobrar, no mínimo.
A cesta básica fornecida pela prefeitura pode ser uma das apostas de Moura Junior (PMDB) para sair do abismo em que se encontra, perante a opinião pública. Há quem aposte que, hoje, cerca de 70% dos paulinenses, rejeitam a administração dos “dois prefeitos”.  As pesquisas sobre a cesta, tão divulgadas nas redes sociais pela diretora de Promoção Social, Aristeia Aparecida Rodrigues, servirão de base para um projeto de lei, melhorando o benefício, que Moura Junior (PMDB) deve enviar à Câmara em breve. Ou seja, o prefeito acha que aumentando os itens da cesta social pode conquistar a simpatia das pessoas mais humildes e assim melhorar o ibope do seu governo. 
Isso é bem a cara do pai dele. “Filho, é só dá um feijão de boa qualidade ou acrescentar iogurte na cesta, que o povo esquece as outras coisas”. Se o pensamento for esse mesmo, os “dois prefeitos” vão cair bonitinhos do cavalo, pois é impossível o povo esquecer o que eles fizeram e estão fazendo, justamente contra as pessoas que mais precisam. Outro dia, o líder deles na Câmara, Sandro Caprino (PRB), apareceu na foto com leite doado pelo governo estadual, todo feliz da vida, como fosse um fato histórico. Então, a linha em relação à cesta deve ser bem por aí. 
Por hoje é só. Uma noite maravilhosa para todos nós. Fiquem NA PAZ DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Beijos e abraços. Au revoir!
Foto: Lucas Rodrigues/CP Imagem

<imagem1>6a70668227271f618d82b62b81196926.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima