Correio Paulinense

Paulínia, 22 de abril de 2024
“Paulínia precisa se preparar”, diz ministro França em encontro do PSB

Última atualização em 11 de novembro de 2023

Ministro Marcio França, Priscilla Bittar, Lúcia França, Wanderley Almeida e Marquinho Fiorella
Foto: Correio Imagem

Mizael Marcelly
Na manhã deste sábado (11), o Partido Socialista Brasileiro (PSB) de Paulínia reuniu centenas de pessoas em encontro regional, no bairro Saltinho, região noroeste da cidade.  Em pauta, principalmente, as eleições municipais do ano que vem. A legenda, que já governou o município, aposta na futura candidatura da advogada Priscilla Bittar ao comando do Paço Municipal.

O presidente local do partido, Marcos Roberto Bolonhezi, o Marquinho Fiorella, recebeu autoridades e lideranças pessebistas de várias cidades da região, entre elas,  Wanderley de Almeida, o Vandão,  e Perminio Monteiro,  vice-prefeito e vereador de Campinas, respectivamente; a jornalista, autista, mãe de autista e deputada estadual Andréa Werner (PSB); e Marcio França, ministro das Micro e Pequenas Empresas, acompanhado da esposa, professora e ex-primeira-dama estadual, Lucia França. “O ministro está aqui hoje, por amar o PSB e o povo de Paulínia, onde foi muito bem votado”, disse Fiorella.

Priscilla Bittar destacou o ministro França como um grande incentivador do desafio político que ela tem pela frente, e lembrou quando discutiu o projeto com ele. “O senhor me disse: você vai, as mulheres do PSB vão e a gente vai ter candidatas femininas.  Agradeço sua presença, agradeço seu apoio e a sua força”, disse. Bittar reconheceu ainda a firmeza com que Fiorella abraçou o nome dela como futura candidata da legenda. “Não pestanejou. Paulínia é uma cidade conservadora, mas a gente sabe, a mulher tá com poder, tá com força e vai vir com tudo”, ressaltou.

2024, Paulínia, reforma tributária e Bittar
O ministro Marcio França lembrou que as Eleições 2024 serão as primeiras do país com as regras novas, estabelecidas na minirreforma eleitoral de 2021, e destacou a atual situação dos partidos políticos brasileiros. “Quero lembrar, politicamente, o que tá acontecendo. Nós éramos 32 partidos, até duas eleições pra trás. E, agora, somos 21 partidos só. Os partidos estão sendo extintos porque não atingem uma quantidade de votos, e são obrigados a fazer fusão, de dois em dois, de três em três, para poder existir.  E aí é que tá a história: quem vai ficar vivo? Bem, no nosso caso, nosso partido , o PSB, tem 80 anos, é o partido mais antigo do Brasil. Então, nós que somos mais antigos no partido, nos sentimos na responsabilidade de não deixar esse barco desaparecer”. 

França frisou que com o fim das coligações partidárias (extintas a partir das eleições 2020)  ficou mais difícil formar uma chapa de candidatos a vereador. “Claro que quando você tem uma candidatura à prefeita, evidentemente, fica muito mais fácil, ajuda bastante, fazer a chapa de vereador.  Mas não é só a candidatura à prefeita. Dá pra escapar, quando você tem uma chapa completa (ao Legislativo) de  homens e mulheres” disse.

De acordo com o ministro, o PSB de São Paulo foi convencido por sua esposa Lúcia a lançar chapas a vereador, em 2024, com metade homens e metade mulheres.  “Olha, nós não somos a favor que o Parlamento tenha metade de mulheres e metade de homens, que os Tribunais tenham metade de mulheres e metade de homens? Se nós somos a favor, por que nós não fazemos isso, inicialmente, pelo nosso próprio partido? Vamos garantir que tenha metade e metade, porque pelo menos a gente dá um exemplo. Se todos os partidos fizessem isso, a chance de eleger mais mulheres era muito maior, é claro”, argumentou a professora, segundo França.

Aproveitando a oportunidade, o ministro alertou que Paulínia precisa se preparar para os impactos da reforma tributária. Aprovado pelo Senado na quarta-feira (8), o texto passará pela segunda e última votação na Câmara dos Deputados.  “Na reforma tributária, esse modelo (de arrecadação e distribuição de impostos) que existe no Brasil hoje vai mudar. E quando mudar, o que vai acontecer com as pessoas de Paulínia? Então, é preciso haver nessa transição gente que tenha cabeça de pensar em maneiras antecipadas para se preparar. Os países árabes, que têm muito petróleo, eles guardam um pedaço do dinheiro e investem em outras coisas, porque na hora que acabar o petróleo eles vão ter alternativas. Então, da mesma forma, Paulínia precisa se preparar para essa transição, que agora está marcada para acontecer, a partir da reforma tributária. Nos próximos dez anos, todo o modelo tributário brasileiro mudará. Vamos começar esse ano, e vai implantando gradualmente.

O ministro concluiu sobre o tema da reforma, se dirigindo diretamente à Priscilla Bittar:  “E aí tem que ter alguém preparado, que tenha abertura, que tenha acesso, que chame o presidente Lula e o presidente Lula saiba quem é, porque faz a diferença. Ele sabe quem você é, ele conhece você, ele sabe da tua história, e você vai ser muito importante pra gente. Eu tenho certeza que você terá o acompanhamento de uma pessoa muito especial (se referindo a Jacó Bittar, pai de Priscilla e ex-prefeito de Campinas, falecido no ano passado), que vai tá lá  guiando os seus passos, pra que você tenha uma trajetória bonita, a começar, aqui, pela Prefeitura”.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima