Correio Paulinense

Paulínia, 20 de maio de 2024
IDOSOS SÃO LARGADOS A PÉ, DEPOIS DE VIAGEM À FESTA DAS FLORES E MORANGOS DE ATIBAIA; Aliados não querem investigar a Educação e devem autorizar a “Terceirização da Saúde"!

Última atualização em 12 de setembro de 2014

[imagem] Boaaaaaaaa taaaaaaaarde meus amooores. E o Secretário Estadual de Desenvolvimento Social, Rogerio Haman, esteve mais uma vez na city, segunda (8), participando do encontro sobre incentivos fiscais para os Fundos do Idoso, Criança e Adolescentes. O evento foi promovido pela Secretaria de Promoção Social da City, no Theatro Municipal “Paulo Gracindo”. Ah, se Haman soubesse da trágica realidade social paulinense! Será que ele não sabe? Não deve saber, pois a “alma sebosa” que costuma recebê-lo aqui mascara tudo, mostra só o lado “bom” da “moeda” e Haman, mais uma vez, voltou para Sampa “inocente dos fatos”.

Já pediram leite, aumento de bolsa isso, bolsa aquilo, e dessa vez, pediram o quê? Verba para os candidatos que apoiam nas eleições deste ano? Não duvido nada. Aí, se vier “cemzão”, o espertinho gasta “dezão” em “santinhos” e o resto usa para pagar “aluguel de bocas” e de vans, além da conta de lanchinhos e marmitex. Hipócrita. Ecaaaaaaaaaaaa!!!

Falando em Idoso e Promoção Social, uma idosa do “Grupo da Melhor Idade” da City me relatou um verdadeiro absurdo. Segundo a senhorinha, sexta-feira, dia 5, ela e outros idosos da city foram levados, por dois ônibus fretados pela Prefeitura, para a tradicional Festa das Flores e Morangos de Atibaia. Na volta, em vez dos Senhores e Senhoras serem deixados nos bairros onde moram, foram largados em três pontos: rodoviária shopping, próximo ao Supermercado Júnior e no Centro de Convivência do Idoso.

Pra piorar a situação, neste dia a Passaredo estava em greve e muitos idosos tiveram que ir a pé do Centro para as suas casas, nos Monte Alegre I, II, III e V, Jardim Primavera, Cooperlotes e Parque da Represa. Quem tem filhos ou netos com carro ligaram pedindo carona, já os outros foram contando os postes até suas residências.  


“Tive que ir a pé até à casa da minha filha, que mora atrás do ginásio do Centro, pedir para ela me levar em casa. Já os outros idosos não sei como fizeram. Foi um descaso conosco. Estou indignada, pois nunca aconteceu isso com a gente. Tinham pessoas com 70, 80 anos. E se algum idoso tivesse sido atropelado, quem iria se responsabilizar? Estou revoltada, pois é assim que estão tratando a gente”, desabafou a senhorinha. 

Agora eu pergunto, meus amores: como eu posso me calar, diante de uma barbaridade dessas? Mas de jeito nenhum. Podem explodirem de raiva de mim, mas raaaaaaaaaaaaaasgo, sem dó nem piedade. O primeiro absurdo é deixar os idosos pagarem 11 reais, cada um, para entrarem na festa, quando a maioria recebe uma aposentadoria vergonhosa, que não dá nem para pagar remédio e alimentação. Ou seja, enquanto gastam uma fortuna pública com passagens aéreas e banquetes, com tudo do bom e do melhor, para artistas, empresários de artistas, amigos de fulana, biscates de cicrano, os aposentados paulinenses que quiserem se divertir que paguem. É uma patifaria. Depois, escrevem por aí que respeitam e valorizam os idosos. Ah, vão se lascar. 

Uma administração que tem um orçamento de quase 1 bilhão e meio de reais não absorver uma entrada de 11 reais para os nossos idosos é de lascar.  Além disso, pela fortuna paga às empresas de transportes que atuam no município, a Prefeitura tinha a obrigação de exigir como contrapartida ônibus de luxo, com ar condicionado e até serviço de bordo para a Melhor Idade de Paulínia. Concordam? Os “dois prefeitos” deveriam ter vergonha de permitirem qualquer tipo de cobrança aos nossos idosos, afinal, além de já terem contribuído muito para o desenvolvimento do município, eles também pagam os impostos que patrocinam a vergonhosa farra com o dinheiro público, que a city tem amargado desde julho do ano passado. 

Acabei de apurar que os ônibus que levaram os idosos para Atibaia, semana passada, foram fretados de uma empresa de Cosmópolis,  pois a nossa Prefeitura, que só paga “primeira classe” para artistas, não fornece mais transporte ao Centro de Convivência do Idoso. Já que a PMP pagou pelos ônibus, por que não determinou que a empresa contratada deixasse os idosos em seus respectivos bairros, independente do transporte coletivo municipal, e não jogados ao léu, como ficaram?  “Srs. Prefeitos e Senhora Secretária de Promoção Social, falta de vergonha na cara e incompetência também têm limites. PENSEM NISSO!” Pronto, rasguei!!!

A base mourista na Câmara da City não quer saber de investigação na Educação. Para os vereadores Tiguila Paes (PRTB), Sandro Caprino (PRB), Marquinho da Bola (PSB), Simeia Zanon (PROS), Du Cazellato (PP), Edilsinho Rodrigues (PPS), Danilo Barros (PCdoB), Zé Coco (PTB), João Pinto Mota (PSDC) e Gustavo Yatecola (PT do B), que não assinaram a proposta da CEI da Educação, acham que não tem nada para ser investigado e que os problemas da pasta podem perfeitamente serem resolvidos na base da conversa. Amanhã você confere uma entrevista exclusiva com a educadora Vaniza Ghidotti, do Conselho Municipal de Educação (CME) de Paulínia.
Já a terceirização da Saúde, que chegou na Câmara segunda (8), através do Projeto de Lei 46/2014 (leia matéria), deverá ser aprovadíssima pelos aliados do governo Moura Junior (PMDB) e os discursos tendem seguir a única e seguinte linha: SERÁ PARA O BEM DO MUNICÍPIO! Será totalmente verdade? Primeiro, os vereadores não sabem quais os serviços que Moura Junior (PMDB) pretende terceirizar, através de convênios ou contratos, e muito menos quanto a terceirização custará aos cofres públicos.  Trocando em miúdos: os vereadores só sabem o que Moura Junior (PMDB) colocou em duas folhas sulfites e mandou para eles aprovarem.

Será que o líder de governo Sandro Caprino (PRB) ou o vereador Zé Coco (PTB), que afirmou TRABALHAR PARA O PREFEITO, pedirão, através de Requerimentos, mais informações sobre o “PL da Terceirização”? Duvido. Eles e os demais colegas aliados vão é aprovar o Projeto como está e o prefeito que terceirize o que quiser, pelo preço que quiser.

Segundo informações, uma das mais conceituadas e caras redes de saúde  do país pode  abocanhar uma parte dos serviços da Saúde de Paulínia, pela bagatela de 180 milhões de reais. Quando soube disso, me lembrei do escândalo da Home Care, contratada em 2006 pelo pai do atual prefeito para gerenciar a farmácia pública municipal, por mais de R$ 20 milhões. E o resultado disso?  Oxiiiii!! O então prefeito Edson Moura (PMDB) e a Home Care  foram destaques da matéria “Corrupção nanica, estrago gigante”, da revista Isto É. LEIAM!  E sabem por quê? Porque os vereadores da época também aprovaram sem saber o que de fato estavam aprovando. 
Agora, mais uma vez, querem fazer a mesma coisa, dessa vez com outras empresas e pior, com lance inicial nove vezes maior do que o da Home Care.  Paulínia tem capacidade de sobra para gerenciar a própria saúde ou qualquer outra pasta, sem precisar colocá-las em mãos estranhas, por preços que até Deus duvida. O que PAULÍNIA NÃO TEM HOJE É UM PREFEITO COMPETENTE E COMPROMETIDO COM O BOM USO DO DINHEIRO PÚBLICO, ALÉM DE UMA BASE ALIADA SEM CORAGEM DE CONTESTAR OU FISCALIZAR OS ATOS DO GOVERNO INCOMPETENTE. Simples, assim!!!
Por hoje, já rasguei o que tinha para rasgar. Um fim de semana abençoadíssimo para todos nós  e que a LUZ DIVINA CONTINUE ILUMINANDO OS NOSSOS CAMINHOS. Muitos beijos e abraços. Au revoir 

 Foto: Ilustração

<imagem1>0bcb44b9188785f45675197a18d5a121.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima