Correio Paulinense

Paulínia, 20 de maio de 2024
Edson Moura não fugiu do país e muito menos Paulo Cesar Gomes, o Paulo do Trem, está preso, como anda espelhando a rádio peão; MUDANÇA COM RESPONSABILIDADE: o povo deseja e muito isso, Danilo Barros!

Última atualização em 14 de julho de 2014

[imagem] Boaaaaaaaaaa nooooite meus amoooooores. Edson Moura não fugiu do país e muito menos Paulo Cesar Gomes, o Paulo do Trem, está preso, como anda espelhando a rádio peão. Segundo apurei, o ex-prefeito está nos Estados Unidos à negócios, acompanhado da amada Nani Camargo e do enteado Rodrigo Eustachio. Dizem que o prefeito Moura Junior (PMDB) também está junto, mas a informação não foi confirmada. Já o ex-assessor Paulo do Trem está transitando “livre, leve e solto” por corredores oficiais do Estado e de Brasília, segundo informações, “entregando tuuuuuuuuuuudo. “Piuí, piuí, puá, puá. Eu quero ver onde essa zorra vai parar” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Misericórdia! 

Esgotado todo o estoque de humilhações que podíamos passar no Mundial da Fifa, agora é hora de voltarmos nossas atenções para a “Copa Eleitoral”, que começou oficialmente no último dia 6.  De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) teremos 11 candidatos à Presidência da República, 171 à Governador, 180 à Senador, 6587 à Deputado Federal, 15880 à Deputado Estadual e 997 à Deputado Distrital. É muita gente atrás do nosso voto. Pela mãe do guaaaaaaaaaaaaaaada!!! Por isso, todo cuidado é pouco. 
A corrida em Paulínia ainda está tímida, sem muito barulho nas ruas, mas nos bastidores a temperatura já está ficando quente. As divisões de apoio no grupo mourista já estão mostrando as caras, por este ou aquele candidato.  Para deputado federal, o prefeito Moura Junior (PMDB) deve “trabalhar” para dois candidatos: Baleia Rossi, presidente estadual de seu partido, e Jaiminho (PSC), ex-secretário de Governo.  Se bem que, rejeitado pela população do jeito que está, Moura Junior (PMDB) será obrigado abusar da máquina para conseguir encher seus candidatos de votos. Tadinhos dos Cargos de Confiança escalados para esta difícil missão, sem direito a hora extra.  Oxi! Tá pensando que é “pesquisa da Aristéia” é? “Né não” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).   
Já para deputado estadual, o grupo mourista tem a obrigação de conseguir, no mínimo, 5 mil votos para o poderoso Campos Machado (PTB). Eita peste! Se conheço bem o vice-prefeito Bonavita (PTB), é ruim ele ficar esperando por cargos de confiança, exceto os dele, Moura pai ou Moura filho. Mas nem que Fred viesse jogar no Paulínia Futebol Clube (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Basta a dor de cabeça que ele vai ter para fazer “pai e filho” cumprirem com pelo menos 1% da estrutura que a campanha de Campos Machado necessita, na city.  O cearense já colocou foi o seu fiel grupo na rua, pois quem brinca em serviço é palhaço. Como diria ele: 5 mil votos né fácil não, moço!
Quarto homem no governo Moura Junior (PMDB), o vereador Sandro Caprino (PRB) já tá pedindo voto para Sebastião Santos, candidato à deputado estadual. Sendo assim, “Prefeitos” e Vice podem esquecer dele para ajudar Campos Machado. To falando… A não ser que o apoio público de Caprino ao estadual do PRB seja só de fachada. Será? Bom, pelo menos para Governador de São Paulo parece que todos os mouristas estão com Paulo Skaff, candidato do Vice-Presidente Michel Temer.

Os outros vereadores, por enquanto, ainda não se manifestaram publicamente sobre os seus respectivos candidatos. Pelo menos, ainda não li nada sobre isso. O que fiquei sabendo é que tem aliados esperando Moura pai determinar para quem eles e seus respectivos grupos vão trabalhar. Até isso “o cara” define. É mole?

Nessa linha, muito oportuno o slogan de campanha  – MUDANÇA COM RESPONSABILIDADE – de Danilo Barros (PCdoB), o único vereador candidato à deputado estadual nas eleições deste ano. Danilo, que também é Vice-Presidente da Câmara da City, bem que poderia aplicar o tema de sua candidatura à Assembleia Legislativa do Estado no Legislativo Municipal. Junto com outros novatos eleitos em 2012, Danilo chegou à Câmara como uma das grandes esperanças de MUDANÇA RESPONSÁVEL, sobretudo, com o povo. Entretanto, infelizmente, da parte de ninguém, ainda não aconteceu o que a população tanto espera. Moura pai continua mandando e desmandando nos passos da maioria aliada, causando grandes prejuízos à city. Como diz a sabedoria popular: “A MUDANÇA DEVE COMEÇAR EM CASA”
Em minha opinião, MUDANÇA COM RESPONSABILIDADE se faz não aceitando interferências de terceiros, que prejudiquem o mandato e a população; reprovando mudanças irresponsáveis, como a que estão querendo fazer com as famílias do Pazetti; rejeitando a criação de 123 novos cargos de confiança, quando existe um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) proibindo isso, além de uma folha municipal próxima do limite permitido pela LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal); dizendo NÃO ao absurdo de espalhar escritórios de Paulínia mundo afora, gerando cabides de empregos internacionais, tudo às custas do povo; dando um basta em “crimes” como a falta de alimentação, que custa R$ 25,00, para pacientes em estado vegetativo; e por aí vai.

Porém, para que tudo isso e muito mais aconteça, VERDADEIRAMENTE, é preciso, antes de tudo, promover A GRANDE E TÃO DESEJADA MUDANÇA: CORTAR PELA RAIZ A VERGONHOSA SUBMISSÃO POLÍTICA, TÃO NOCIVA À INSTITUIÇÃO CÂMARA MUNICIPAL E AO POVO, QUE DANILO BARROS E TODOS OS OUTROS 14 VEREADORES REPRESENTAM. 

Conversei à tarde com o presidente Marquinho Fiorella (PP) sobre a contratação de 24 estagiários para a Câmara da City. Segundo o “peixe”, apesar de já ter sido aprovada e transformada em lei (3.371, de 16 de abril de 2014), a proposta voltou para análise da Procuradoria Jurídica da Casa, depois que descobriram uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) atestando o laço empregatício entre os participantes de um convênio similar com quem os contratou como estagiários.

“Se esta decisão servir também para bolsas estágios, como a que a Câmara de Paulínia aprovou, infelizmente, não poderemos executar as contratações, porque temos um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público, proibindo novas vagas para o Legislativo”,
explicou Fiorella (PP). Pois é, enquanto o presidente da Câmara respeita o TAC firmado com o MP, o prefeito Moura Junior (PMDB) quer mais é que o MP “tic” e a  folha da prefeitura “tac” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). O presidente me disse que até a próxima semana deve ter uma posição final sobre isso.
Pois é, se Fiorella (PP) foi responsável e respeitoso com o “TAC Câmara/MP”, ele e os demais vereadores podem agir da mesma forma, reprovando a criação de 123 novos cargos de confiança na Prefeitura, que Moura Junior (PMDB) mandou para eles aprovarem, ignorando um TAC igualzinho, firmado no início do ano passado entre Prefeitura e Ministério Público de Paulínia. Concordam? Se o prefeito não respeita a lei, os vereadores não podem aprovar o desrespeito dele. É simples. 
Bem, por hoje é só. Uma semana espetacular, abençoadíssima e recheada de bênçãos dos Céus. QUE NOSSO PAI AMADO NOS GUIE E PROTEJA SEMPRE. Um montão de beijos e abraços. Au revoir!

<imagem1>c821731db6af900015440d2bbdab8ee8.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima