Correio Paulinense

Paulínia, 20 de julho de 2024
“PARA MUDAR, DE MENTIRA”: Tarifa PODE CHEGAR A R$ 3,90, se EXTINÇÃO da PASSAGEM A 1 REAL for aprovada; E a qualidade do transporte, vai melhorar?; O dinheiro do Subsídio vai para onde?

Última atualização em 5 de julho de 2017

Boaaaaaaaaaaaaaaaa noooooooooooite, meus amoooooooooooooores. Publicado segunda-feira (3) pelo Correio, o possível FIM da tarifa a R$ 1,00, de segunda a sábado, e do buzão “de graça”, aos domingos e feriados, é o tema mais discutido nas redes sociais e em quase todas as rodas da city. Opiniões contra e a favor, parciais e imparciais, coerentes e contraditórias, sobre a proposta do prefeito Dixon (PP), de acabar com os “benefícios”, são grandes “ganchos” para tombar as máscaras de “uns e outros”. Maaaaaaaaaas, nem pensar, perder meu tempo com “figurinhas” que, há muito tempo, perderam completamente o bom senso e a noção do politicamente ridículo.
Direto para a minha opinião. Como muita gente, SOU SUPER A FAVOR DE ACABAR COM ÔNIBUS DE GRAÇA AOS DOMINGOS E FERIADOS, e explico. Sou favorável, por causa dos baderneiros que aterrorizam passageiros decentes, agridem motoristas, danificam coletivos, entre outras barbaridades noticiadas por aí, e ninguém faz nada, efetivamente. Eles pintam, bordam, arrematam e sempre saem livres da “fita”, quando, adolescente ou adulta, essa turma deveria ser punida nos rigores das leis pertinentes aos crimes que pratica gratuitamente, por puro vandalismo e maldade. 
“Ah, mas prejudicar a maioria decente por conta da minoria marginal, não é justo”, muita gente pensa assim. NÃO É, MEEEEEESMO, em qualquer situação. Maaaaaaaas, O QUE FAZER QUANDO NÃO SE TEM UMA FORÇA DE SEGURANÇA PÚBLICA CAPAZ DE SEGURAR UM GRUPO DE “PIVETES”, METIDOS A VALENTÕES? Claro que, pagando ou não, esse tipo de “ALMA” será sempre “SEBOSA”, dentro ou fora dos ônibus. Todavia, acabando com a gratuidade no transporte urbano da city, acredito que o número de ocorrências dentro dos coletivos diminuirá consideravelmente, pois a maioria dos “atores” sairá de cena, e, assim, as pessoas de bem poderão usar o transporte com mais tranquilidade e segurança.
Agora, antes de dar minha segunda opinião, preciso destacar um ponto muito importante: GRATUIDADE AOS DOMINGOS E FERIADOS É UMA COISA, PASSAGEM A R$ 1,00 É OUTRA, COMPLETAMENTE DIFERENTE. Por isso, sou SUPER CONTRA o fim da tarifa a R$ 1,00. 
Primeiro: a ideia que o Passe Solidário proposto por Dixon (PP) vai atender só “quem realmente precisa” é estúpida e equivocada. Desempregado ou não, autônomo ou fichado, (repito) todos que usam o transporte público precisam. O subsídio da passagem ajuda muito no orçamento mensal de milhares de famílias, que, no final do mês, sempre têm uma “gordurinha” para investir no sustento do lar. 

ESCLARECIMENTO: Não existe relação entre o vale transporte e o preço da tarifa, por isso, o trecho da coluna com a informação errada foi retirado. Peço desculpas, pelo equívoco. 

Segundo: querer cortar, de supetão, algo que beneficia a maioria que mais precisa, sem sequer apresentar nenhuma garantia de que a medida vai melhorar o serviço de transporte, além de não apontar onde o dinheiro do subsídio será investido, na minha visão, é UM DESRESPEITO INACEITÁVEL COM A POPULAÇÃO alvo do corte em questão. 
Terceiro: uma das peças publicitárias da campanha do então candidato, hoje, prefeito, garantiu em letras quase garrafais “DIXON VAI MANTER A PASSAGEM A 1 REAL”. Além da peça, o próprio Dixon (PP) repetiu essa promessa em todas as reuniões, para angariar votos. Agora, na surdina, ele manda a extinção para a Câmara sem dar nenhuma satisfação à população que acreditou, sem explicar porque mudou de ideia, e sem dizer se tem algum projeto melhor para compensar aqueles que serão prejudicados, caso a Câmara aprove o corte da passagem a 1 real.. Não pode. Isso não é atitude de “gente do bem”. Isso é ESTELIONATO ELEITORAL. Ninguém pode enganar mais de 17 mil pessoas e ficar por isso mesmo.
Agora, vamos as possíveis consequências para os trabalhadores, caso a base aliada de Dixon (PP), na Câmara, embarque nesse ataque contra a população usuária do transporte urbano municipal. De cara, o trabalhador pagará R$ 2,85 na catraca, ou seja, o valor cheio da tarifa, atualmente dividido entre a Prefeitura (R$ 1,85) e o passageiro (R$ 1,00).  Sendo assim, tomando como exemplo uma pessoa que usa apenas dois ônibus por dia para trabalhar, aqui mesmo na city, em vez de R$ 2,00 gastará R$ 5,70/dia. Agora, imaginem o impacto no já apertado orçamento de quem pega mais de dois ônibus diariamente? Quem mora no João Aranha, por exemplo, e trabalha em Campinas, cuja tarifa custa R$ 4,40, tá lascado de “azul e branco”, as cores da campanha de quem prometeu manter a tarifa atual.
Maaaaaaaaaas, o babado pode ser ainda mais forte do que a população pensa. O último reajuste da tarifa foi em junho do ano passado, quando passou de R$ 2,60 para os atuais R$ 2,85. Obviamente, os custos da Passaredo subiram nos últimos 12 (doze) meses, certo? Pois bem, apurei com uma fonte do Paço Municipal, que a empresa já protocolou o pedido de aumento da passagem para R$ 3,90 – isso mesmo. Como o preço médio da tarifa na região varia entre R$ 3,60 e R$ 3,90, é de se pensar que a Passaredo pediu o valor máximo para, quem sabe, conseguir o mínimo. E com o desgoverno que temos, é bem capaz de conseguir até mais do que isso. Aí, é que vai ficar uma beleza para o trabalhador, né? Acho melhor todo mundo começar a fazer suas contas e se preparar para o que pode vir por aí.
“Ah, mais o fim do subsídio vai acabar com as greves, por falta de pagamento”, outra coisa que muita gente pensa, e com certa razão. Porém, a culpa das paralisações, que  nos anos passados tanto prejudicaram a população usuária, não foi da empresa e muito menos de seus funcionários, pais de famílias. Os únicos culpados foram os prefeitos irresponsáveis que não pagavam a empresa em dia, pelo serviço prestado ao município. Todo ano, o dinheiro para subsidiar a passagem sempre ficou garantido no Orçamento Municipal, aprovado pela Câmara.  Ou seja, dinheiro tinha, não pagavam porque remanejavam os valores para outros fins e deixavam de honrar o compromisso legal com a população.
No ano passado, os vereadores aprovaram a verba do subsídio de passagem para este ano. Então, é só o prefeito Dixon (PP) não fazer o que seus antecessores fizeram, pronto. Ele que pague a empresa direitinho, exija um transporte público de qualidade, ninguém faz greve e todo mundo fica feliz. Porém, pelo jeito, vale mais à pena NÃO HONRAR A PALAVRA DADA NA CAMPANHA ELEITORAL, E QUEM ACREDITOU QUE SE LASQUE!!!!
Mudando de assunto. Notícias de bastidores indicam que podem acontecer novas mudanças no secretariado do governo Dixon (PP). Vlamilson Vieira, titular da pasta de Planejamento,  estaria indo para a Cultura, no lugar da amada Janaína Padovani, que, por sua vez, voltaria para a Câmara, de onde é servidora, e indicaria o (a) substituto (a) de Vlamilson. Rumores, também apontam a possível transferência de Luciano Ramalho da Educação para outra pasta municipal, bem como a saída do governo do titular da Saúde, o médico Claudio Ernani Marcondes Miranda. Podem deixar, meus amores, pois, se algum desses rumores acabar se confirmando, apertarei a tecla “publique-se” rapidinho.
Bem, por hoje, só isso. Que NOSSO SENHOR JESUS CRISTO proporcione a todos uma noite maravilhoooooooooosa. Beeeeeeeeijos, beeeeeeeeijos!!! Abraaaaaaaaaaaaços!!! abraaaaaaaaaaaaços!!!. Au revoir!

Foto: Ilustração

<imagem1>tarifadeonibusPAULÍNIA.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima