Correio Paulinense

Paulínia, 30 de maio de 2024
“FILHOS DA P….”: Simone Secretária de Saúde, se o primo ficar; Incompetentes e Irresponsáveis; Começou na “base”: e agora, ALIADOS? Vereador nega "linha" Menezes/Pazetti!

Última atualização em 20 de novembro de 2014

[imagem] Boaaaaaaaaaaaaa noooooooite meus amoooooores!!! Eita quarta-feira da gota serena! Misericórdia! Bem, o principal bafão de ontem (19), a invasão do 3º Módulo do Pazetti, que certamente ficará marcada para sempre na história político-administrativa da city, começou ser escrito na sexta-feira (14), na sala do secretário de Obras Eduardo Ferreira e só não aconteceu no dia seguinte (15), como haviam planejado, porque denunciamos antes. Embora tenham se reunido a portas fechadas, um passarinho lá de dentro vazou para mim e aí foi mais uma “exclusiva”. Mas, antes de me aprofundar neste babado, vamos ao “ápice” da “inauguração” de parte do novo hospital da city.

A pergunta que não quer calar: POR QUE AINDA DÃO O MICROFONE PARA SIMONE MOURA? Não consigo entender isso. Como disse a própria Simone, até o primo prefeito sabe que ela não mede as palavras, principalmente, as de baixo calão. Então, pra quê arriscar, sobretudo, numa inauguração (mesmo que fajuta) oficial? Sem dar nomes aos bois, quando xingou de “filhos da p….” ela ofendeu todas as pessoas que não concordam com o atual governo municipal. E, hoje, “todas as pessoas”, significa a maioria absoluta da população, estarrecida com as atrocidades cometidas pelo governo Moura Junior (PMDB).
Ela disse que os “filhos da p…” não deixam eles (o governo) trabalharem. Oxi! Ela deve estar perturbada mesmo, só pode. Dá licença! O que todo mundo esperava, principalmente quem votou nesta aberração de administração, é que eles trabalhassem pelo povo. Hoje, quase um ano e meio depois de assumirem o poder, eles provaram que não vieram para isso – o povo que se lasque. Na verdade, as pessoas que ela xingou de “filhos da p…” não estão permitindo que eles SUPERFATUREM CONTRATOS E FAÇAM LICITAÇÕES FRAUDULENTAS, DE CARTAS MARCADAS. Isso sim, é a mais pura verdade. 
Se mesmo denunciando vários editais milionários, claramente montados para desviar dinheiro público, os cofres da prefeitura estão quase vazios, imaginem se ninguém fizesse nada. Vale esclarecer que os “filhos da p…” denunciam, mas quem dá a palavra final, ou seja, barra os editais suspeitos, é o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e a Justiça da City.  Aí eu pergunto à Simone: “O TCE e a Justiça estão entre esses filhos da p….? 
Mas, enquanto todos prestaram atenção apenas no “filhos da p…” disparado pela Assessora Especial, durante a “inauguração” do HMP, percebi um discurso meio que de candidata a algum posto na gestão da Saúde municipal. Desconfiado disso, corri atrás de alguma pista e “bingooooooooo”. Uma gaivota (lindíssima, por sinal) me disse que Simone Moura pode ser nomeada Secretária de Saúde, caso o primo prefeito consiga continuar no cargo.  
Hoje, Simone já manda e desmanda no hospital e os médicos estão virados na besta fubana com ela. Imaginem, então, se a danada assumisse a Saúde da city!?!  Seria o Armageddon  Paulinense (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Não ficaria um médico pra contar história (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Aproveitando a deixa, um passarinho me contou que outra “colocada” por Moura Junior (PMDB) no HMP, não quis assinar um certo documento. “Se eu assinar isso, vou acabar na cadeia”, disse a “loira”, adepta de um vermelho fatal nos lábios. Que peste de documento seria esse, hein? Ela que assinasse (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Só por Deus!
Menezes/Pazetti. Moura Junior (PMDB) disse que não foi invasão o que ocorreu no 3º Módulo do Pazetti, porque os moradores do Menezes já estavam com as chaves e os contratos de compra e venda das casas. Ora! Então, por que ocupar as casas na calada da noite? Por que destruir cercas de proteção e pular o muro do residencial? Por que, por que? Eu respondo: PORQUE, ALÉM DE INCOMPETENTES, MOURA JUNIOR E OS SEUS SECRETÁRIOS DANILO GARCIA (HABITAÇÃO) E ARTHUR FREIRE (JURÍDICO) SÃO TRÊS IRRESPONSÁVEIS ARROGANTES, QUE AGIRAM DE MÁ-FÉ COM AS FAMÍLIAS DO MENEZES E DO PAZETTI, E DEVERIAM RESPONDER CRIMINALMENTE POR ISSO.

Acompanhem comigo. 8 de setembro de 2013, o prefeito chama as famílias das três invasões (Menezes, Fazendas Paraíso e Santa Terezinha) no teatro e lá promete casa pra todo mundo. Como a notícia veio à tona, a Associação de Moradores do Pazetti acionou a Justiça, que concedeu liminares impedindo Moura Junior (PMDB) de doar, vender, alienar ou entregar as unidades do módulo III, antes de garantir que as 44 casas já vendidas não seriam tiradas de seus donos e destinadas à outras pessoas; Dia 07 de julho de 2014, quase um ano após a promessa que fez no teatro, Moura Junior (PMDB) manda o Projeto 37/14 (das casas prometidas) para a Câmara, que aprova a proposta dia 2 de setembro; Dia 14 de novembro, a Prefeitura divulga uma lista de 179 pessoas, pré-aprovadas para as casas do módulo 3 do Pazetti; Dois dias depois (domingo, 16), Moura Junior (PMDB) sorteia 154 casas e marca a entrega das casas para o dia 19 (ontem); Segundo a Associação do Pazetti, TUDO ISSO SEM INFORMAR OFICIALMENTE À JUSTIÇA QUE AS 44 CASAS JÁ VENDIDAS ESTAVAM ASSEGURADAS AOS SEUS RESPECTIVOS DONOS. Dia 18 de novembro, por volta das cinco da tarde, a juíza Marta Brandão Pistelli expede mais uma liminar, dessa vez determinando a suspensão da entrega das casas, sorteadas no domingo (16).

Diante desta cronologia, alguém ainda tem alguma dúvida de quem são os culpados por tudo que aconteceu e vem acontecendo depois, ou seja, da madrugada de terça (18) para quarta (19), até o dia de hoje (20)? Se Moura Junior e  Danilo Garcia tivessem agido de boa-fé, primeiro de tudo, não tinham mentido para as famílias do Menezes, Fazendas Santa Terezinha e Paraíso, dizendo que todas elas teriam casa, pois sabiam que isso não seria possível; segundo, depois que o caso foi parar na Justiça, teriam acatado as determinações da juíza, pois sabiam que, descumprindo as liminares, a corda arrebentaria do lado mais fraco, ou seja, das famílias enganadas por eles; terceiro, não tinham obrigado todos os moradores do Menezes assinarem o Termo de Autorização de Demolição de suas casas, mesmo sabendo que muitos deles não seriam contemplados e pior, que tudo pode dar errado; quarto, não tinham deixado essas famílias passarem pela humilhação pública de invadir as casas, quando diziam que tudo estava dentro da lei – se estava, por que deixar invadir? quinto, não tinham permitido que a guarda municipal apoiasse a invasão, em vez de orientar os moradores a não invadirem, para não perderem a razão diante da justiça; sexto, não tinham entregue as chaves aos moradores de madrugada, estimulando o que eles não consideram invasão; sétimo, tinham organizado uma entrega legal, respeitando a justiça e a dignidade das pessoas contempladas; por fim: TINHAM AGIDO COMO PREFEITO E SECRETÁRIO SÉRIOS, RESPONSÁVEIS E COMPROMETIDOS, NESTE CASO, SOBRETUDO, COM A SEGURANÇA DAS FAMÍLIAS DO MENEZES E DO PAZETTI.

Mas, infelizmente não foi assim que eles fizeram e o que se viu nos últimos três dias foi um verdadeiro show de horrores. No mais prepotente e perigoso estilo “aqui quem manda sou eu”, Moura Junior (PMDB) assinou o segundo pior capítulo da história de sua fracassada administração. Pessoas humildes foram enganadas, humilhadas e usadas (sem se darem conta disso) como objetos de autoafirmação de um prefeito que acaba de sofrer a quarta cassação na Justiça Eleitoral e, como ele mesmo admitiu diante de quem humilhou, corre sério risco de perder o cargo.  Eles foram desumanos e não respeitaram nada e ninguém. Agora, por culpa deles, as famílias ainda não estão totalmente seguras em suas casas e só Deus sabe o que ainda pode acontecer.

Mas, não podemos esquecer dos culpados por mais este desmando de Moura Junior (PMDB): OS VEREADORES QUE APROVARAM O PL 37/2014 E DEPOIS NÃO SE DERAM AO TRABALHO DE FICASLIZAR SE TUDO ESTAVA SENDO FEITO DENTRO DA LEI, PARA EVITAR  QUE AS FAMÍLIAS DO MENEZES E DO PAZETTI PASSASSEM POR TUDO ISSO. Mas, claro que a resposta à essa cobrança será uma só: “FIZEMOS A NOSSA PARTE. NÃO PODEMOS DETERMINAR COMO O PREFEITO DEVE OU NÃO FAZER AS COISAS”. É isso que muitos vão alegar na próxima sessão, terça-feira (25). Determinar, sabemos que não podem mesmo, mas cobrar como seria feito isso podiam e deveriam ter feito. 

Sandro Caprino (PRB), João Pinto Mota (PSDC), Simeia Zanon (PROS), Zé Coco (PTB), Du Cazellato (PP), Custódio Campos (PT) e Marquinho da Bola (PSB): QUAL DESSES VEREADORES PEDIU OFICIALMENTE INFORMAÇÕES AO PREFEITO SOBRE COMO ELE PRETENDIA SELECIONAR AS FAMÍLIAS, SORTEAR E ENTREGAR AS CASAS, DEPOIS QUE APROVARAM O “PL DO MENEZES”?  QUAL DESSES VEREADORES SE PREOCUPOU EM FISCALIZAR SE O PREFEITO ESTAVA AGINDO DENTRO DA LEI, COM O PESSOAL DO MENEZES E DO PAZETTI? Se apresente quem tenha feito algo, neste sentido. Pelo contrário, quatro deles prometeram votar contra o PL 37/14, mas na hora H a submissão ao prefeito acabou prevalecendo e eles viraram as costas para as pessoas. Essa é a verdade, gostem eles ou não. Será que depois deste triste e lamentável episódio, esse povo vai pensar duas  vezes, antes de assinar tudo o que os Moura (pai e filho) querem? Tomara que sim!

Na manhã de ontem (19), o vereador João Pinto Mota (PSDC) foi flagrado com um micro ônibus da frota de sua empresa, supostamente indo buscar famílias no Menezes para o Pazetti.  A imagem foi feita quando o vereador passava em frente ao Pazetti e foi reconhecido por uma moradora do residencial, que abordou Pinto Mota no momento em que ele conversava com um morador do acampamento. Constrangido, o vereador ligou o carro e acabou indo embora. 

A assessoria de Pinto Mota negou que ele estava transportando moradores do Menezes para o Pazetti. “Por volta da 6:50 minutos da manhã do dia 19/11/2014 o João Pinto Mota, foi buscar para o trabalho funcionário da Mota Martins, que residia no Acampamento Menezes, por este motivo foi visto ele dirigindo o Micro Ônibus da Empresa, e neste dia, em nenhum outro momento o ônibus retornou ao acampamento”, diz a nota, me enviada na tarde de hoje. Embora a nota indique ter sido um funcionário apenas, conversei com a esposa do vereador, a queridíssima Helena Mota, que disse ter sido dois funcionários. Oxi! Buscar duas pessoas em um micro ônibus não é exagero? O vereador não tinha nenhum carro menor para pegar os funcionários? Então tá…gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas. 
Misericórdia! Uma hora dessa e ainda não almocei, acreditam? Então, não preciso falar mais nada. Tenham todos um weekend danado de bom, sob a PROTEÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Beijoooooooooooooos e abraaaaaaaaaaaaaaaaaaços. Au revoir! 

Foto: Cedida

<imagem1>d15d88fe59a271cd41f82450daf07bf2.JPG</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima