Correio Paulinense

Paulínia, 19 de maio de 2024
“Diante de tanto desrespeito, optamos por ir embora”, diz representante do Dinossauros

Última atualização em 26 de fevereiro de 2017

Uma polêmica envolvendo o Bloco Dinossauros e a Secretaria de Turismo e Eventos (Setur) de Paulínia marcou o primeiro dia do carnaval de rua da cidade, ontem (25), na Avenida José Paulino. O roteiro original, confirmado ao Correio por ambas as partes (Dinossauros e Setur) previa a apresentação da Banda 2001, contratada pelo Dinossauros, das 18 às 20hs, e das 20 às 22hs a Banda Astros e Estrelas, contratada pela Prefeitura. As duas apresentações aconteceriam no mesmo trio elétrico contratado pela administração municipal. 
“Até as 18 horas a gente sequer tinha passado o som ainda. E, pra nossa surpresa, quando subimos no trio para passar o som os equipamentos ainda não estavam montados e os técnicos disseram que não sabiam que a Banda 2001 ia tocar. Às 7:15 quando a gente soube que a banda não ia tocar, subimos ao palco, posicionando a bando e o público o cancelamento da apresentação e que iriamos nos retirar do evento”, explicou Angelo Pasin, mais conhecido como Quatti, representante do Dinossauros, ouvido pelo Correio.
Procuramos David Rodrigues, secretário de Turismo e Eventos, responsável pela organização e realização do carnaval de rua de Paulínia. Primeiro, ele falou sobre o evento em si. “Este ano, a Prefeitura decidiu não apoiar o evento de forma particular (por bloco), mas sim fazer um evento só, juntando todos os blocos para diminuir custos e ficar mais agradável e tranquilo”, disse ele. Segundo Rodrigues, os três dias de folia – ontem (25), hoje (26) e amanhã (27), além do aniversário da cidade na terça (28) – custaram aos cofres públicos cerca de R$ 79 mil. 
Já sobre a polêmica entre a Prefeitura e o Dinossauros ele afirmou que quem cancelou a apresentação da Banda 2001 foi o próprio bloco. “Por volta das 18h30 (de ontem), chamamos todo mundo no camarim, as duas bandas, explicamos, tentamos compor. O Dinos tocaria das 19 às 21 horas, e depois a outra banda, até as 22hs. O Dinos tocaria as mesmas duas horas (previstas no roteiro inicial), mas mesmo assim não houve consenso, por parte de alguns integrantes do bloco, e, aí, eles desceram do palco e foram embora, cancelando a apresentação”, afirmou Rodrigues. O Dinossauros não contestou essa declaração do Secretário. 
“Lamentamos os fatos que ocorreram. Nossos músicos foram maltratados e depois de muita discussão e pressão do povo, com vaias, eles tentaram reverter a situação, mas diante de tanto desrespeito com a banda e com o público optamos por ir embora”, disse Quatti.
O representante do bloco, destacou que há cinco anos o Dinossauros protocola na Prefeitura de Paulínia a intenção de realizar o desfile, com pedido de apoio logístico. “Esse ano, protocolamos na primeira semana de janeiro e fomos convidados para reuniões na Secretaria de Turismo e Eventos, com a participação de todos os outros blocos. Participamos de todas e ficou acertado que nós seriamos o primeiro à desfilar, às 2h30, saindo da Praça dos Bombeiros”, explicou Quatti.
“Colocamos, toda a infraestrutura, incluindo carreta palco, som iluminação, banheiros químicos, gradis necessários. Todos os blocos presentes tiveram a liberdade de divulgar seus jingles, usar o palco. Demos um carro de som menor para puxar os blocos, da concentração na Praça dos Bombeiros até o local onde estava o palco fixo, tudo monitorado pela Guarda Municipal, Defesa Civil e o pessoal da Turismo, fazendo isolamento e abrindo caminho para os blocos”, afirmou o secretário Rodrigues.
Atrasos
Ao Correio, o secretário Rodrigues explicou os motivos que teriam atrasado a programação da folia de ontem. “Pela manhã, quando o pessoal chegou para montar a estrutura, uma funcionária da Corpus encontrou um homem morto em um dos banheiros químicos, instalados para o evento. Aí chamamos a polícia, Guarda Municipal, tivemos que esperar a chegada da Polícia Técnica, a funerária, pois seria uma irresponsabilidade soltar o som com um cadáver lá”, afirmou ele. O homem encontrado morto ainda não foi identificado e acredita-se que ele era morador de rua. “É importante frisar que esse óbito nada teve a ver com o carnaval”, complementou o secretário.
Ainda segundo Rodrigues, outro complicador foi o fato de não ter sido possível colocar a carreta palco no local que havia sido programado. “Ficava muito próximo da rede elétrica e por uma questão de segurança tivemos que parar (a carreta) em outra posição. Imprevistos acontecem, gerando atrasos”, disse ele.
Política
O secretário de Turismo foi muito criticado nas redes sociais, por ter, segundo os críticos, usado o evento para fazer propaganda da administração e de políticos presentes no evento.  O empresário Mauro Torres Jr, da empresa Lumina, patrocinadora do Bloco Dinossauros desabafou no Facebook. “Em plena animação carnavalesca, tivemos que ouvir um discurso subliminarmente político, que foi inoportuno e fora de hora. Nós, Dinossauros, ficamos inconformados”, disse ele. “O povo não merecia isso. Show de politicagem. Nojo”, escreveu uma integrante do bloco, no post do empresário. 
O secretário Rodrigues negou ter feito intervenções políticas, durante o evento, em frente à Igreja São Bento. “Isso não procede. Tenho tudo gravado. A verdade é o seguinte: o evento foi da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Turismo e Eventos, e por obrigação e respeito tenho que agradecer as secretarias envolvidas. Isso é de praxe em qualquer Prefeitura, em qualquer governo, em qualquer instância de Poder. Agradeci à Defesa Civil, o pessoal de ambulância, Guarda Municipal, Polícia Militar, Departamento de Trânsito”, disse ele, e depois concluiu: “E, as duas vezes que interrompi, que eles dizem que é política, primeiro foi para perguntar para o povo o que era melhor: fazer o carnaval no sambódromo, que era um carnaval mais voltado para o público de fora, do que pra pessoas de Paulínia, ou o carnaval, ali, popular do jeito que fizemos. Falei também sobre o rodeio, porque muita gente estava perguntando, mando bilhete querendo saber, e eu respondi que vai ter sim, rodeio”.

Sucesso
Polêmicas à parte, a Secretaria de Turismo e Eventos (Setur) comemora o sucesso do primeiro dia do Carnaval de Paulínia, que atraiu milhares de pessoas para a principal avenida da cidade. “Conseguimos fazer um carnaval para a família paulinense, com muita alegria, quase nenhum incidente, e barato para o município. Muito obrigado a todos, principalmente, ao grande público que compareceu e fez a festa”, comentou o secretário Rodrigues.  

Mesmo com o cancelamento da apresentação da Banda 2001, o desfile do Dinossauros arrastou uma multidão de foliões, de todas as idades, todos vestindo o abadá azul e branco, desse que é o maior e mais importante bloco de carnaval de rua paulinense.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DO CARNAVAL DE RUA E ANIVERSÁRIO DE PAULÍNIA
Dia 26 – Domingo –  São José 
Das 14h às 22h 
Praça do bairro São José, localizada entre a Avenida Regina Basseto Bordignon, Rua Angelino Pigatto Filho, Avenida Pedro Antônio Bordignon e Rua Santina Verguetti Vansan. 
Dia 27 – Segunda-feira – Monte Alegre 
Das 14h às 22h 
Praça Central do Bairro
53º Aniversário de Paulínia 
Ginásio de Esportes Agostinho Fávaro “Lara” 
Av. João Aranha, 2120 – João Aranha 
Das 14h às 18h
Fonte: Prefeitura Municipal de Paulínia 

Foto: Cesar Augusto Fabri

<imagem1>dinosssauros2017.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima