Correio Paulinense

Paulínia, 19 de maio de 2024
ELEIÇÕES 2014 (II): Nem o “super cabo” evitou a queda de Machado; Tiguila e Yatecola não “decolaram”; Bépe Pantera ficou entre os “feras” nacionais; Jaiminho 8.967, Adriana 1.192; PPP

Última atualização em 10 de outubro de 2014

[imagem] Boaaaaaaaaaaaaaa tarde meus amooooooooores! Antes de seguir com a penúltima parte dos bastidores das Eleições Nacionais, em Paulínia City, preciso comentar algumas coisinhas da Audiência Pública da “PPP do Parque Brasil 500”, anteontem (8), no Salão Nobre da Prefeitura. Como os “dois prefeitos” não aparecem na apresentação do projeto? Oxi! Pelo menos o “de direito” (Moura Junior) tinha que ter ido, concordam? Em outros tempos seria diferente. Lembro-me muito bem da euforia de Moura pai, em 1994, mostrando o projeto das três construções (Sambódromo, Concha Acústica e Pavilhão de Eventos) que formariam o “elefante branco” Brasil 500, de hoje. Agora, encontraram um novo jeito de torrar outra fortuna pública no local, mas não tiveram coragem de encarar a população e explicar as verdadeiras intenções, por trás desta tal “PPP”. Nem o vice Bonavita (PTB), apareceu. 

Na penúltima sessão da Câmara, o líder de governo Sandro Caprino (PRB), além de convocar a população para a Audiência, ainda garantiu que também estaria presente, para conhecer melhor a “PPP do Brasil 500” e depois fazer os seus próprios julgamentos. Não deu as caras. Alguém encontrou com ele no estacionamento do Paço, após a reunião, mas dentro do Salão Nobre, onde o babado aconteceu, o edil não colocou os pés. Dos 15 vereadores, apenas 7 apareceram: Custódio(PT), Doutor João Mota (PT), Angela Duarte (PRTB), Tiguila Paes (PRTB), Gustavo Yatecola (PT do B), Valadão (PROS) e João Pinto Mota (PSDC).
A moça e o urbanista, representantes da JC Gontijo, deram o recado da empresa, aliás, muito mal dado, segundo pessoas que participaram da Audiência, o colega Silvio Motta, assessor de imprensa de Moura Junior (PMDB), intermediou a participação do público na apresentação do projeto, e o Secretário Chefe de Gabinete, Dr. Queiroz, fechou a reunião dizendo, entre outras coisas, que a “PPP do Parque Brasil 500” segue uma tradição da Família Moura, com o ex-prefeito Edson Moura e agora com o atual, filho do ex, em busca de novas fontes de receitas para a city. Ah tá (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).  Dr. Queiroz também afirmou que várias coisas desta “PPP” passarão pelo crivo da Câmara. Esta sim, foi uma fala importantíssima, pois não tenho dúvidas que este projeto será um verdadeiro pesadelo político para os vereadores aliados, capaz até de decidir quem permanece e quem saí da Câmara, em outubro de 2016. Vamos esperar!
Eleições 2014. O resultado da votação do poderoso Campos Machado (PTB) nas unas paulinenses deste ano, foi realmente um grande vexame. Mesmo com o apoio do Prefeito, Vice e um batalhão de cargos comissionados, trabalhando dia e noite, o deputado perdeu 2.453 votos na city, em relação à 2010, quando estourou com 4.181 votos. Nem o reforço do “super cabo eleitoral” Almilton Cezar, o Cezinha (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), amenizou a queda do petebista, por aqui. Não foi o menor resultado desde 1998, como afirmamos nesta matéria,  mas sim o mais desastroso de todos os tempos, considerando o poder do grupo que apoiou Machado, este ano. Poder? É gente, o poder que o grupo mourista ainda pensa que tem.  Em 98, com o PTB comandado pela queridíssima Kika Valadão Nasário o deputado teve 1.114 votos na city. Em 2002, com Kika fora da presidência do partido, Machado caiu para 223; em 2006, com Kika, outra vez no partido, o deputado subiu para 760 votos e em 2010 ultrapassou a marca dos quatro mil. 
Todo mundo sabe que a meta mourista para Machado era 5 mil votos. “O próprio Bonavita me disse que não iriam conseguir”, me contou um importante cabo paulinense, que trabalhou para Machado, a pedido do vice-prefeito. Oxi! Mas nem a metade, foi de lascar. Pois é, como disse na coluna passada, o desempenho dos candidatos apoiados por lideranças políticas locais serviu para mostrar a realidade das coisas. Ou seja, quem está em alta ou em baixa na opinião pública. 
Entre os vereadores que deram as caras pra bater, Tiguila Paes (PRTB) e Gustavo Yatecola (PT do B) não decolaram seus candidatos. Dan Guinsburg (estadual) e Betão (federal), ambos do mesmo partido de Yatecola, receberam 288 e 215 votos, respectivamente, na city. Já Gustavo Peta (PC do B) e José Mentor (PT), candidatos de Tiguila (PRTB), tiveram 379 e 440 votos, respectivamente. Guinsburg e Betão não emplacaram, Mentor continua na Câmara Federal, mas Peta não conseguiu entrar na Assembleia. Pois é, pois é!!!
Entre os paulinenses que disputaram as eleições, Adriana Câmara (PSDC) e Jaiminho (PSC) pagaram um verdadeiro “King Kong”, bem no estilo “Pauliwood” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Ambos apareceram com 0 de votos nas urnas, por terem sido impugnados pela Justiça Eleitoral. Adriana, que é servidora pública de carreira, disputou para vereadora em 2012, mas de acordo com o TSE não fez a prestação de contas da campanha passada. Oxi! E o presidente do PSDC Municipal, Laércio Giampaoli (Secretário de Transportes) não sabia disso? Já Jaiminho foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa, por problemas nas Contas da Câmara da City, quando foi o Presidente. 

Nos registros “candidatos indeferidos/cassados” do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Adriana aparece com 1.192 e Jaiminho 8.967 votos, no Estado; 737 e 1620 na city, respectivamente. Adriana e Jaiminho ainda não informaram se vão recorrer das impugnações, mesmo não tendo sido eleitos. Do lado da administração Moura Junior (PMDB), por enquanto, nenhuma notícia sobre o possível retorno de Jaiminho à Secretaria de Governo, atualmente sob o comando de Ademir Pereira, irmão do ex-secretário.
O troféu “Revelação” ficou com o estreante e queridíssimo Bépe Pantera (do PEN, de Eduardo Berenguel, devo ressaltar), com 2.774 votos no Estado, sendo 2.364 somente em Paulínia. Na escala local, Bépe só perdeu para Russomanno (PRB), Carlos Sampaio (PSDB) e Tiririca (PR). O slogan “Quem é Fera, vota Bépe Pantera” agradou e colocou o dono da Pantera Pisos junto com os “feras” da política nacional. Bépe fez uma campanha na raça e conseguiu convencer quase três mil pessoas. Merece sim, todos os nossos parabéns!
Segunda-feira, na terceira e última parte dos bastidores eleitorais deste ano, José Pavan Junior, Danilo Barros, Reinaldo Nogueira, Alex Manente, o “prefeiturável” Tuta Bosco, entre outros, vão dar o que falar. Um final de semana protegido e abençoado por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Beijos e baraços. Au revoir! 
Foto: Reprodução/Internet

<imagem1>d63cfc9929137a4cd78a16701ded35c7.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima