Correio Paulinense

Paulínia, 20 de maio de 2024
Moura Junior (PMDB) não apresenta certidões solicitadas por vereadora e manda a própria Câmara “correr atrás”

Última atualização em 14 de novembro de 2013

[imagem]  “No que tange a solicitação de certidão de objeto e pé de todas as ações judiciais trabalhistas sofridas pelo Município sobre a concessão de abono, consignamos, que, em sendo de interesse desta respeitável Casa de Leis, tais certidões podem ser solicitadas diretamente no Fórum Trabalhista de Paulínia (Poder Judiciário), por  ser este o órgão responsável pela emissão”. Esta foi uma das respostas do prefeito Edson Moura Junior (PMDB) ao pedido de informações feito pela vereadora Ângela Duarte (PRTB) sobre o projeto de Lei 026/2013, que trata do abono dos servidores públicos municipais.  As respostas do Executivo foram protocoladas na Câmara Municipal às 17hs51min da última terça-feira (12), dezoito dias após o prefeito ter sido oficiado,  o que acabou adiando a votação final do projeto. 

Em relação ao impacto financeiro que o abono causará nas contas do Pauliprevi, após ser incorporado no salário do servidor, Moura Junior (PMDB) respondeu que, neste sentido, o instituto de previdência do funcionalismo municipal pode, se for o caso, elaborar um estudo durante o processo da eventual incorporação do benefício, o que deve ocorrer somente após o pagamento da última parcela, em março de 2016.
Polêmica
Desde que foi anunciado no dia 22 de julho passado pelo prefeito Edson Moura Junior (PMDB), o abono de MIL REAIS, parcelado em quatro anos, tem gerado várias discussões. No encontro com os servidores no Pavilhão de Eventos do Complexo Parque Brasil 500, Moura Junior (PMDB) garantiu à funcionários da Educação que o benefício seria integral para todos, mas na prática não foi o que aconteceu. “Não acho justo o servidor que não cumpre 40 horas ter direito ao benefício integral”, se contradiz Moura Junior (PMDB), no projeto do abono proporcional enviado à Câmara. Agora, os servidores prejudicados pela proporcionalidade exigem que o prefeito cumpra o que prometeu.
O abono integral para os servidores da Educação e da Saúde foi reivindicado também pela Câmara Municipal. Os vereadores Edilsinho Rodrigues (PPS) e Gustavo Yatecola (PTdoB) e a vereadora Ângela Duarte (PRTB) pediram tratamento igual para todos os servidores municipais, mas não foram atendidos por Moura Junior (PMDB). A vereadora Ângela também fez outros questionamentos relevantes e acabou virando alvo de ataques da administração. 

Votação
A segunda e última votação do abono acontecerá às 15h da próxima segunda-feira, dia 18, durante sessão extraordinária convocada na tarde de hoje (14) pelo presidente da Câmara Municipal, Marcos Roberto Bonhesi, o Marquinho Fiorella (PP). Além do abono dos servidores da Prefeitura será votado também o mesmo benefício para os funcionários da Câmara. 

Foto: CP Imagem

<imagem1>7ec2bbd0bc58683cbc10f06b46168c17.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima