Correio Paulinense

Paulínia, 30 de maio de 2024
Paulinense viverá “Charles Chaplin” criança na nova megaprodução de Claudia Raia, estrelada pelo marido da atriz, Jarbas Homem de Mello

Última atualização em 22 de fevereiro de 2015

[imagem] Estrelado pelo multitalentoso Jarbas Homem de Mello, “Chaplin, o Musical” terá em seu elenco o pequeno Gabriel Lopes Esteves Cordeiros, de 10 anos, revelado pelo Estúdio Broadway de Paulínia, a primeira escola de teatro musical do país totalmente gratuita, dirigida pela renomada Fernanda Chamma, com patrocínio cultural da Brasil Oil, do empresário Tuta Bosco. 

As audições para a nova megaprodução de Claudia Raia, esposa do protagonista Jarbas, começaram quinta (19) e terminaram hoje (22). Segundo Fernanda Chamma, o paulinense Gabriel foi escolhido entre 70 crianças, de 7 a 10 anos, que concorreram para dar vida a Charles Chaplin na infância. “A conquista de Gabriel foi um presente, pois ele é um menino muito talentoso e escolheu o palco para a sua vida”, comentou a coreógrafa. A produção do musical avaliou os candidatos nos quesitos canto, dança e interpretação. 
“Chaplin, o Musical”, previsto para estrear neste primeiro semestre em São Paulo, narra a história de um dos artistas mais completos da história do cinema, que entrou para o mundo do entretenimento ainda criança e exerceu diversas funções longo da carreira, entre elas ator, diretor, produtor, humorista, empresário, escritor, comediante, dançarino, roteirista e músico. O espetáculo de Thomas Meehan e Christopher Curtir, responsável também pelas músicas da produção, estreou originalmente em 2006 no New York Musical Theatre Festival, passou pelo La Jolla Playhouse em 2010 e chegou a Broadway em 2012.
Resultado
Ao falar da seleção do garoto Gabriel, para “Chaplin, o Musical”, Fernanda Chamma relembrou o Projeto Paulínia Ao Vivo, pilotado por ela durante 4 anos e que acabou extinto na administração do ex-prefeito Edson Moura Junior (PMDB). 
“Foram 4 anos de seriedade e profissionalismo, para construir um projeto cultural de peso e resultado na cidade: o Projeto Paulínia Ao Vivo. Este foi destruído pela ex-secretária Mônica Trigo, colocando cerca de 900 alunos “sem teto”. Insistimos e conseguimos dar continuidade ao trabalho em 2014, criando o Estúdio Broadway: um espaço com aulas de canto, dança e teatro, totalmente gratuitos para a população. Além de um presente, a conquista do Gabriel nos mostra que nossa luta vale a pena“, disse ela, e finalizou: “Paulínia mostra, mais uma vez, que possui um trabalho cultural de resultado, independente da participação caótica da última gestão da Secretaria Municipal de Cultura”.

Foto: Divulgação

<imagem1>5f90e4e11253fb34d9a48777ce733789.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima