Correio Paulinense

Paulínia, 22 de maio de 2024
Caprino (PRB) afirmou que “negociaram” antes com a Copersucar e antecipou os votos de oito colegas de base, dizendo: “O GINÁSIO NÃO SERÁ CONSTRUÍDO NO BOM RETIRO”.

Última atualização em 23 de junho de 2014

[imagem] Boaaaaaaaaaaaaa taaaaaaaaarde meus amooooooooores. Depois de ouvir atentamente a gravação da sessão de terça-feira (17), quando aconteceu a polêmica votação do PL 16/2014 e suas respectivas Emendas (Modificativa 1 e Aditiva 2), entendi direitinho tudo o que aconteceu, inclusive “por trás das cortinas”. Aliás quero agradecer aos vereadores Sandro Caprino (PRB), Edilsinho Rodrigues (PPS), da base mourista, Angela Duarte (PRTB) e Fábio Valadão (PROS), da oposição, por suas valiosas contribuições ao meu entendimento, pois assim posso compartilhar com vocês as minhas conclusões sobre a lamentável reprovação de um ginásio no Bom Retiro. Então, vamos lá!

Antes disso, passou da hora de vereadores como Danilo Barros (PCdoB), Tiguila Paes (PRTB), Edilsinho Rodrigues (PPS), Marquinho Fiorella (PP), Gustavo Yatecola (PTdoB), Marquinho da Bola (PSB) e quem mais precisar, assumirem que se renderam aos “encantos” de quem realmente manda na “bagaça”: o velho e conhecido Moura pai.  Sinceramente, não consigo entender porque continuam lorotando sobre este assunto. Esse papinho de “vereador independente”, além de ridículo, chega a ser chulo (politicamente falando). Qual o problema de assumir que está na base mourista? Oxi! E por acaso virou crime ser da situação foi? Ah dá licença! Aliar-se a determinado governo pode até ser vergonhoso, mas nunca foi e nem será um ato criminoso. Os “encontros” com o ex-prefeito, podem ser tudo, menos “reservados e sigilosos”. Todo mundo fica sabendo e aí fica mais ridículo ainda. Me poupe! Quanta falta de coragem de sair do “armário político” em que entraram. Eu hein! Na minha opinião, isso só gera maledicências! 
Falando na base, de todos, apenas o líder  Caprino (PRB) e o 1º Secretário Edilsinho (PPS) “justificaram” na sessão de terça-feira (17), antes da votação do PL 16/2014, porque votariam contra à “Emenda do Ginásio”, que beneficiaria o Bom Retiro e Adjacências. O resto (Danilo, Yatecola, Fiorella, Zé Coco,  Marquinho da Bola, João Pinto Mota e Dú Cazellato) apertaram “NÃO” e pronto. O único da base que votou a favor do ginásio, mas também não comentou o voto, foi Tiguila Paes (PRTB). Também, sem desvalorizar (VERDADEIRAMENTE) o voto do esportista Tiguila, se ele tivesse votado contra um ginásio de esportes se “queimaria” tanto ou mais quanto se “queimou” na ocasião em que votou contra o seu próprio projeto. Aí seria o fim da picada!
Aliás, falando em justificar, perguntei aos vereadores mouristas por que votaram contra o ginásio no Bom Retiro, mas eles nem “tchum” para o “curioso” aqui. Que maldade! Deprimi. Rasguei seis tubinhos Chanel e quebrei duas plataformas Fernando Pires, uma “15” e outra “40” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), pois ninguém merece tanta indiferença (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).  Ah tá. Se a estratégia do líder Caprino (PRB) foi orientar os aliados para “ignorar-me” e com isso “abafar o caso”, o tiro saiu pela culatra, pois de um jeito ou de outro terão de explicar a “palhaçada” não apenas aos moradores do Bom Retiro, mas de toda a city
Aliás, parece que já começaram pagar o preço da prepotência que vem de cima para baixo (Moura pai, Moura Filho, Líder de governo e Vereador). Dizem que Danilo Barros (PCdoB) foi questionado sobre o tema numa rede social e teria usado uma lei, que proíbe a Câmara de pedir contrapartida à concessionária de bens públicos, para justificar o seu voto contrário ao ginásio no Bom Retiro. NÃO CONVENCEU à quem perguntou e muito menos à mim, que pergunto: QUE LEI É ESSA NOBRE VEREADOR?  Qual o número, dia, mês e ano que ela foi aprovada, promulgada e sancionada? Me poupe. Esse truque de botar a própria culpa em cima até de leis que nem existem, além de barato, dificilmente cola, principalmente na sociedade de hoje, que pode checar a veracidade dos fatos com no máximo três cliques
E o próprio líder de todos os aliados, inclusive Danilo Barros, acabou desmentindo, antecipadamente, qualquer desculpa esfarrapada que venha a ser dada por quem reprovou o ginásio do Bom Retiro. Mas antes é preciso resumir o “objeto principal” do PL 16/2014, que levou à “Emenda do Ginásio”, para que todos tenham a mesma oportunidade de analisar os fatos e depois tirar suas próprias conclusões. 
Vão lendo. A Copersucar, gigante do mercado de combustível, precisa construir um duto para ligar a sua base de produção de etanol à Replan. Sendo assim, precisava que a Câmara autorizasse a cessão administrativa de 1,9 quilômetro do subsolo público, para construção do duto e conseguiu. Segundo a empresa, depois de tudo pronto, funcionando direitinho, a obra vai gerar 50 empregos diretos e cerca de 3 milhões e 700 mil (em impostos), por ano, a mais nos cofres da city. Beleza pura. Teoricamente, mais receita significa mais dinheiro para investir em Saúde, Educação, Segurança, etc. 
Mas quem garante que os futuros impostos gerados pela Copersucar serão investidos onde realmente se deve? Vejam a Saúde como está, mesmo com os quase R$ 270 milhões que os vereadores aprovaram para área, este ano. Mas que fique bem claro que esta não é uma tentativa descabida, da minha parte, de dizer que o duto da Copersucar não deveria ter sido aprovado, muito pelo contrário. Até porque se Moura Junior (PMDB) prefere investir boa parte do que a city arrecada com festival de cinema, artistas, cineastas, palmeiras, escolas de samba, entre outros setores “ bem mais lucrativos”, o problema não é da empresa, que só tem uma coisa a fazer: cumprir com as suas obrigações tributárias na city. 
Pois bem. Junto com o pedido de cessão do subsolo feito pela Copersucar, duas vereadoras (Angela e Simeia) e um vereador (Valadão) resolveram pedir também que a empresa construísse um ginásio de esportes no Bom Retiro. Os vereadores pediram o ginásio para quem? Oxi! Para a mesma Casa de Leis que cedeu o subsolo público, mas negou o ginásio, como contrapartida. Claro. Angela, Simeia e Valadão não pediram nada à Copersucar, mas sim aos demais colegas vereadores, que compõem o Poder Legislativo, o único que poderia atender o pedido do ginásio, MAS PREFERIU NÃO ATENDER.  E por que não atendeu? 
Com a palavra, primeiro, o vereador Sandro Caprino, líder do governo Moura Junior (PMDB) na Câmara da City. “Conversando com a Copersucar e estudando, sabemos que é inviável e não vai ser construído o ginásio no Bom Retiro”, disse Caprino, na sessão do dia 17, antes da votação da “Emenda do Ginásio”, para o bairro. Além de derramar um balde de água fria nas cabeças das lideranças do bairro, presentes na sessão, Caprino (PRB) protagonizou um fato inédito na história legislativa da city: além de adiantar o próprio voto (contrário), pela primeira vez um vereador adiantou os votos de outros 8 colegas. Esse “líder” é “bicho-papão” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), pois todos votaram conforme ele antecipou. 
Depois do “feito”, vieram as “justificativas”. “O projeto (a “Emenda do Ginásio”) é louvável, todos nós queremos lutar por melhorias em nossos bairros, mas temos que ter os pés no chão. Temos que ter bom senso. A obrigação é do Executivo (Prefeito) construir o ginásio e dar as melhorias”, disse Caprino. “Nós negociamos o seguinte com a Copersucar: a implantação do programa Bom de Nota, Bom de Bola na cidade, começando pelo Bom Retiro”, revelou na sequência, o líder de Moura Júnior (PMDB). O programa “Bom de Nota, Bom de Bola” já existe em várias cidades do Estado e do Brasil e é voltado para estimular, além do esporte, o bom desempenho escolar de crianças e adolescentes. 
Abrindo parênteses. O “nós” na frase de Caprino (PRB) provocou um pequeno bate-boca entre ele e o colega Valadão (PROS), que perguntou à quem o líder de governo estava se referindo. “Eu já falei para o senhor na nossa reunião, por isso não preciso responder porque já respondi pessoalmente”, disse Caprino (PRB). Visivelmente irritado, Valadão (PROS) retrucou: “Então que fique bem claro que não faço parte deste “nós”, pois não fui convidado para esta reunião, quando,  deveria ter sido, para discutirmos a Emenda”. Na verdade, o “nós” de Caprino (PRB) significa ele e os outros vereadores de Moura Junior (PMDB), que se reuniram “sigilosamente” com a Copersucar uma semana antes da sessão do dia 17, para “negociações” finais, antes da votação. Um dos aliados deixou escapar que nesta tal reunião, entre outras coisas, eles acertaram a derrubada da “Emenda do Ginásio”. Vão lendo, como o jogo funciona.
Voltando à contrapartida negociada pela base mourista com a Copersucar, apesar de não ter mostrado o documento, Caprino (PRB) “jurou” que a empresa assinou uma carta, garantindo a implantação do “Bom de Nota, Bom de Bola” na city.  Oxi!  Mas a obrigação de desenvolver, implantar ou trazer programas para qualquer área também é do Executivo (Prefeito) e não da Copersucar. Concordam comigo? Pois é, contradições e demagogias sobram nesta história. Por que programa esportivo pode e ginásio não? 
Já que temos o Executivo (Prefeito) mais falho da história local, seria bem mais vantajoso PARA A POPULAÇÃO que os vereadores pedissem o ginásio como contrapartida e não o programa, que sequer tem local disponível para ser executado. Vejam que, por ironia do destino, sete dias antes dos vereadores mouristas reprovarem um ginásio para o Bom Retiro, o atual Secretário de Esportes, Marcos Bortoloti, esteve no bairro à procura de local para implantar o PIF e o PIE, dois programas municipais idênticos ao “Bom de Nota, Bom de Bola”.  Não é de lascar uma coisa dessas? Leiam a matéria feita pelo colunista esportivo Lucas Rodrigues!
Agora, com a palavra o vereador Edilsinho Rodrigues (PPS). “Não acho justo obrigar uma empresa gastar milhões na construção de um ginásio de esportes, já que ela não pediu nenhum benefício para o município”. Oxi!  Além do subsolo público para construir o duto,  o vereador Edilsinho (PPS) queria que a Copersucar pedisse mais o quê? O uso do subsolo público não é um benefício e tanto? A empresa vai economizar milhões, faturar outros milhões e cumprir com a obrigação dela: pagar os impostos. Só faltava a Copersucar pedir também isenção tributária. Depois, Edilsinho (PPS) foi óbvio ao extremo. “O Bom Retiro não precisa somente de um ginásio de esportes, mas também de creche, entre outras coisas”, apontou ele. Certíssimo o vereador.

Não apenas o Bom Retiro, mas todos os bairros da periferia paulinense precisam. Aí eu pergunto: SERÁ QUE TERÃO? E pergunto mais: Já que optou por defender os milhões da Copersucar e não os interesses da população do Bom Retiro e adjacências, o vereador Edilsinho agora vai cobrar de seus “chefes”, Moura pai e Moura Junior (PMDB), a construção de um ginásio naquele bairro?

Sobre os 9 vereadores mouristas faço a seguinte leitura: por pura e vergonhosa subserviência ao poder (leia-se Moura pai e Moura Junior), ao impedirem o ginásio no Bom Retiro, eles perderam  uma chance e tanta de provocar orgulho na população que os elegeu.  Certamente, a fatura será cobrada em 2016. Assim como “negociaram” o “Bom de Nota, Bom de Bola”, como afirmou o próprio líder Caprino (PRB), eles poderiam ter aprovado a “Emenda do Ginásio”, pois não existe lei contra isso. Repito; diante de um governo tão negligente com os mais necessitados da city, como tem sido o de Moura Junior (PMDB), garantir a construção de um ginásio sem um centavo público seria de arrepiar. Mas fazer o quê? Edilsinho ficou com “dózinha” do dinheiro da Copersucar, Caprino disse que era falta de senso obrigar a empresa construir e os outros foram no “embalo”, bem no estilo “Maria vai com as outras”. Lamentável!  
Sobre a influência dos “dois prefeitos” (Moura pai e Moura Junior) nas ações da base aliada, a derrubada da “Emenda do Ginásio” foi apenas um aperitivo de tudo que ainda estar por vir. Jamais eles deixarão os “seus vereadores” aprovarem qualquer coisa que não sejam eles os autores diretos. Principalmente uma Emenda que beneficie politicamente a oposição, como era o caso da “Emenda do Ginásio” no Bom Retiro, proposta pelos oposicionistas Fábio Valadão (PROS), Simeia Zanon (PROS) e Angela Duarte (PRTB). Vocês devem estar se perguntando agora: e o povo, como fica nesta história.

Oxi
! Se eles estão judiando dos mais necessitados desde que assumiram o comando da city, não seria agora que iriam se preocupar com o povo. Correto? Tanto não estão preocupados que “ordenaram” a base derrubar o ginásio no Bom Retiro, sem se preocuparem com os moradores que seriam beneficiados. Correto? Então tá. Conclusão: A DERRUBADA DA EMENDA MODIFICATIVA 01, AO PROJETO DE LEI 16/2014, FOI MERA E ESSENCIALMENTE POLÍTICA. Traduzindo: MANDA QUEM PODE, OBEDECE QUEM TEM JUÍZO, como sempre disse e diz o vice-prefeito Bonavita (PTB)
A preocupação deles é outra. Além de votar contra o povo do Bom Retiro, Caprino (PRB) ainda tentou desgastar dois dos três autores da Emenda do Ginásio. O líder mourista questionou os votos contrários de Angela Duarte (PRTB) e Fábio Valadão (PROS) ao PL 16/2014. “Não entendo como pode votar contra o projeto e apresentar Emenda ao projeto”, debochou o líder, esbanjando cinismo político. Por que cinismo político?  Vamos lá!
Primeiro, Caprino (PRB) sabia e sabe que os seus colegas Valadão e Angela reclamaram a falta no projeto das licenças exigidas pela Lei Municipal 2094/1997 (Meio Ambiente), entre outras coisas, para instalação do bendito duto. A base aliada teimou que as tais licenças não poderiam ser exigidas da Copersucar antes da Câmara aprovar a concessão administrativa do subsolo público. “Não somos contra a instalação do duto ou contra a Copersucar, muito menos aos possíveis benefícios que a obra trará para a cidade. Mas, se o projeto for aprovado do jeito que está, sem as devidas licenças juntadas, estaremos desrespeitando uma lei municipal”, argumentou Valadão (PROS).  O projeto foi aprovado mesmo assim. Já a “Emenda do Ginásio” teria sido derrubada do mesmo jeito, mesmo se Angela e Valadão tivessem votado favorável ao projeto. “Seria ou não seria, Caprino”? 
Ufaaaaaaa!!! Hoje escrevi mais do que a minha amada Neide Andrade, em 30 anos de escrivã policial (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Chega! Agora vou me preparar para Brasil x Camarões. O próximo tema principal será a “CEI da Saúde”. Uma semana abençoada por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Muitos beijos e abraços. Au revoir!
Fotos: Reprodução/Internet e Lucas Rodrigues/CP Imagem

<imagem1>c224815a978d323552a61117fa3b7425.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima