Correio Paulinense

Paulínia, 25 de maio de 2024
NA CORDA-BAMBA! Promotor Eleitoral do Estado pede a cassação de Moura Junior (PMDB) e Bonavita (PTB) e a “cobra pode fumar” para os “salvadores da pátria”

Última atualização em 25 de outubro de 2013

[imagem] Bom diaaaaaaaaa meus amores! Neste momento (11h00), o Secretário de Habitação Danilo Garcia está reunido com os vereadores, no Plenarinho da Câmara. A presença do secretário de Moura Junior (PMDB) no Legislativo atende a convocação feita pelo vereador Tiguila Paes (PRTB), que quer saber tudo sobre os Residenciais Vida Nova e Pazetti, o Acampamento Menezes e as Fazendas Santa Terezinha e Paraíso. Quem sabe deste encontro saiam as respostas que tanto as famílias moradoras e futuras moradoras destas localidades esperam. Vamos aguardar.

Esta semana o Procurador Regional Eleitoral,  André de Carvalho Ramos, “meteu a caneta” no Vice-Prefeito Bonavita (PTB) e por tabela no prefeito Moura Junior (PMDB). O respeitado Procurador da Justiça Eleitoral do Estado pediu segunda-feira (21) a cassação dos diplomas de Bonavita e Moura Junior em três processos distintos, porém praticamente pelos mesmos motivos: captação ilícita de sufrágio (a popular COMPRA DE VOTOS), abuso de poder econômico, corrupção ou fraude e a inelegibilidade do vice-prefeito.  Nos três processos, Doutor André pede a cassação de Prefeito e Vice e os pedidos já estão na mesa da relatora dos casos, a desembargadora Diva Malerbi (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo).  
Com este novo capítulo da surreal “novela política” da city  todo mundo está perguntando as mesmas coisas. Prefeito e Vice deixarão a Prefeitura? Caso Moura Júnior  e Bonavita percam os cargos como fica a situação de Paulínia:  o presidente da Câmara assume a cadeira provisoriamente, o ex-prefeito José Pavan Júnior (PSB) reassume, já que foi o segundo colocado nas eleições passadas ou teremos novas eleições para Prefeito? Essas são as três perguntas que não querem calar. Tem gente até confundindo Viagra com Rivotril, de tanto nervosismo com isso (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).
Vejam bem, em se tratando de Justiça não adianta se desesperar, achando que já foi pra “caixa de brita”, ou comemorar algo que ainda não aconteceu. As leis brasileiras em geral são cheias de brechas que protegem, sobretudo, a impunidade. Tanto tudo é possível que o TSE assinou embaixo  a maior e mais descarada fraude eleitoral – “VOTE EM 1 E LEVE 2” –  de Paulínia e quiçá do Brasil  e hoje Moura Junior está no comando da cidade – com altos riscos de ter que sair, mas está.  Por isso, é bobagem cantar “Besame Mucho”, antes do tempo.  Falando em cantar, gente que antes cantava  o tempo todo “eu quero ele de volta, eu quero ele de volta” agora quer que ele vá pra “baixa da égua”  (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
Caso a relatora das “broncas” eleitorais de Moura Junior e Bonavita acompanhe o voto do Doutor André, o processo chega no Plenário do TRE já com um voto contra o prefeito e o vice de Paulínia.  O voto da desembargadora Diva pode ser ou não acompanhado por seus colegas. Caso a maioria dos desembargadores vote pela cassação de Moura Junior e Bonavita eles certamente vão recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ficarão nos cargos, até a decisão final do Tribunal de Brasília.  Já sei que todo mundo está se perguntando, neste momento, o seguinte: E ISSO DEMORA? Em minha opinião não deve demorar tanto quanto demorou para o TSE decidir que Moura Junior podia assumir a cadeira. 
Neste caso, foram 7 meses de espera. A city quase enfartou, muita gente deixou de “fazer menino” porque a “miserávi” da “ferramenta” não quis trabalhar nem a pau (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), neguinho gastou tudo o que tinha com fogos e hoje está chupando dedo e ainda por cima devendo no Paturi (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas)  e por aí vai. Porém, na época em que todo mundo perguntava “quando seria a posse”, que aconteceu dia 16 de julho passado, a Justiça Eleitoral daqui, de São Paulo e de Brasília estavam superlotadas de processos das “Eleições 2012”. Hoje, o volume para julgamento é infinitamente menor, por isso acho que o “galho de goiaba” vai “avermelhar cambitos” mais rápido do que imaginamos. É o que eu penso.
Vejam bem, independente do governo Moura Junior (PMDB) ser cassado ou não, a verdade (e não a minha verdade, mas sim a verdade da maioria da city) é que a atual administração, até o dia de hoje, 25 de outubro de 2013, é a maior decepção política de Paulínia. Eles demoraram para assumir a Prefeitura, mas depois que assumiram baixou um espírito destruidor, que só pela misericórdia de Deus. Pra começar, Moura Junior (PMDB) prometeu ônibus de graça pra todo mundo e 74 dias depois mandou um projeto completamente diferente para a Câmara e os vereadores derrubaram. 
Depois o prefeito anunciou um abono para o funcionalismo público municipal  de R$ 1 mil, porém, em quatro parcelas iguais, uma por ano, até 2016. Ainda bem que antes de deixar o governo, o espirituoso Pavan (PSB) concedeu 6% de aumento e ainda criou a data-base para o funcionalismo. Por mais que digam alguns servidores, principalmente os que ganharam cargos de confiança de Moura Junior, a frustração na categoria é geral e visível. Todos esperavam “milão” de uma vez só. 
O projeto do abono também foi mandado para a Câmara dois meses depois da posse e até agora não foi concluído totalmente. Está faltando o prefeito responder os questionamentos feitos pelos vereadores Gustavo Yatecola (PTdoB) e Edilsinho Rodrigues (PPS), para acontecer a segunda e última votação (mérito) do abono e, finalmente ele cair na conta dos servidores, provavelmente, ainda neste mês de outubro. Será que vai dá tempo? Um passarinho me contou que ainda está tudo muito enrolado e por isso acha melhor o servidor não contar com o “extra” no salário deste mês.  Com a Tarifa Zero também foi assim. É de lascar!
Depois Moura Junior (PMDB) fez, talvez, a maior burrada da sua recente vida de prefeito: CORTOU AS SUBVENÇÕES DO CACO E DA AIJ (Antiga Guardinha), obrigando as entidades a fecharem as portas, literalmente. A covardia meramente política deixou desempregados mais de 400 pais de famílias, que trabalhavam nas duas entidades, desamparou milhares de crianças, adolescentes e jovens e acabou com programas sócio-educativos da maior importância para a população carente do município. 
O 37 anos de história e ações em prol dos mais necessitados do Caco foram interrompidos da forma mais covarde que existe: sem ninguém ter sido avisado antecipadamente de nada. O prefeito Moura Junior (PMDB) simplesmente resolveu tirar o dinheiro que sustentava as entidades e pronto. Aliás, não somente o dinheiro. Ele mandou tirar até os carros que pertenciam ao município e eram usados pelo Caco. Nem para isso a entidade foi preparada. “Capangas” do governo chegaram lá e disseram que o prefeito mandou buscar os carros e assunto encerrado. Uma verdadeira atrocidade e falta de respeito com a população carente, pois estes carros estavam, também, a serviço do povo.
Parecendo ter reconhecido a “caca” que fez, Moura Junior (PMDB) mostrou a intenção de liberar o dinheiro para o Caco e a AIJ indenizarem os seus trabalhadores. Mero engano. Foi tudo truque para ganhar tempo e fazer parecer que “não era nada pessoal”. O prefeito, através de seu Secretário Jurídico, Arthur Augusto Campos Freire, prometeu duas vezes pagar os direitos dos pais de famílias, mas não cumpriu nenhuma delas.

Arrumou um monte de desculpas esfarrapadas para não honrar a palavra e até hoje as pessoas estão sem receber e passando necessidades. Quarta-feira (23), Doutor Arthur, atendendo a mais uma convocação do vereador Gustavo Yatecola (PT do B), esteve quarta-feira (23) na Câmara (resumindo) foi taxativo. SÓ NA JUSTIÇA. E ele nem ficou com a cara vermelha. Vergonha alheia!

A esperança dos direitos destes trabalhadores serem reconhecidos e pagos está na ação que o Ministério Público do Trabalho (MPT) está movendo contra as entidades e a Prefeitura. No caso da AIJ a primeira audiência já está marcada para 09 de fevereiro de 2014. É longe, eu sei, mas pelo menos os ex-funcionários estão sendo defendidos dos desmandos da atual administração. 
Bem meus amores que o TRE e TSE vão mesmo tirar Moura Junior e Bonavita  de seus respectivos cargos, ninguém pode afirmar com toda as letras. Que alguma coisa vai acontecer, com certeza vai. Agora, enquanto a Justiça Eleitoral analisa o que fará com os supostos crimes eleitorais cometidos pela dupla que comanda a city, devemos voltar a nossa atenção para o caos em todas as áreas do município. 
A Saúde está pior do que estava. To errado? A Segurança nem se fala. To errado? A Educação continua piorando. To errado? O Social, se não fosse os programas do PAS de Pavan, as pessoas mais necessitadas estariam lascadas. To errado?  Cadê o +PAZ de R$ 1.380,00 prometido? Pergunta besta essa minha: Ora, o +PAZ está no material de campanha de Moura pai e também no “plano de governo” do filho e pelo visto não sairá de lá nem tão cedo, isso se sair. (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
Falando em sair eu vou saindo de fininho. Que DEUS TODO PODEROSO NOS GUIE E PROTEJA SEEEEEEEEEEMPRE.  Um fim de semana abençoado para todos nós. Beijoooooos! Abraaaaaaaaaaços! Au revoir! 

<imagem1>59fdd34439fd7aebf398442745303e3e.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima