Correio Paulinense

Paulínia, 2 de dezembro de 2023
Fênix, Sporting, Grêmio, Ktalok’s, União São José, Caçulinha e Estrela Azul foram os campeões do torneio que atraiu cerca de 250 torcedores à beira do gramado

Última atualização em 12 de setembro de 2023

[imagem] Por Lucas Rodrigues

Aproximadamente 250 pessoas acompanharam durante todo o domingo (29) o 4º Festival da Amizade, no Campo da Lagoa do João Aranha.  Transpostos, Fênix, Bola Branca, Sporting, Euro Sport, Grêmio, Ktalok’s, Unidos da CG, Planalto, União São José, Caçulinha, Furacão do Piauí, Atlético Paulínia e Estrela Azul  travaram emocionantes disputas em busca dos troféus dourados ,expostos à beira do gramado. A coluna “Puro Esporte”  acompanhou as partidas e traz com exclusividade o que de melhor aconteceu durante os 420 minutos de bola rolando. 
Transpostos x Fênix
A partida abriu a maratona de jogos do torneio e ao som de pagode a bola rolou, com lances polêmicos, jogadas duras e apenas um gol do 9 Edelvan no segundo tempo, para decretar a vitória do Fênix, base do Os Ordinários, Campeão da Segundona do Campeonato Municipal de Futsal deste ano, em cima do Transpostos, por 1 a 0.  
Mas o 1 a 0 foi difícil de ser conquistado, pois o Transpostos pressionou muito, chutou, mas sempre parava nas mãos do goleiro Neto “Paredão”, que foi a peça fundamental da vitória adversária. Maílson Nunes, um dos grandes nomes do time, começou no banco, entrou na partida, mas não teve uma boa atuação. O principal é que o Fênix venceu e levantou o primeiro caneco do dia. 
Bola Branca x Sporting
Jogo truncado e difícil de sair gol, foram assim todas as partidas, tanto que, o 1 e o 0 insistiram em não saírem dos placares. O duelo entre Bola Branca e Sporting não foi diferente, pois o time bola branquense saiu na frente com o 18 Jhonatan arriscando de longe, balançando a rede e decretando a vitória parcial por 1 a 0, no tempo inicial. 
No segundo tempo o camisa 10 e capitão Renan, do Sporting, empatou a partida, que acabou sendo decidida nos pênaltis. Nas cobranças o Sporting venceu por 3 a 1 e ficou com o titulo da segunda partida. 
Euro Sport x Grêmio
Mais um jogo difícil, desta vez o 0 a 0 permaneceu. Foi um duelo fraco, tecnicamente e, o resultado não poderia ter sido outro, pois os times arriscaram pouco e quando chutavam, mandavam a bola para a creche ou para a lagoa.  
As penalidades máximas decidiram mais uma vez e o Euro Sport ficou com o troféu de campeão ao vencer, por 3 a 2.
Ktalok’s x Unidos da CG
1 a 0 foi o suficiente para o Ktalok’s conquistar o titulo da terceira partida em cima do Unidos da CG. O único gol do jogo saiu dos pés do 7 Wellington, no 1º tempo. Depois disso, o confronto ficou acirrado, faltas duras e o falatório com o juiz tomou conta da partida. Ambas as equipes criaram pouco e ficaram devendo um bom futebol. 
Planalto x União São José
O grande clássico do torneio era de se esperar muitos gols. Mas na verdade, as redes não balançaram e a decisão terminou empatada em 0 a 0. Planalto, dirigido pelo técnico Valdir, contava com apenas 12 jogadores, ou seja, um elenco bem reduzido comparado com o União São José, comandado por Reginaldo que tinha o banco lotado e uns ainda ficaram de pé. Mesmo assim, mostraram que quantidade não significa jogo ganho. 
O duelo  foi duro, faltoso e mais uma vez sobrou para os ouvidos do juiz que teve que gritar alto para impor-se dentro de campo. Com a igualdade no marcador, as penalidades foi mais uma vez o jeito de decidir quem seria o campeão. Na hora H, União São José levou a melhor e venceu, por 5 a 3. 
Caçulinha x Furacão do Piauí 
Na verdade o duelo deveria ser entre Caçulinha e Estrela Azul, mas por causa de problemas de desencontros de horários o Estrelense não pôde comparecer no horário previsto que era 14h10, então a organização do torneio mudou o adversário do Caçulinha e colocou o Estrela Azul para disputar o titulo do último jogo, contra o Atlético Paulínia, que deveria ser o adversário do Furacão do Piauí. 
Bola rolando. Outro jogo pegado, parecia que não sairia do 0 a 0, pois esse foi o placar do primeiro tempo. Na volta do intervalo continuava a mesma coisa, porém uma luz apareceu na metade do segundo tempo, quando houve um erro de comunicação do time piauiense, onde  o zagueiro 4 Josénaq e o goleiro 21 Elias falharam. Assim o zagueiro atrasou errado, o goleiro se perdeu no lance e o 8 Didier não perdoou e fez o gol da Caçulinha, o primeiro do jogo. 
Depois do gol, o Furacão partiu pra cima e na pressão o 7 Netinho chutou de longe, a bola pingou, enganou o goleiro Barriga e parou no fundo das redes. Neste lance literalmente a bola passou debaixo da barriga do goleiro Barriga. 1 a 1 placar final, e os pênaltis vieram mais uma vez para revelar o grande campeão. Nas cobranças alternadas o Caçulinha ficou com o titulo após vencer por 3 a 2. 
Atlético Paulínia x Estrela Azul
Esse jogo foi mais falado do que jogado. As faltas foram duras, teve jogador que parecia o Superman, pois voava a cada entrada e o pulo ficou bonito e ao mesmo tempo doloroso, mas a água mágica já deixava o craque pronto pra outra. O juizão teve que se virar para não perder  o controle do jogo. 
Mas o Estrela Azul teve uma arma secreta: a habilidade do 8 Gueguê que aproveitou a bola sobrando na área e mandou no ângulo, sem chances para o goleiro. Com este belo gol o Estrela Azul ficou com o último caneco da maratona de jogos. 
Arbitragem
Sem sombras de duvidas o juizão Robson Augusto foi um dos grandes personagens dos jogos. O cara é “doidão”, se reclamar de alguma falta não marcada, ele devolve explicando, às vezes gritando de um jeito diferente, pois não ofendia e tornava-se engraçado. O juizão sem ajuda de nenhum auxiliar dominou as 7 partidas que aconteceram com muito fair play.
Clima extra-campo
A torcida se aglomerou em volta do alambrado e em algumas partidas ficaram à beira do gramado, pois o alambrado danificado permitia que os expectadores ficassem do lado da linha de escanteio, cobrando o juiz e “zuando” os lances errados dos jogadores do seu time. 
A cervejinha foi companheira fiel de alguns torcedores, juntamente com o som tocando aquele pagode maroto e o funk animando a festa. Faltou apenas as redes serem balançadas mais vezes. Mas esse torneio foi bem organizado e quem estava apenas assistindo soube torcer com respeito para sua equipe.  
Apoio 
Porquinho e Reginaldo organizaram o torneio que foi um sucesso. Eles agradeceram o apoio da Padaria Panova , Supermercados Jequitibá e Secretaria de Esportes e Recreação (SER). O comercio da cidade é fundamental para que o esporte ganhe força e o domingo da galera seja agitado.
Entrega dos troféus
As taças foram entregues por Porquinho, Reginaldo de Oliveira e nas últimas duas partidas pelo diretor de Esportes Flávio Rodrigo.  
Partidas
Os jogos aconteceram em partida única. O formato adotado foi o festival, onde o vencedor de cada confronto torna-se o campeão, ou seja, cada jogo torna-se uma final. As partidas aconteceram em dois tempos de 30 minutos e o empate levava-se para a cobrança de pênaltis para conhecer o campeão. 
Fotos: Lucas Rodrigues/CP imagem

<imagem1>639113cded86676f08a98b9674f83190.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima