Correio Paulinense

Paulínia, 29 de fevereiro de 2024
DESAPROVADAS, CONTAS DE DIXON (PP) ESTÃO PARADAS HÁ 4 MESES NO TRE; Ações eleitorais, no juízo local, tiveram “alegações finais” abertas!!!

Última atualização em 24 de julho de 2017

Boaaaaaaaaaaaaaa noooooooooooooite, meus amoooooooooooooooores!!! Desaprovadas pela Justiça Eleitoral da City, dia 15 de dezembro passado, as contas de campanha do prefeito Dixon Carvalho (PP) estão paradas na Seção de Contas Eleitorais (SCCE) do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), desde 22 de março deste ano – ou seja, há pouco mais de quatro meses. O recurso do pepista contra a desaprovação proferida pela meritíssima Marta Brandão Pistelli deu entrada no Protocolo Geral do TRE dia 17 de março. Três dias depois, o Tribunal designou para relatoria o desembargador L. G. Costa Wagner. Aí, no dia 21 passou pela Coordenadoria de Contas Eleitorais e Partidárias (CCEP) e, de lá, seguiu para a SCCE, onde permanecem até o dia de hoje.
Inicialmente, o processo das contas dixistas corria em segredo de justiça, por conta de documentos confidenciais, como extratos bancários, juntados aos autos. Mas, depois, a Justiça mandou abrir uma pasta específica para os “docs” sigilosos, e o processo ficou público. Segundo o texto da sentença, não restou outra solução a não ser desaprovar as contas de Dixon (PP), que, segundo a meritíssima Marta, não conseguiu esclarecer a origem de grande parte do valor (R$ 681 mil) declarado como “recursos próprios”. É um processo um tanto complexo, que envolve terceiros (o pai do prefeito, um poderoso empresário de Campinas, ex-secretário de governo) e transações financeiras suspeitíssimas. 
Partes no processo, como “recorridos”, o PRP (Partido Republicano Progressista) Municipal e o ex-prefeito José Pavan Junior (PSDB), derrotado por Dixon (PP), na campanha política passada. Até janeiro desse ano, o PRP foi presidido pelo amado Mario Lacerda, que perdeu o comando da legenda para Carlos Alberto Coelho, o queridíssimo Grilo, atual Secretário Interino de Turismo e Eventos. Além disso, o prefeito Dixon (PP) nomeou, no último dia 5 (Portaria 766/2017), a belíssima nora de Lacerda, Patrícia Groot Lacerda, filha da ex-prefeita de Holambra, Margareti Groot. Traduzindo: “O PRP ESTÁ EM CASA”. Bem, acordos firmados, agora é esperar o desdobramento das contas no TRE. 
Já no juízo eleitoral local, uma Representação (RP) e uma AIJE (Investigação Judicial Eleitoral) contra Dixon (PP), tiveram os prazos para alegações finais (quando acusação e a defesa apresentam, após a instrução processual e antes da sentença, os argumentos finais a fim de influenciar a decisão do magistrado) abertos pelo meritíssimo Carlos Eduardo Mendes. A RP é movida pelo antigo partido de Lacerda e atual do secretário Grillo. O PRP acusa Dixon (PP) de captação ou gasto ilícito de recursos de campanha e pede a cassação do diploma do prefeito. O prazo de 2 (dois) dias paras as alegações deve vencer amanhã (25), pois foi publicado no Diário de Justiça Eletrônico (DJE) sexta-feira (21). Depois, segue para sentença do magistrado eleitoral. 
A AIJE, também para investigar supostas ilegalidades na campanha eleitoral de Dixon (PP), ano passado, foi proposta pelo PDT (Partido Democrático Trabalhista),  por Mário Lacerda (pessoa física) e pela Coligação “União Por Paulínia”, do ex-prefeito José Pavan Júnior (PSDB). Sobre o PDT, segundo consulta feita agora à noite no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), não consta Diretório vigente – ou seja, o partido municipal, em tese, está sem direção. Nesse processo, o prazo de 5 (cinco) dias para as alegações finais foi publicado na edição do DJE do último dia 7, mas a sentença de primeira instância ainda não foi proferida. Além dessas, tramitam na Justiça Eleitoral outras ações contra Dixon (PP), só que em segredo de justiça.
Mudando de ações. Um passarinho me contou que Dixon (PP) tratou, pessoalmente, de evitar a saída do atual secretário de Saúde, Claudio Ernani Marcondes de Miranda. O prefeito da city teria ido até a residência do doctor, pedir para ele permanecer à frente da pasta. Que prestígio, hein? 
E os babados do poder municipal não param de pipocar. Cada dia, é um mais baphônico que o outro. Um “senhor” bastante íntimo das salas mais poderosas do Paço Municipal soltou para um integrante do primeiro-escalão a seguinte frase: “Os empresários estão sendo estuprados”. Misericórdia! O que será que ele quis dizer com isso, hein? Tenho medo até de imaginar.
E vem mais babado por aí. Na próxima terça-feira, dia 1º de agosto, acontece a primeira sessão da Câmara, neste segundo semestre legislativo, que já começa pegando fogo. A Ordem do Dia será dominada por duas matérias: a nova  denúncia contra o prefeito Dixon (PP) e o julgamento final das Contas Municipais de 2012. 
A primeira, trata do pedido de abertura de uma Comissão Processante (CP) na Câmara para investigar supostos crimes de enriquecimento ilícito, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, entre outros, atribuídos ao prefeito Dixon (PP) pelo munícipe Eduardo Evangelista Figueiredo. A leitura das 44 páginas da denúncia será feita pelo vereador Fábio Valadão (PRTB). Depois, o presidente Du Cazellato (PSDB) colocará a matéria para discussão dos vereadores e, na sequência, se inicia a votação e conclusão pelo recebimento ou não.
Com a maioria absoluta dos vereadores a seu favor, o prefeito Dixon (PP) deve escapar de mais essa, na minha visão. Porém, em se tratando de política, o imprevisível nunca pode ser 100% descartado. Pessoalmente, já ouvi que o recebimento da denúncia pode até acontecer, mas sem afastar Dixon (PP) do cargo, durante as investigações. Pois é, quando bate a sensação que o próprio pescoço pode ir junto para a guilhotina, o instinto de salvar a própria pele é mais que natural. Portanto….
Já a segunda matéria, em tese, é mais fácil. Na primeira votação, dia 23 de maio, 14 vereadores seguiram o parecer do TCE (Tribunal de Contas do Estado) pela desaprovação das contas do ex-prefeito Pavan (PSDB). Aí, quando os vereadores se preparavam para a última “martelada”, dia 6 de junho, o espirituoso conseguiu uma liminar (decisão provisória) suspendendo a finalização do julgamento. Mas, uma desembargadora do TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) derrubou a liminar e as contas foram liberadas para deliberação final do Plenário Legislativo, que deve ratificar a desaprovação. É muito babado, gente!!!
Uma semana abençoaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaada para todos nós. Que NOSSO SENHOR JESUS CRISTO nos fortaleça e proteja cada vez mais. Muitos beeeeeeeeeeeeeeeeeijos e abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços. Au revoir!!!

Fotos: Reprodução/Internet

<imagem1>tre_sp_carloseduardomendes.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima