Correio Paulinense

Paulínia, 20 de maio de 2024
Em revisão, processo de cassação de Dixon (PP) está a um passo do julgamento no TRE

Última atualização em 20 de março de 2018

Sexta-feira (16), quando completou exatos cem dias de sua autuação no TRE (Tribunal Regional Eleitoral), o recurso do prefeito Dixon Carvalho (PP) contra a cassação (LEIA) de seu mandato foi encaminhado para revisão, última fase antes do julgamento em Plenário.
O revisor do caso é o desembargador Marcus Elidius, que recebeu o processo já com o voto (favorável ou contrário ao recurso) do relator Fábio Prieto. Elidius analisará os autos e provas da ação que gerou a perda do mandato e dos direitos políticos do prefeito de Paulínia, por suposta captação ilícita de recursos e abuso de poder econômico na campanha eleitoral de 2016. 
A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) de São Paulo já se manifestou pela rejeição do recurso. De acordo com o procurador Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, a “fraude” nas contas eleitorais de Dixon (PP) está “comprovada” (LEIA). 
Após revisado,o recurso  seguirá para o presidente do TRE-SP, Carlos Eduardo Cauduro Padin, marcar o julgamento. Caso tenha a condenação mantida pela segunda instância eleitoral, o prefeito Dixon (PP) pode recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em Brasília. 
O primeiro prefeito de Paulínia cassado pela Justiça Eleitoral foi Edson Moura Junior (MDB).  O processo de cassação do ex-prefeito, acusado de fraude eleitoral em 2012, levou dezoito meses até a decisão final do TSE. Moura Junior (MDB) deixou a prefeitura dia 4 de fevereiro de 2015, sendo substituído por José Pavan Junior (PSDB).

Foto: ConJur

<imagem1>marcus_elidius_revisorrecursodixon.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima