Correio Paulinense

Paulínia, 20 de maio de 2024
Os “dois prefeitos” voltam à investir contra entidades assistenciais da city e desta vez até a memória da ex-primeira-dama Regina Moura está sendo desrespeitada por eles.

Última atualização em 13 de janeiro de 2014

[imagem] Boa taaaaaaarde meus amores. A minha agenda está tão tumultuada que papeamos apenas uma dia na semana passada.  Ufa! Mas a partir desta semana o nosso bate-papo de todas as segundas, quartas e sextas-feiras seguirá normalmente. Hoje não tem espaço para frescuras e muito menos gargalhadas, pois a pauta é muito séria.  Vamos lá, pois o babado é fortíssimo, por isso todo negritado.  

Sem ao menos explicar o porquê de tanto ódio pelas entidades sociais da city, o prefeito Moura Junior SIMPLESMENTE QUER TIRAR R$ 960 mil da Apae, R$ 259. 180,00 da Aupacc, R$ 497 mil da Casa do Menor e R$ 276.500,00 do Centro São Francisco de Assis. Como se não bastasse isso, o prefeito 100% manuseado pelo pai (politicamente falando) cortou 100% das subvenções recebidas por outras cinco entidades paulinenses. 

Mas, por outro lado, quer aumentar de R$ 80 mil no ano passado para quase R$ 200 mil a subvenção deste ano da Associação Assistencial Rainha do Engenho, além de destinar R$ 43 mil para a desconhecida Associação de Vivências Culturais “Viva Brasil”. Leia mais sobre isso.

Agora, a esperança de toda a sociedade paulinense, indignada com o genocídio das entidades sociais mais importantes da city, está depositada nos 15 Vereadores eleitos para defender os interesses da população, principalmente dos mais necessitados. O Projeto de Lei 055/2013, que pretende transformar em lei esta sujeira contra pacientes de câncer (Aupacc), crianças e adultos especiais (Apae), dezenas de órfãos (Casa do Menor) e centenas de pessoas carentes (Centro São Francisco de Assis) chegou à Câmara na última sexta-feira de 2013 e deve entrar na pauta de votação da primeira Sessão Ordinária de 2014, prevista para o dia 28 deste mês. SERÁ QUE OS VEREADORES APROVARÃO ESTE CRIME CONTRA AS PESSOAS QUE DEPENDEM DESTAS ENTIDADES? Não posso crer numa coisa dessas. 

Apesar de terem se curvado diante da vaidade do “prefeito de fato” (Moura pai), aprovando “Cidade Feliz” para o Paço Municipal, não imagino os evangélicos Sandro Caprino (PRB) e Danilo Barros (PCdoB), Custódio Campos (PT), João Mota Pinto (PSDC),  Zé Coco (PTB), Du Cazellato (PP), Gustavo Yatecola (PTdoB), Edilsinho Rodrigues (PPS), Marquinho Fiorella (PP) e Marquinho da Bola (PSB) confirmando que entregaram suas almas às “DUAS BESTAS FERAS” (politicamente falando) que estão no comando da city. NÃO IMAGINO. 

Esse não é o tipo de proposta que um vereador aliado normal assina embaixo, pois até aliança política tem limites. E é justamente isso que a bancada mourista na Câmara tem a obrigação de deixar bem claro para Moura pai e Moura Junior, reprovando veementemente cada virgula do Projeto 055/2013

Eu sei o quanto é difícil votar contra o vingativo e prepotente Moura pai, mas neste caso, o que está em jogo é o caráter pessoal de cada vereador, pois trata-se de vidas cuidadas com o  dinheiro dos impostos pagos por elas próprias. Pensem comigo: as “DUAS BESTAS FERAS” (politicamente falando) que comandam a city gastaram R$ 875 mil por dia do Festival de Cinema (foram quatro dias, totalizando R$ 3.500.000,00, segundo o jornal O Globo) e agora querem, por exemplo, reduzir de R$ 350 mil para R$ 90.820,00 anuais a verba da Aupacc, que trata pacientes de câncer. Como pode um vereador votar a favor de um absurdo desses?

Segundo apurei, até o Secretário de Saúde Renato Cardoso está indignado com o corte na subvenção da AUPACC. Também pudera.  A ex-primeira-dama Maria Regina Ferreira de Mattos e Moura, vítima do câncer em 4 de novembro passado, ajudou a fundar a AUPACC e foi presidente de honra da entidade durante vários anos. NEM ISSO MOURA PAI E MOURA JUNIOR ESTÃO RESPEITANDO. Pelo visto, a memória de Regina que se dane neh?. 

Digo isso porque não acredito que a saudosa aceitaria uma atrocidade dessas. O próprio viúvo escreveu e assinou, juntamente com ela, a seguinte mensagem: “Quando participamos com vocês do aniversário de primeiro ano da Aupacc podemos sentir a força e a energia positiva que cerca todo grupo. Nos fez termos a certeza que só o amor constrói a felicidade. Parabéns. Edson Moura e Regina”. 

Esta mensagem abre o álbum de fotografias que o então primeiro-casal enviou de presente à Aupacc, quando a entidade completou um ano de fundação, em agosto de 2004. No ano anterior acompanhei Regina no primeiro churrasco da entidade na casa da saudosa Rita Nick, uma das fundadoras do grupo. Naquele dia foi uma festa na Rua Malavazzi.

De blusinha rosa e calça jeans, Regina passou a tarde inteira interagindo com Maria Tereza, Rita Nick e outras pacientes, traçando planos para o futuro da entidade. Infelizmente, o trio já não está mais entre nós, mas graças ao empenho delas, hoje, Paulínia tem um centro de oncologia. Mas isso pouco importa para Moura pai e Moura Junior. Eles decidiram cortar drasticamente a verba da AUPACC e ponto final (?!?). E o filho ainda teve a cara de pau de inserir o SANTO NOME DE JESUS no slogan de “sua” administração. Só se for o “JESUS”, ex da Madonna. Ah, vá para os quintos dos infernos. 

Vejam bem: é inaceitável a Câmara Municipal autorizar o prefeito tirar descaradamente dinheiro de entidades de pacientes de câncer, pessoas especiais e menores abandonados pelas famílias. Este projeto infame será fundamental para a city descobrir de que lado estão os vereadores: do lado do povo ou das atrocidades deste governo inominável, em troca sabe-se lá do quê. 

E o vice-prefeito Bonavita (PMDB), será está concordando com isso? Não duvido nada. E o Ministério Público não vai se posicionar? Alguém tem que fazer alguma coisa. O que eu posso fazer, estou fazendo agora: repudiando mais este ato vil. 

Outra pergunta que não quer calar no caso das entidades é a seguinte: por que para conceder a subvenção o Prefeito precisa de autorização da Câmara e para cortar não? Isso não faz sentido. O Legislativo tem que mudar esta brecha absurda na legislação. O prefeito não pode simplesmente cortar uma subvenção aprovada pela Câmara sem justificar os motivos do corte. NÃO PODE. É inaceitável a Câmara continuar permitindo que Moura Junior (PMDB) faça o que ele fez com o Caco e a AIJ no ano passado e agora quer fazer com a Apae, Aupacc, Casa do Menor e Centro São Francisco de Assis.

No caso do Caco e AIJ, a Câmara não pôde fazer muita coisa, justamente por conta da brecha na lei das subvenções. Já a maldade que Moura Junior (PMDB) quer fazer contra a  Apae, Aupacc, Casa do Menor e Centro São Francisco de Assis só acontecerá se OS VEREADORES PERMITIREM, pois o projeto ainda será votado em primeira (legalidade) e segunda (mérito) discussão. Sendo mais claro: SE AS ENTIDADES FOREM MESMO PREJUDICADAS PELOS “DOIS PREFEITOS” A CULPA SERÁ DOS VEREADORES (AQUELES QUE VOTAREM A FAVOR, É CLARO). Não tem outra ótica. 

E mais: é chegada a hora de algum vereador, capacho ou não do atual governo municipal, criar um projeto tornando obrigatória a aprovação da Câmara para qualquer Prefeito cortar qualquer subvenção aprovada pela Casa. Quer cortar? Ótimo. É só pedir autorização aos Vereadores, justificando tecnicamente porque quer cortar. Só assim acabará essa pouca vergonha de tirar dinheiro de projetos sociais importantes para gastar com festival de cinema, palmeiras e outros absurdos que temos acompanhado. Finalizando: O PRESENTE E O FUTURO DAS ENTIDADES SOCIAIS DA CITY ESTÃO NAS MÃOS DOS SENHORES VEREADORES. Agora só resta esperar para saber quem é “joio” e quem é “trigo”.
Uma semana abençoada e protegida por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Muitos beijos e abraços. Au revoir!

Foto: Arquivo/CP Imagem

<imagem1>cc0ca55f3ff8b6a07db1624f4e13047b.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima