Correio Paulinense

Paulínia, 20 de julho de 2024
Dixon pede novamente ao STF para voltar até decisão final do TSE sobre cassação

Última atualização em 21 de dezembro de 2018

O prefeito cassado de Paulínia, Dixon Carvalho (Progressistas), tenta quarta liminar para retornar e permanecer no cargo até decisão final do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre a perda de mandato por abuso de poder econômico e captação ilícita de dinheiro nas eleições de 2016. 
O novo pedido, protocolado quarta-feira (19), é o segundo feito ao STF (Supremo Tribunal Federal), em menos de um mês. Dessa vez, por conta do recesso do Judiciário, o ministro Dias Toffoli, presidente da suprema corte, é quem vai decidir se Carvalho retorna ou continua fora do cargo. 
Desde que foi afastado, dia 7 de novembro passado, Carvalho tentou voltar três vezes, mas teve as liminares negadas pelos ministros Edson Fachin (TSE), Ricardo Lewandowski (STF), dias 8 e 28 de novembro respectivamente, e, na última quarta-feira (19), pelo juiz eleitoral substituto de Paulínia, Bruno Luiz Cassiolato
Em sua decisão, Cassiolato disse que, agora, a instância eleitoral competente para decidir sobre o pedido de Carvalho é o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “[…] Cabe mencionar que este tribunal superior (o TSE) até mesmo já conheceu e negou pedidos cautelares de urgência, de modo a reafirmar que, neste momento, é sua a competência para apreciar e julgar pedidos relativos à matéria exposta nestes autos”, afirmou o magistrado. A cidade segue administrada pelo ex-presidente da Câmara, Du Cazellato (PSDB).
A previsão é que Toffoli decida sobre a nova liminar de Carvalho na próxima semana. O Correio não conseguiu contato com a defesa dele. 

Foto: Sergio Lima/AFP

<imagem1>toffoli_casoPaulínia.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima