Correio Paulinense

Paulínia, 16 de junho de 2024
"PPP do PARQUE BRASIL 500": mais um “assalto" aos cofres públicos”, programado desde 2008; “PHD Comissionado” desenha o que é PPP; Os “DOIS PREFEITOS” e TIGUILA PAES na Corpus!

Última atualização em 29 de setembro de 2014

[imagem] Boaaaaaaaaaa noooooooite meus amoooooooores! Eita calor da gota serena. Misericórdia!  O quengo tá fervendo tanto que as vezes “dá branco”. Dá licença!  Mas, graças a Deus que tem chovido um pouco, para amenizar a seca. Por incrível que pareça ainda tem gente que não está nem aí para a água. Sexta-feira fui visitar rapidinho uma amiga no João Aranha e quando cheguei, a vizinha estava lavando a calçada. Saí cerca de meia hora depois e a “muié” ainda estava com a peste da mangueira ligada. Gente, a calçada é tão pequena que dois baldes médios cheios eram suficientes para lavá-la, mas ela deve ter gasto horrores de litros. Nossa Senhora! Quanta falta de consciência. Pela mãe do guarda! Até tive vontade de dizer “desliga a torneira, minha senhora”, mas fiquei com medo de tomar umas vassouradas nos cambitos (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
Falando em água, sabem por que o hidrômetro na José Paulino empacou feito uma mula nos 27 milhões cúbicos, desde que foi inaugurado? Porque não pagaram a empresa responsável pelo software que faz o equipamento girar. Se tivesse funcionando, com certeza a lavadora de calçada do João Aranha tinha feito o hidrômetro disparar (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).  Eita administração ruim de pagar, viu. Pelas madeixas da Rogéria!
Direto da Corpus, uma gaivota me contou que os “dois prefeitos” (pai e filho), acompanhado do pupilo aliado Tiguila Paes (PRTB), estiveram na empresa hoje (29) pela manhã. Assunto: demissão de funcionários. No final da conversa, eles conseguiram fazer a Corpus recuar e quem foi demitido será recontratado, segundo minha informante. Já uma funcionária da Corpus, com quem falei há pouco, me disse que a rodada de negociações continuou à tarde, no gabinete dos “prefeitos”. A Corpus resolveu demitir funcionários, segundo informações não confirmadas, porque não estaria recebendo em dia da Prefeitura.  Bom, pelo menos mais pais de famílias não ficarão desempregados, passando necessidades, como passam até hoje os mais de 400 do Caco e AIJ, por culpa dos malvados Moura (pai e filho).
A presença de Moura pai na reunião com a Corpus, para mim, indica que ele resolveu assumir de vez o posto de “prefeito de fato” e que não está brigado com o filho, como comenta-se por aí. Por outro lado, deve ser constrangedor e até humilhante o “prefeito de direito” precisar do pai a tiracolo para resolver questões que, se formos ver bem, nem dizem respeito a eles, já que a Corpus é uma empresa privada, podendo admitir e demitir como bem entender. Ai eu pergunto: que tipo de acordo fizeram as partes? Quais as exigências da Corpus, para voltar atrás nas demissões? 

É público e notório que as empresas concessionárias de serviços públicos servem de cabides de emprego para vereadores, prefeitos, governadores e presidentes. É um dos jeitos de “agradar” pelo contrato assinado numa determinada gestão. Porém, o problema é saber até onde um governante “manda” nesta empresa privada e em troca do quê? Falando nisso, minha gaivota disse que o vereador Tiguila (PRTB), aproveitando o clima favorável, pediu voto para Gustavo Peta (PC do B) e José Mentor (PT), seus candidatos a deputado estadual e federal, respectivamente. Tá certo, na reta final de campanha não se pode perder tempo, não é mesmo?
E o diretor de Finanças da Prefeitura, aquele que foi rabino no Paraná e que por “injustiça da vida” não ocupa o lugar de Guido Mantega, no governo Dilma, de tanto que entende de finanças públicas (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), deu uma “aula” para uma “sala quase vazia” sobre o que é uma PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA (PPP).  O “PHD Comissionado”, concordou comigo que a “PPP Administrativa do Brasil 500” será paga integralmente pela Prefeitura, mas acrescentou que o pagamento ao sócio privado é feito à medida que o serviço for sendo executado.

Antes de prosseguir, preciso fazer um pedido ao comissionado: “sabichão, quando copiar e colar em suas páginas sociais qualquer texto de minha autoria, por favor, seja ético e cite a fonte, caso contrário, vou entender que você já pegou o péssimo hábito de apropriar-se das coisas alheias”. Dado o recado, continuemos…

As coisas deveriam ser assim, lógico. Se a empresa presta o serviço recebe, caso contrário não.  Mas, o “PHD comissionado” deveria saber que na gestão Moura (pai e filho) não é assim que a banda toca. Tudo funciona ao contrário. O pai pagou R$ 114 milhões por uma Pirâmide que até hoje ninguém sabe, ninguém viu. O filho não pagou o aluguel das empilhadeiras do Centro de Medicamentos da City e não paga tantos outros fornecedores que já prestaram serviços à Prefeitura. Sem contar que ele não pagou nem a subvenção municipal da APAE e muito menos a verba enviada à entidade e a Casa do Menor pelo governo federal. “Explica isso à Paulínia, óóóóóóóó Senhor das Finanças”. Ahhhhhhhhhhhhhh vá! Lugar de boçal, metido a expert, é na baixa da égua (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).
Agora aposto com quem quiser que, caso este pesadelo vire realidade para os cofres de Paulínia City, os parceiros privados dos Moura (pai filho) receberão rigorosamente em dia, executando ou não o contratado.  E achando que o tonto da história não é ele, mas sim o povo, o diretor de Finanças diz que não existe “entregar o Parque Brasil 500” a quem quer que seja. Ai, ai, ai! Mas é assim mesmo. Aprendizes do mourismo, como ele, pensam que já dão nó até em pingo d’água. Ah tá! Disse e repito: além de entregar o Parque Brasil 500, que já custou milhões públicos, Moura Junior (PMDB) ainda vai pagar mais de UM BILHÃO DE REAIS, também públicos, para os amigos magnatas “cuidarem” do local e ainda lucrarem muuuuuuuuuuuuuuito com isso.

Aliás, Moura Junior não, pois o projeto nem é dele, é do pai, e ele nem teria competência para isso. Estou debruçado nesta PPP para poder dar uma “aulinha” (desculpa a pretensão, óóóóóóó Senhor das Finanças… gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas) do que realmente está por trás deste “ASSALTO PROGRAMADO”, desde 2008 e que, para mim, não passa da “aposentadoria polpuda” tão sonhada pelos chamados “zóios grande”. Me aguardem!

Até onde sei a “PPP do Parque Brasil 500” ou a “aposentadoria polpuda dos zóiudos” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas) deve passar pelo crivo da Câmara Municipal. Ixiiiii!!! Dou um doce para quem adivinhar o que já chegou aos meus ouvidinhos delicados, sobre isso. Pois é, os vereadores aliados já teriam “autorizado verbalmente”  (repito: teriam) mais este descalabro com “M de Moura”. Será verdade? Misericórdia!
Bem meus amores, por hoje é só. QUE A LUZ E A PROTEÇÃO DIVINAS ESTEJAM SEMPRE SOBRE NÓS. Uma semana repleta de maravilhas e felicidades! Muitos beijos e abraços. Au revoir!

Foto: Arquivo/CP Imagem

<imagem1>92ee35ce37c4798c80224f8c40817dd9.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima