Correio Paulinense

Paulínia, 22 de maio de 2024
PALADINO DE ARAQUE: Quem é o defensor dos fracos e oprimidos? O que ele faz? Será que é um alto executivo das empresas Moura, com salário mensal de R$ 50 mil? Por que a Vereança dele não é para todos?

Última atualização em 20 de agosto de 2014

[imagem] Boaaaaaaaaaaa nooooooite meus amooooooores! A pauta exclusiva de hoje é o vereador Sandro Caprino (PRB), o mais controverso, demagogo e oportunista político que “apareceu” na city, nos últimos 21 anos. Venham comigo!

Ontem, na sessão da Câmara, ele deu um verdadeiro show de cinismo político e politicagem barata, que não se encontra em qualquer prateleira do ramo.  Foi uma verdadeira demonstração de menosprezo à inteligência dos paulinenses e total falta de compromisso com os princípios mais básicos da Vereança. A partir de agora, mostrarei um pouco deste  “PALADINO DE ARAQUE”, eleito para uma função (DEFENDER OS INTERESSES DA POPULAÇÃO), mas exerce outra bem diferente. 

O “espetáculo” de ontem comprovou que Caprino (PRB) usa parte do Acampamento Menezes para tirar, vergonhosamente, proveitos políticos próprios, como tenho dito várias vezes nesta coluna.  Aos gritos de “Sandro, Sandro, Sandro” e palmas, o “paladino” seguiu triunfante rumo à Tribuna da Casa. Por alguns instantes, a sessão virou um verdadeiro programa de auditório e só faltou o “apresentador” perguntar: QUEM QUER ABACAXI? Ao deixar a Tribuna, os gritos e palmas se repetiram, até ele ocupar a sua cadeira, onde deu mais alguns “showzinhos” de demagogia.

Todo mundo bem preparado e instruído, para aplaudi-lo e gritar o seu nome, no momento certo, vaiar e xingar colegas vereadores, no momento mais certo ainda. Quando o O Programa Especial Prioritário de Habitação (PL do Menezes) se apresenta como uma proposta para atender, com casas do 3º Módulo do Residencial Pazetti, famílias com renda mensal de 0 a 5 salários mínimos, em condições de vulnerabilidade social. Diante disso, como se explica o prefeito Moura Junior (PMDB) chamar com tanta antecedência (dia 8 de setembro do ano passado, quando o projeto foi protocolado na Câmara somente dia 3 de julho deste ano) e especificamente os moradores do Menezes, Fazendas Paraíso e Santa Terezinha, para informar que eles “ganhariam” casas no Pazetti? Como se explica o “paladino” Caprino (PRB) avisar os moradores do Menezes que o “projeto deles” havia chegado na Câmara? O Programa Especial Prioritário de Habitação não é para todos ou será que só existem essas famílias sem casa própria no município? Evidente que não.

Resumo desta “ópera”: Moura Junior (PMDB) precisa cumprir a promessa eleitoreira do pai com o Acampamento e o “esperto” Caprino (PRB) está aproveitando a situação para garantir, desde já, votos na eleição de 2016. Detalhe: às custas do sonho da casa própria de dezenas de famílias, que não sabemos se todas serão contempladas no Pazetti, e do constrangimento dos vereadores (repito, aliados e opositores) encurralados, politicamente, por ele e pelo prefeito. Exceto prefeito e líder, duvido que alguém diga o contrário. Vamos aguardar o desfecho final de tudo isso.


Agora, não consigo entender por que o “paladino das causas do povo”, (Caprino (PRB), não atuou com tanto empenho a favor das entidades sociais que seus “chefes” fecharam, deixando mais de 400 pais de famílias desempregados e milhares de pessoas desassistidas socialmente; das 120 crianças da APAE, que estão vivendo dias terríveis, desde que o governo ao qual ele “serve” cortou 80% do dinheiro da entidade e ainda não está pagando o valor que ele e seus colegas vereadores aprovaram; por que ele não convocou as quase 700 famílias do Pazetti para lotar o Plenário da Câmara, exigindo direitos iguais. Por quê? Como o “paladino” de todos, que quer parecer ser, ele deveria pegar todas as crianças da APAE e levar à Câmara, para obrigar o Presidente Marquinho Fiorella (PP) tomar uma atitude contra o calote que Moura Junior (PMDB) está dando na entidade.

Não faz porque é manobrado pelos responsáveis por todas essas atrocidades. Manobrado e cúmplice dos Moura (pai e filho), assim como são os demais vereadores aliados. Só atuam em áreas de interesse dos “chefes”, como é o caso do “PL do Menezes”, e o POVO, como um todo, que se f……


Antes de “premiar” Paulínia City com a sua “política para todos”, Sandro Cesar Caprino passou por Monte Mor, Holambra, Sumaré e Santo Antônio de Posse, não necessariamente nesta ordem, deixando, em cada um desses lugares, a sua marca política e empresarial. Em Monte Mor, “SC Consultoria e Eventos Ltda”, de propriedade de Caprino (PRB), é ré, juntamente com o ex-prefeito da cidade, Rodrigo Maia Santos, no processo 14131/026/09 do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que apura suposta fraude em uma licitação pública vencida pela empresa. Segundo o TCE, a empresa do vereador de Paulínia era de ramo diferente do serviço para o qual foi contratada pela Prefeitura de Monte Mor e que o preço cobrado não teve comprovada a sua compatibilidade com o de mercado. O processo rola até hoje. Em agosto do ano passado, quando fiz uma matéria sobre o caso, tentei ouvir a versão do vereador, mas ele não respondeu o meu e-mail, até hoje.

Em Sumaré, Caprino (PRB) foi dono da metade da empresa “SC Comércio Atacadista de Alimentos Ltda”, que fornecia cestas básicas para a Prefeitura da cidade vizinha. Os outros 50% da “SC” eram de Gisele Cavalcante Dias de Lima, que retirou-se da sociedade em  2012, juntamente com Caprino (PRB), então candidato a vereador de Paulínia, na época. Nos lugares dos antigos donos. entraram Daiane Ferraz Delazeri, do Jardim Nossa Senhora Aparecida, de Paulínia, e Cristiani Mendes de Souza, do Parque Villa Fores, em Sumaré. Pouco tempo depois, a paulinense também saiu da empresa, ficando apenas a sumareense, de acordo com os documentos da “SC”, inclusive cópia do seu primeiro contrato social, que obtive com exclusividade. 

Aliás, em 2012, quando deixou a “SC”, o endereço residencial de Caprino (PRB), registrado na ficha cadastral da empresa na JUCESP (Junta Comercial do Estado de São Paulo), era Rua José Toledo Piza, nº …. – Fundos, Jardim Nossa Senhora Auxiliadora, em Campinas. Oxi!  Ele foi candidato em Paulínia sem nem morar na city? Aliás (II), esse também foi um dos endereços aonde um Oficial de Justiça esteve procurando Caprino (PRB) para citá-lo no processo que Ecoway Mansões Santo Antonio Empreendimentos Imobiliarios move contra ele, mas a tia dele, disse que o sobrinho mudou para Paulínia, porém não sabia informar o seu novo logradouro. Aliás (III), no dia 12 de maio, agora, o Oficial de Justiça tentou, de novo, citar Caprino (PRB), desta vez na Rua Alexander Von Humboldt, nº …., Jardim Bela Vista, Campinas/SP, mas a atual moradora disse que desconhecia o paradeiro dele. Gente do céu, é só “colar” na Câmara de Paulínia (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 

Voltando. Segundo apurei, a empresa de alimentos de Caprino (PRB) fornecia cesta básica para Sumaré, em parceria com a mesma empresa que fornece cesta básica para Paulínia. Ou seja, ela comprava da concorrente e revendia para a prefeitura vizinha. Depois, segundo meu informante, as duas empresas se desentenderam, a “SC” teria ficado devendo mais de R$ 1 milhão à parceira e a “sociedade” teria ido para o espaço. Será que foi mesmo? A briga de “parceiros” foi parar até na polícia e na justiça. Também tive acesso a cópia de um e-mail que um respeitado advogado de Sumaré enviou para o então “atacadista” Sandro Caprino (PRB), “adiantando” a “composição das cestas” que a “SC” forneceria para a Prefeitura em 2011. Gente, é muito rolo. Mais do que podemos imaginar. Mas, aos poucos, vou desenrolando tudo (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Eita povo pra mim dá trabalho viu!

Em Holambra, Sandro Caprino (PRB) foi dono do jornal “O Município”, editado pela empresa RS Editora Jornalística Ltda ME, juntamente com Roberto Vicente (daí a sigla “RS” da razão social), na época, chefe de gabinete da então prefeita da cidade, Margareti Groot. De acordo com a imprensa holambrense, Caprino (PRB) era assessor político de Margareti, cuja administração foi marcada por uma série de denúncias de irregularidades. Em janeiro de 2013, Margareti apareceu numa reportagem especial do Fantástico (Globo), juntamente com outros ex-prefeitos brasileiros acusados de sucatearem os municípios que administraram até 2012. A ex-prefeita foi acusada de apropriar-se de móveis e computador da Prefeitura, mas alegou que havia comprado os objetos com dinheiro próprio. Margareti responde vários processos no TJ-SP (Tribunal de Justiça), por improbidades administrativas, inclusive com danos financeiros aos cofres de Holambra.

Pois bem. Como donos do “O Município”, Caprino (PRB) e Roberto Vicente foram condenados pela Justiça Eleitoral de Mogi Mirim, na ação em que o atual prefeito de Holambra, Fernando Fiori de Godoy, na época (2012) adversário de Margareti na disputa pela Prefeitura da cidade, pediu “direito de resposta” ao jornal. Eles não cumpriram a determinação judicial e foram multados em R$ 80 mil. Pelo acordo, o pagamento será feito em 77 parcelas, tendo vencido a primeira em julho de 2013. A Justiça acusou Caprino (PRB) e o sócio dele de fecharem o jornal com o objetivo exclusivo de burlarem a decisão judicial. De acordo com a sentença do juiz eleitoral Rafael Pavan de Moraes Filgueira, o jornal de Caprino (PRB) praticou injúria e difamação contra Godoy. Injuriou, caluniou, mas Margareti foi derrotada nas urnas. Como diz uma querida amiga minha: “Olhem, que belezinha!” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).

Como não conseguiu reeleger Margareti, Caprino (PRB) tratou de aproximar a amiga dos Mouras (pai e filho). A ex-prefeita e a filha, Patrícia Groot, acompanharam, “in loco”, a saga mourista em Brasília, durante a batalha judicial para colocar Moura Junior (PMDB) na Prefeitura da City. Uma gaivota me contou que, neste período (entre novembro de 2012 e maio de 2013), mãe e filha foram hóspedes assíduas do luxuoso Golden Tulip, o mesmo hotel dos Moura, na Capital Federal. Bem, pelo menos, algum “coelho saiu desse mato”. Patrícia Groot, está trabalhando na Secretaria dos Negócios Jurídicos de Paulínia. Na tarde de hoje, ligamos na SNJ e falamos com a própria. Caprino (PRB) “né” besta não: tem uma pessoa de confiança no Jurídico, outra no setor de contratos da prefeitura e por aí vai…(gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 

Falando nas empresas de Caprino (PRB), em sua ficha de candidato registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ele declarou apenas um apartamento, avaliado em R$ 280 mil. Entretanto, a sua ocupação é “Empresário”. Alguém sabe dizer onde o vereador trabalha? Do que ele vive? Do salário de Vereador, R$ 4.953,62 brutos/mês, tenho quase certeza que não é. Vai ver ele é um alto executivo de uma das empresas dos Moura (pai e filho), com salário mensal de R$ 50 mil, pagos em espécie e religiosamente em dia, lá no Barão de Café (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).

Bem meus amores, estes são apenas alguns “pedaços” do homem que exerce sem o mínimo pudor o papel de líder e defensor fervoroso de um governo cruel, irresponsável com as coisas públicas, que judia de crianças especiais, doentes de câncer, menores abandonados, deixa faltar remédios na rede, médicos no HMP e UBS, como o próprio Caprino (PRB) afirmou na sessão de ontem, enquanto torra milhões de reais públicos com tudo de supérfluo, que já sabemos. Sandro Caprino, os demais vereadores ou qualquer outro político desta city PODEM ME PROCESSAR QUANTAS VEZES QUISEREM E ENTENDEREM, mas só me calarei diante destas coisas QUANDO MORRER. Enquanto respirar continuarei sendo a “sarna” de todos os “CAPRINOS” e “MOURAS”, que insistirem  fazer o povo de trouxa, enquanto desfrutam de todas as benesses do poder, às custas do sofrimento das pessoas que lhes confiaram o PODER DE REPRESENTÁ-LAS NAS ESFERAS PÚBLICAS. 

Pra terminar, DESAFIO O VEREADOR SANDRO CAPRINO a desmentir qualquer um dos fatos aqui relatados,  e visando colaborar com ele, numa eventual ação judicial contra mim, terminarei esta coluna assinando o meu nome de nascimento.

Que todos tenham uma noite maravilhosa e protegida pelo nosso BONDOSO E MISERICORDIOSO PAI CELESTIAL. Beijos e abraços. Au Revoir”
Misael Marcelino da Silva

<imagem1>757300ec052cd13e7ed2a664e12f2f22.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima