Correio Paulinense

Paulínia, 30 de maio de 2024
Moura pai e Junior decretam a “falência das entidades” e ainda colocam a Câmara Municipal em um beco sem saída: aprova ou aprova. Maquiavélicos é pouco!

Última atualização em 17 de janeiro de 2014

[imagem] Boa nooooite meus amores. Para evitar especulações e maledicências informo que, definitivamente, NÃO FAÇO MAIS PARTE DA EQUIPE POLÍTICA DO VEREADOR TIGUILA PAES (PRTB). Espero que o Vereador continue fazendo da DEFESA DOS INTERESSES DA POPULAÇÃO a principal base de seu mandato, pois esta é a única forma de um POLÍTICO NOVO tornar-se um NOVO POLÍTICO, aprovado e admirado por quem verdadeiramente merece total e incondicional respeito: O POVO. Assunto encerrado. Vamos aos bafos de hoje!

A malandragem política do atual/velho governo municipal é uma praga que requer monomotores e mais monomotores de pesticida dos mais fortes. Moura Junior (PMDB) quer torar as pernas da Apae, Aupacc, Casa do Menor e Centro São Francisco de Assis e ainda pode sair “bem na fita”. Não entenderam? Eu explico. Em 2013 a Apae recebeu 1.200, 000.00 (um milhão e duzentos mil reais) da Prefeitura e este ano receberá apenas R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais), R$ 960 mil a menos, pelo Projeto de Lei 055/2013 de autoria dos implacáveis cortadores de subvenção, pai e filho. 
Aí é que entra a astúcia do maquiavélico “prefeito de fato”, Moura pai: se os vereadores não aprovam o PL as entidades não recebem nenhum centavo este ano – é tudo o que ele e o filho querem para queimar os vereadores e ainda terem mais dinheiro para o Festival Internacional de Cinema, em julho. Trocando em miúdos: eles reduzem os caixas das entidades à pó, prejudicam outras centenas de pessoas SEM DÓ NEM PIEDADE e deixam os vereadores num beco sem saída. Maldade pouca é bobagem. Resultado: a Câmara é obrigada a aprovar o PL 55, caso contrário as entidades ficam sem nenhum tostão. 
Vou continuar insistindo na mesma tecla. Se a Câmara autoriza o Prefeito à conceder subvenções não faz sentido o Prefeito cortar ou reduzir os subsídios à seu bel prazer, sem consultar quem o autorizou. NÃO FAZ SENTIDO. Os vereadores têm que arrumar uma forma legal de amarrar concessão, corte ou redução de subvenção numa lei só, para impedir que os “vândalos políticos” continuem deitando e rolando em cima de entidades e pessoas. Por exemplo: Vanda Camargo, ex-presidente e voluntária há vários anos da Apae foi Vice-Prefeita na gestão Pavan Junior (PSB). Quem garante que os “dois prefeitos” não estão atacando o caixa desta renomada entidade por motivos políticos? Quem garante? Conhecendo-os do jeito que conheço…
Hoje pela manhã, as entidades estiveram na Câmara da City discutindo com os vereadores as graves consequências produzidas de imediato pela medida do atual governo municipal. Por exemplo: a Apae não teve dinheiro para pagar anteontem (15) o vale dos 44 funcionários que cuidam das 137 crianças especiais, assistidas pela entidade. Tudo porque, além de tirar R$ 960 mil da Apae, Moura Junior (PMDB) mandou o PL 055/2013 às 17hs27 do dia 20 de dezembro, sendo que a última sessão do ano aconteceu na segunda-feira, dia 23. Ou seja, a Câmara não teve tempo hábil para colocar o projeto em votação, já que antes de ir à Plenário todos os Projetos de Lei passam pelas Comissões Legislativas pertinentes. E assim como a Apae, as demais entidades também já enfrentam problemas. CONFIRA GALERIA DE FOTOS!
É o que eu digo: este governo implacável até com crianças, pacientes de câncer, menores abandonados e a população mais necessitada da city, além de decretar a falência de entidades sociais importantes, sem avisar ou sequer explicar nada à ninguém, não teve a decência de pelo menos mandar o projeto das subvenções deste ano com antecedência para a Câmara conseguir votar em tempo hábil e as entidades não serem prejudicadas.

Ai vai uma “Senhora”  no Facebook e posta o seguinte: (…) Edson Moura Filho, prefeito, pessoa bondosa, amorosa, cuidadosa, e que ama tanto o povo, planos maravilhosos, todos os moradores paulinenses são amados pelo nosso querido prefeito (…) Imaginem então se ele odiasse. Ah, dá licença! É ou não é de lascar?

O diretor financeiro da Apae, Genésio Pires, disse que entrará na Justiça se a redução da verba da entidade não for revista pela administração. “Dou a vida pelas crianças da Apae. Elas são o meu foco. Tiraram uma grande parte da nossa verba sem nos avisar. Vamos à Justiça, às ruas, faremos manifestações, pois como vamos cuidar de 137 crianças especiais?”, questionou ele. As declarações do representante da Apae foram muito comoventes. Em instantes você confere matéria completa sobre a reunião de hoje. 
Após a reunião, Fábio Valadão (PROS) me disse que vai propor o mês de setembro como prazo máximo para o Executivo enviar o Projeto de Lei das Subvenções para a Câmara Municipal, assim o irresponsável do prefeito que aí está não manda na hora e dia que ele bem entender. O também Presidente Municipal do PROS prometeu pedir um parecer técnico à Procuradoria Jurídica da Casa sobre um projeto de lei que obrigue o Chefe do Executivo Municipal informar à Câmara corte ou redução de subvenções com antecedência, ou seja, antes de “descer a caneta” em todo mundo, prejudicando entidades essenciais na vida de pessoas com todos os tipos de necessidades, inclusive, de tratamento para doenças graves, como o câncer. Que mexam na Lei Orgânica do Município, no Regimento Interno da Câmara ou reescrevam as Tábuas de Moisés, se preciso for, mas tirem dos “tiranos” este poder, especificamente.
Mudando de assunto. O Projeto Cre-Ser pediu para a Prefeitura mandar limpar o mato e recolher os entulhos que tomam conta do local, onde mais de 100 crianças carentes da região do Cooperlotes e Bom Retiro praticam futebol, hip hop e aprendem artesanato, mas até agora nada. Segundo Santiago, presidente da entidade, o pedido foi protocolado há cerca de seis meses e a volta das oficinas e escolinhas programada para fevereiro podem não acontecer.

O prédio do Cre-Ser, que pertence ao município, está em péssimas condições e o problema do mato e entulhos agravam ainda mais a situação. Ainda segundo o presidente, Mechinha Aguiar prometeu resolver o problema, mas até a presente data tudo continua do mesmo jeito. Pois é, enquanto os arredores do PALÁCIO 28 DE FEVEREIRO está um luxo, limpo e com palmeiras iluminadas por holofotes esverdeados, toda a periferia da city é lixo só. Me abana Chica!!!

E o Carnaval 2014 gente? Um passarinho me contou que o governo Moura Junior (PMDB) propôs R$ 70 mil como prêmio de participação na folia deste ano para as escolas de samba que desfilarem no sambódromo. Ou seja: cada escola gasta até esse valor com fantasias e alegorias, desce a avenida e depois recebe o investimento de volta. Será que recebem? Quem se arrisca? Lembrem-se que, até hoje, este governo não tem feito outra coisa a não ser dá “calote na população”.

No comando de tudo o secretário de Obras, Eduardo Ferreira, e não a queridíssima Elisabeth Britto, secretária de Turismo e Eventos, responsável pela Folia de Momo. Misericórdia! “Agradável, simpático, calmo e educado” do jeito que Eduardo é até imagino os dias de cão que Beth e a equipe estão vivendo. Mas, eles que são “mouristas” que se entendam.

Um fim de semana maravilhoso, espetacular e super abençoado por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Beijos, muitos abraços e até segunda-feira com mais bafos e babados. Au revoir!
Foto: Lucas Rodrigues/CP Imagem

<imagem1>ae767940e1e7f0112940365e523053ec.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima