Correio Paulinense

Paulínia, 16 de junho de 2024
Prazo para Moura Junior (PMDB) recorrer da segunda cassação e não ter que deixar o cargo para o presidente da Câmara Fiorella (PP), terminou hoje (2); Fernanda Chamma e Tuta Bosco na primeira fileira da “Broadway”,

Última atualização em 2 de junho de 2014

[imagem] Boaaaaaaa nooooooite meus amoooooores!  Mais uma semana útil começando e muitos bafos na fila, pedindo para serem rasgados. Calma, que já os rasgarei. Antes disso, mais de 500 pessoas babaram com as apresentações de alunos e alunas do Estúdio Broadway de Paulínia, sábado (31), no Paulinense. Trechos dos grandes musicais da Broadway americana encantaram o público, que formou um verdadeiro batalhão de fotógrafos, para registrar as estrelas do sapateado, canto e dança. Na primeira fileira, Fernanda Chamma e Tuta Bosco quase não piscaram na avant-première da trupe dirigida pela coreógrafa mais famosa do país e patrocinada pela Brasil Oil.

Na mesma tarde foi lançada a ala “Baby” da primeira escola de musicais totalmente gratuita do país e as 40 vagas abertas, para crianças de 4 a 6 anos, esgotaram em meia hora. Sucesso. Após a maratona de números e troca de figurinos dos alunos, Fernanda Chamma chamou todo mundo para dançar ao som de hits eletrizantes, como uma das versões atuais de I Will Survive, eternizado pela diva Gloria Gaynor. Além de pioneiro e socialmente importantíssimo, não restam dúvidas que o  Estúdio Broadway  será uma verdadeira fábrica de talentos. Por isso, parabéns à lindíssima Fernanda Chamma e sua equipe, pelo trabalho incontestável, e ao queridíssimo Tuta Bosco, por aliar a Brasil Oil à uma ideia tão fantástica. Que Deus os abençoe!
Os rumores que o presidente da Câmara Marquinho Fiorella (PP) já teria sido citado para assumir interinamente a Prefeitura, pela segunda vez este ano, não procedem. Falei com ele no início da tarde.  Acontece que o prazo para o prefeito Moura Junior (PMDB), duplamente cassado, recorrer da segunda condenação na Justiça Eleitoral da city termina hoje (2). Só depois disso é que algo pode acontecer, dependendo do julgamento do recurso. Uma coisa é batata: o “Exterminador da APAE” precisará de mais uma liminar para continuar desgovernando o município. Enquanto os malucos por futebol colecionam figurinhas da copa, Moura Junior (PMDB) vai colecionando limares, para manter-se no cargo.
A sequência de cassações está mexendo tanto com os nervos do prefeito da city, que ele está até confuso. Um passarinho me contou que durante o culto evangélico, sábado (31), no teatro, Moura Junior (PMDB) fez o sinal católico da cruz, assim que o pastor terminou de orar por ele (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).  Gafe bobinha à parte, tomara (DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO) que a oração tenha conseguido tirar o espírito de vingança e perseguição política, incorporado no prefeito, desde que ele assumiu a city. Digo isso, porque somente Deus para abrir o coração de Moura Junior (PMDB) e fazer ele parar de perseguir as pessoas, as entidades e todos que não se dobram diante dos  caprichos dele e do pai. Seria um alívio, por exemplo, para as crianças da APAE que estão sofrendo horrores com tanta maldade.
Ah, não aguentei. Ontem (1), relatei ao deputado estadual Baleia Rossi tudo o que está acontecendo com as entidades da city e pedi ajuda para a APAE. Baleia é também presidente estadual do PMDB, o partido que desgoverna Paulínia, e quem sabe possa interceder pelos excepcionais da entidade, junto ao colega peemedebista Moura Junior. Vamos aguardar. 
Além de nervoso, uma cassação atrás da outra parece que está tirando o pouco da noção política que Moura Junior (PMDB) tem. Ao discursar na entrega das casas do módulo II do Pazetti, sábado (31) pela manhã, o prefeito classificou de “grupinho político” as pessoas descontentes com a sua administração. Totalmente, sem noção. Duvidoooooooo que se colocar uma pesquisa séria e isenta (REPITO: SÉRIA E ISENTA) nas ruas o índice de reprovação da atual administração seja inferior à 60%. Duvidooooooooooooo. 
Saúde, Educação e Segurança do jeito que estão, o que estão fazendo com a APAE e já fizeram com as outras entidades, a humilhação e o sofrimento que os compradores do Pazetti passaram e ainda estão passando para receberem as suas casas, o dinheiro público sendo usado para pagar crítico de cinema, enquanto continua faltando antibiótico no hospital, avalizam o meu palpite, sem sombras de dúvidas. Como disse em outra ocasião,  tudo que Moura Junior (PMDB) venha fazer de bom jamais apagará tudo o que ele já fez de ruim. E sabem por quê? Porque este governo está mexendo com pessoas, maltratando crianças excepcionais, adultos e idosos que necessitam do básico na saúde e não encontram. Não tem governo que fique de pé. maltratando o ser humano. NÃO TEM. Ou muda ou cai.
Por exemplo. Não foi uma, nem duas pessoas que falaram. Na segunda entrega do Pazetti, cerca de 15 “marombados” de fora ficaram intimidando as pessoas e tentando  tomar o celular de quem estava fotografando ou filmando o evento. Um dos bombados chegou a dar uma gravata em um comprador do residencial, para tomar o telefone móvel do rapaz. Isso não é um absurdo? Outro “segurança” quis tomar o celular do queridíssimo Kinor e se não fosse a interferência de um vereador o bafo poderia ter sido ainda pior. Cinco perguntas: Quem “trouxe” os brutamontes? Quanto eles receberam e quem pagou? Quer dizer que Danilo Barros, Moura Junior, Bonavita e os vereadores não podem ser mais fotografados ou filmados em eventos públicos? Quem essa gente pensa que é, além de empregados do povo? Ah, dá licença! Isso não é maltratar as pessoas? 
Estrategicamente, Moura Junior (PMDB) não abriu o bico para falar da venda, em condições especiais, do terceiro e último módulo do residencial e assim livrou-se das vaias. Por outro lado, falou o tempo todo das realizações do pai na área habitacional da city. Entre as falas de Moura Junior (PMDB) uma merece comentário. “Meu pai sempre teve a preocupação que o Povo Paulinense tivesse habitação digna e decente para as suas famílias”, disse o prefeito. Na sequência, ele lembrou quando próprio pai, no primeiro mandato (93/96), colocou dezenas de famílias para morar em caixas de alumínio (containers), lá no Morro Alto, criando a famosa “Vila Sardinha”, onde crianças e adultos viveram em condições desumanas, tanto que, na época, o assunto rendeu várias manchetes negativas em televisões e jornais. Isso é oferecer moradia digna? Ah, me poupe né?
Moura Junior (PMDB) só não citou (e nem poderia ter citado) que o pai ficou de 2000 à 2008 na Prefeitura e não construiu uma casa sequer para o povo, fosse com recursos do município ou através de convênios estaduais ou federais. UMA CASA SEQUER CONSTRUÍDA, EM OITO ANOS DE GOVERNO.  Todas as realizações habitacionais do ex-prefeito Edson Moura aconteceram entre 93 e 96. Depois disso, só elefantes brancos superfaturados. cinema, cinema e cinema, pois o “homi” profetizou o fim do petróleo e que a “salvação financeira” de Paulínia City será a indústria da sétima arte. 
Por enquanto, só quem está recebendo as bênçãos do cinema é a Rede Record, que economizou uma fortuna de aluguel de estúdios, pagando praticamente uma “taxa administrativa” para usar quatro de Paulínia;, o crítico Rubens Ewald Filho, que vai levar R$ 15 mil por mês, durante dois anos; as produtoras com os editais milionários para filmes; artistas que vem com tudo pago fazer caras e bocas no tapete vermelho e depois nem lembram que Paulínia existe; e por aí vai. Sem contar os “furos nos canos” por onde passam o dinheiro para o cinema. É melhor nem contar!
Muito fraco, fraquíssimo (ZzzzzzzZzzzzzzzzz) o discurso de Moura Junior (PMDB), mas, se der tempo, ele aprende ou melhora. Pelo menos, o protocolo deu uma melhorada. O vice Bonavita (PMDB), que estava entrando mudo e saindo calado dos eventos, sábado teve a palavra. Falou feio ou bonito? Bem, 20 anos acompanhando os discursos do cearense, que tem um dos históricos públicos mais importantes e respeitados da city, prefiro responder esta pergunta mais detalhadamente, na coluna de quarta-feira. 
Entre os vereadores presentes na entrega do Pazetti, a estrela foi Edilsinho Rodrigues (PP), sub-relator da CEI da Saúde,  muito elogiado pelo locutor oficial de Moura Junior (PMDB), pelo vice Bonavita (PTB), que frisou a ligação das famílias Moura e Rodrigues, e pelo próprio prefeito, que dividiu a mesa de honra com o vereador, além do secretário Danilo Garcia, o engenheiro Alexandre da Melo Azevedo e o líder Sandro Caprino (PRB).

Já os vereadores Danilo Barros (PCdoB), Tiguila Paes (PRTB), Du Cazellato (PP), João Mota Pinto (PSDC) e Zé Coco (PTB) foram apenas citados pelo anfitrião. Oxi! É impressão minha, falha do cerimonial ou nem todos os aliados terão o “privilégio” de sentar ao lado de Moura Junior (PMDB)? Ah, também pode ser uma estratégia do prefeito livrar-se de “certas cobranças” no “pé do ouvido”.  Quando digo que os Moura (pai e filho) são mais ligeiros do que trem bala, ainda tem gente que acha ruim.

Bem meus amores, por hoje é só. Uma semana abençoada para todos nós e que O NOSSO PODEROSO DEUS esteja sempre conosco. Muitos beijos e abraços. Au revoir!
Foto: Lucas Rodrigues/CP Imagem 

<imagem1>5d9fe42a0fd8b638c46617cb183ecb4c.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima