Correio Paulinense

Paulínia, 19 de maio de 2024
É muita vaidade pra “pouco rei”: A CÂMARA NÃO PODE SER A FAVOR DO EGO DE MOURA E CONTRA A EMANCIPAÇÃO DA CITY. Pode?

Última atualização em 22 de dezembro de 2013

[imagem] Paulínia foi emancipada em 28 de fevereiro de 1964 e em 21 de março de 1965 teve o seu primeiro prefeito, o saudosíssimo José Lozano de Araújo, que trouxe a maior refinaria de petróleo e derivados da América Latina para a city. O dia da emancipação deu nome ao prédio da Prefeitura, “Palácio 28 de Fevereiro”, onde hoje funciona a sede do Poder Judiciário local. É a única referência do dia mais importante da história da cidade. Não existe uma rua, avenida ou viela que lembre a liberdade político-administrativa da ex-Vila de José Paulino. 

Mas, quem disse que A  EMANCIPAÇÃO DE PAULÍNIA  É MAIS IMPORTANTE DO QUE O EGO DO EX-PREFEITO EDSON MOURA? Simplesmente, ele mandou o filho e atual prefeito, Moura Junior (PMDB), enviar um projeto de lei (o 42/2013) para a Câmara Municipal, mudando o nome do “Palácio 28 de Fevereiro” para “Cidade Feliz”, o slogan de sua campanha política de 1992. Pode um absurdo desses? Isso é uma afronta inadmissível à história de Paulínia, a história de uma cidade.  
Na maior cara de pau, Moura pai mandou Moura Junior escrever no projeto que o nome da atual sede da Prefeitura conflita com o nome do Fórum. “Ah, façam-nos o favor. NÃO NOS TOMEM POR IMBECIS. O Fórum mudou para o antigo prédio da Prefeitura, que por sua vez mudou para a obra superfaturada atual. Ou seja, o PALÁCIO 28 DE FEVEREIRO só mudou de endereço – só isso.  Vocês que tirem a placa de lá e deem um nome ao prédio do Judiciário Municipal. Querem uma sugestão? Aí vai: Fórum Municipal de Paulínia Dr. Antônio Jeová da Silva Santos”. 
Independentemente de ter sido três vezes, Edson Moura foi apenas prefeito da cidade e não o emancipador e muito menos dono de Paulínia. Como todos os demais ex-prefeitos Moura também “já era” – queira ele ou não. Por isso, ele não pode impor a sua marca político-pessoal à um prédio público, construído com dinheiro público e símbolo do grito de liberdade do povo paulinense. Não pode de jeito nenhum. Não podemos engolir esse egocentrismo tamanho do mundo. De jeito nenhum. Em vez de ele pedir para o filho enviar à Câmara projetos para a Saúde, Educação e Segurança, que estão agonizando, manda o herdeiro colocar a marca dele no prédio da Prefeitura? Ah me poupe. É MUITA VAIDADE “PRA POUCO REI”. 
Esta mudança absurda está nas mãos dos Vereadores da Cidade. Na sessão do dia 10, o projeto foi votado em primeira discussão (legalidade). Ângela Duarte e Tiguila Paes, ambos do PRTB, votaram contra – contra o egocentrismo de Moura. Os demais, exceto o vereador Marquinho da Bola (PSB) que esteve ausente, votaram à favor. A segunda e última votação (MÉRITO = MERICIMENTO) deve acontecer na próxima terça-feira, dia 24. É aí que a Câmara Municipal tem que dar uma lição de respeito a história da cidade. QUEM MERECE NOMINAR A SEDE DA PREFEITURA O DIA DA EMANCIPAÇÃO DA CIDADE OU O SLOGAN DE UMA CAMPANHA POLÍTICA DE MIL NOVECENTOS E LÁ VAI?
Os vereadores não podem ser fracos ao ponto de se renderem a vaidade de um EX-CHEFE DO EXECUTIVO MUNICIPAL, que desde 1º de janeiro de 1993, quando começou o primeiro de seus três mandatos, acha que se tornou DONO DA CITY e é MAIS IMPORTANTE DO QUE A EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE PAULÍNIA. Não é meeeeeeeeeeeeesmo e a Câmara não pode assinar embaixo QUE É, aprovando o Projeto. Esse projeto tem que ser derrubado no MÉRITO=MERECIMENTO por respeito à Paulínia, cidade de todos os paulinenses (natos ou adotados) e não um terreno de 139 km2 escriturado em nome de EDSON MOURA. Concordam?
Fiquem com NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Muitos beijos e abraços. Au revoir!

Foto: Lucas Rodrigues;CP Imagem

<imagem1>d121456ced8e789491745798e73dfe39.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima