Correio Paulinense

Paulínia, 30 de maio de 2024
Orgulho de JHC; Prefeito vai gastar mais de UM MILHÃO E MEIO com assessores especiais; Tiguila pergunta o que eles fazem; Quanto custará a “Cultura” de Moura Junior?; O que dizer da “Diretora”?

Última atualização em 30 de setembro de 2013

[imagem] Bom diaaaaaaaaaaaaaaaaa meus amores. Começo a semana sem ter onde colocar tanto orgulho do deputado estadual e meu queridíssimo amigo alagoano João Henrique Caldas (PTN). Poucas pessoas sabem, mas trabalhei na assessoria de imprensa de JHC em 2010, quando ele foi eleito o mais jovem deputado da Assembleia Legislativa de Alagoas. Foi radiante vê-lo no Fantástico de ontem, como o descobridor do escandaloso desvio de mais de R$ 70 milhões dos cofres da ALA (dinheiro público) e único parlamentar que determinou a devolução de aproximadamente R$ 650 mil recebidos indevidamente por seus assessores. 
Durante a campanha eleitoral de 2010, acompanhei o então candidato JHC em “arrastões” e comícios por várias partes da Capital e do Estado e conheci de perto a miséria em que vive boa parte dos irmãos alagoanos. Falta quase tudo em quase todas as áreas. O povo é muito sofrido, carente e esquecido pelos poderes públicos. Aí, a gente ver uma ordinária que recebe R$ 12 mil como Assessora Especial da Assembleia recebendo também o Bolsa Família, um programa criado para famílias com renda de R$ 70,00, é muito revoltante.

 “Que o Ministério Público e os órgãos de fiscalização e controle possam se debruçar sobre toda essa documentação, para que possamos ter acesso a quantos milhões foram desperdiçados de dinheiro público pela Assembleia Legislativa”, destacou o deputado João Henrique Caldas ao Fantástico. Ano que vem estarei, outra vez, em Alagoas, dando a minha pequena contribuição para a reeleição de JHC. 
Em Paulínia o tipo de desperdício do dinheiro público com Assessores Especiais é outro. O prefeito Moura Junior (PMDB) montou um staff de 13 (treze) assessores, cada um recebe cerca R$ 10 mil por mês, juntos aproximadamente R$ 1.560.000,00 (um milhão quinhentos e sessenta mil reais) por ano, mas ninguém sabe direito o que eles fazem e onde atendem a população. Sim, porque todo e qualquer funcionário público (concursado ou de confiança) deve prestar serviços à população ou estou enganado? Esses assessores têm salas de trabalho, batem cartão? 
O Doutor Almério, ex-secretário de Saúde e um dos assessores especiais do prefeito, pode receber quase R$ 10 mil de salário da Prefeitura e ficar atendendo no Centro Médico de Campinas? Pode?  Paulo do Trem, que está preso desde o dia 10 deste mês, portanto sem dar expediente na Prefeitura, receberá o salário integral como assessor especial de Moura Junior (PMDB)? Essas são questões relevantes, porque quem paga a conta é a população. 
Nenhum prefeito pode colocar nas costas do povo os seus compromissos políticos. Por isso, o vereador Tiguila Paes (PRTB) está pedindo explicações ao prefeito Moura Junior (PMDB) sobre as funções de seus assessores especiais, onde efetivamente eles trabalham e quais os horários que cada um cumpre. A população precisa saber se essas contratações são realmente necessárias ou se não passam de mais uma farra com o dinheiro público.
Enquanto um assessor especial recebe quase R$ 10 mil por mês, a Secretaria de Esportes e Recreação (SER), por exemplo, não tem R$ 2 mil em caixa para a equipe de Handebol ir representar a cidade numa competição em Vitória (ES). Não é um absurdo? Falando na SER, amanhã, dia 1º, acontece o pregão eletrônico para contratação da empresa de arbitragem do Campeonato Amador 2013, previsto para começar no Dia das Crianças, 12 de outubro. Será que vai dá tempo? Jogadores, torcida e o novo colunista esportivo do CP Online, Lucas Rodrigues, esperam que sim. 
Não adianta Moura Junior (PMDB) apenas estampar no jornal do seu Secretário de Indústria e Comércio, Wilson Machado, que a Cultura da City voltará a brilhar no cenário nacional.  É preciso rasgar também quanto isso custará aos cofres públicos. Concordam? A adesão ao Sistema Nacional de Cultura (SNC) do Governo Federal trará recursos culturais para Paulínia ou teremos que gastar ainda mais? Até o final do ano, quantos milhões públicos serão gastos para patrocinar filmes que só rendem dinheiro para produtores e artistas? Quanto custará a Mostra de Cinema que a secretária de Cultura Mônica Trigo anunciou também para até o final do ano? Aliás, a ex-secretária Fernanda Cândido de Oliveira deixou prontinha a Mostra anunciada por Trigo, no jornal de Seu Machadinho. E o Paulínia Festival de Cinema 2014, quantos milhões? O Festival será nacional ou internacional como os “dois prefeitos” anunciaram, um dia após as eleições? A secretária de Cultura Mônica Trigo falou sobre tudo na página inteira que o  “Tribuna” dedicou à sua pasta, só não disse um “A” sobre valores. “Valores. O povo quer saber sobre valores, dona Mônica Trigo”
Embora tenha vindo do Ministério da Cultura de Brasilia, toda-toda, Mônica Trigo está baixando a bola, pelo menos no discurso. Sobre a Escola Magia do Cinema, ela disse que manterá o formato original, implantado pelo ex-prefeito Edson Moura (leia-se, a queridíssima Tatiana Quintella, que fez tudo). E ela que ouse não manter – toma um chute na bunda tão grande, que aterrissará em Brasília sem pegar avião (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Ela não conhece Moura! Trigo já está até defendendo o “conto do vigário” de que o Polo de Cinema gera emprego e renda para os paulinenses. É duro ver uma pessoa passando por cima do próprio know-how, para não desagradar o faraó.
Depois de escorraçar a queridíssima Lucia Abadia e por tabela o empresário paulistano que queria conhecer o Polo Cinematográfico de Paulínia, segundo o jornal de Seu Machadinho “todas as quintas-feiras a Secretaria está à disposição para atender a população”. A Secretaria ou a Secretária? Se for Secretaria mesmo, esta deveria estar aberta a população todos os dias, de segunda à sexta-feira, das 08hs às 17hs. Agora se for a Secretária, aí sim, envolve agenda e “tals”. Mas, duvido que seja a Secretária, pois ela só recebe de Sérgio Maberberti pra cima, meu bem. Trigo deu baixaria com Lucia Abadia, companheira fiel de Moura (pai e filho), imagine se ela vai “perder tempo” com “Zé das couve”. É ruim hein?
A Secretária Mônica Trigo também não disse nadica de nada sobre a tão comentada situação do Espaço Popular de Artes de Paulínia (EPA!). A mãe de um aluno de sapateado, que está no EPA! há cerca de quatro anos, está indignada com a possível extinção do programa. “O QUE SERÁ DE NOSSAS CRIANÇAS??? QUE ATIVIDADES ELAS IRÃO FAZER???”, perguntou a mãe na rede social Facebook. “Vamos juntos combater a mais essa FALTA DE RESPEITO E DIGNIDADE COM NOSSAS CRIANÇAS!!!”, disse ela. “E aí Secretária?”.  
“Artistas trazem apoio à Cultura de Paulínia” (retranca do jornal Tribuna de sábado 28, pág. 06). Manchete completamente equivocada, pois quem apoia os maravilhosos artistas brasileiros, que fazem a história do cinema, do teatro e da televisão deste País é Paulínia, o dinheiro do povo de Paulínia. Milhões patrocinam filmes, premiações do Festival, festas caríssimas somente para a nata, hotéis cinco estrelas, passagens aéreas e toda infraestrutura (quatro estúdios, telefone, água, energia, funcionários públicos) de graça. O título da retranca deveria ter sido “Artistas agradecem o apoio de Paulínia”. Apoio este que custa muito caro à Saúde, Educação, Segurança, Transporte e Moradia do município. To mentindo?
Enquanto um filme pode receber, por exemplo, R$ 1 milhão do governo Moura Junior (PMDB), o Esporte não tem dinheiro pra nada, instituições como o Caco e a AIJ têm as subvenções cortadas covardemente e os funcionários terão de esperar, talvez, anos para receber os seus direitos trabalhistas, pequenos fornecedores da Prefeitura tomam calote, famílias carentes não recebem o +PAZ de R$ 1.380,00 prometido, funcionários públicos são informados de um abono de R$ 1 mil em quatro longas parcelas de R$ 250,00 e ainda têm as horas-extras cortadas, faltam remédios na rede de Saúde, veterinário no Zoonoses, lanches e frutas para as crianças da Educação e por aí vai.. Como oferecer cultura para um povo nestas condições? Como? 
Cultura lembra Educação e eu me lembrei de Aristéia Evaldo. O que dizer de uma Diretora como ela, que recebe R$ 7 mil por mês de salário? Salário este, pago pelo povo, diga-se de passagem. Aliás, não preciso falar nada, pois o que estão falando dela no Facebook… Ainda bem que em 20 anos NUNCA FUI CARGO DE NENHUM PREFEITO OU VEREADOR, embora tenha sido convidado várias vezes. Misericórdia! No máximo, trato este povo como meros empregados do povo (assim eles são), sem nenhuma intimidade pessoal. Eles até tentam, mas cada um no seu quadrado. 
Amanhã, dia 1º, tem sessão da Câmara Municipal.  Além das Proposituras atuais, entrará em votação as que não foram votadas na sessão do dia 17, devido a falta de energia no Vista Alegre, bairro onde fica localizada a Câmara. Devido à incompetência de Arturzinho Freire, Secretário Jurídico de Moura Junior (PMDB), mais uma vez, nenhum projeto de lei do Prefeito será votado.  O Plenário votará 4 (quatro) Projetos de Lei e 2 (dois) Decretos Legislativos de Vereadores. Ainda não se sabe quando o PL 026/2013, do abono do funcionalismo, retornará à Câmara. 
Bem, meus amores, se ainda não sabemos quando o abono será votado, pelo menos eu sei que por hoje está de bom de tamanho. Que a nossa semana seja muito abençoada, repleta de graças e muita proteção do NOSSO AMADO SENHOR JESUS CRISTO. Beiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiijos. Abraaaaaaaaaaaaaaaaços. Au revoir!

<imagem1>6f504bbcf8cfc40df4086a1d6f895971.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima