Correio Paulinense

Paulínia, 22 de abril de 2024
Para evitar greve geral, Dixon (PP) tem que executar PCCV até o fim de fevereiro

Última atualização em 19 de janeiro de 2018

Os servidores da Prefeitura de Paulínia entraram em estado de greve. A decisão foi tomada em assembleia na tarde desta quinta-feira (18) e, segundo o sindicato da categoria, o motivo é a inexecução, até o presente momento, dos Planos de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PPCV) do Quadro Geral e do Magistério, aprovados pela Câmara de Vereadores e sancionado pelo prefeito Dixon Carvalho (PP) em dezembro passado. O estado de greve é um aviso para o governo pepista de que, a qualquer momento, os servidores podem deflagrar uma paralisação de fato nos serviços públicos municipais.
Os planos estão vigentes desde o dia 1º deste mês, mas, na prática, ainda não mudou nada para os funcionários públicos municipais. A administração Dixon Carvalho (PP) alega que o DRH (Departamento de Recursos Humanos) da Prefeitura precisa de seis meses para operacionalizar o enquadramento da categoria nas regras dos planos de cargos, carreiras e vencimentos. Já o STSPMP (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Paulínia) rebate que a Prefeitura teve prazo suficiente para se preparar e “os servidores não podem pagar pela ingerência da administração”.
Segundo o STSPMP, a assembleia de ontem decidiu uma contraproposta dos servidores para ser encaminhada ao prefeito Dixon (PP) e Ministério Público (MP). “Foi deliberado que a Administração apresente até o final de Janeiro cronograma que demonstre de forma clara e inequívoca a necessidade e procedimentos adotados para a implementação dos PCCV’s. Que até 28 de fevereiro seja totalmente regularizado os pagamentos, inclusive do retroativo do mês de janeiro”, explicou o STSPMP.
De acordo com os prazos estipulados pela assembleia da categoria, a greve de fato deve ser deflagrada a partir de 28 de fevereiro, caso o governo municipal não cumpra as leis 65 e 66/2017dos PCCV’s.  “A Greve em si deve ser pensada e planejada pelo Sindicato e pela Categoria de forma a cumprir todos os requisitos legais, para que não sejamos prejudicados. Por isso o Sindicato para cumprir todas essas etapas, optou por uma primeira ( ontem) assembleia deliberando apenas pelo Estado de Greve e ainda dispostos a dialogar (com a administração)”, explicou a entidade, que marcou uma segunda assembleia para 8 de fevereiro.

Foto: STSPMP/Reprodução

<imagem1>estadogreve_paulínia.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima