Correio Paulinense

Paulínia, 19 de maio de 2024
Candidata a Presidente do João Aranha denuncia suposta fraude na eleição de “Mestre Domingos” para o cargo

Última atualização em 29 de outubro de 2013

[imagem] Moradores do  João Aranha foram às urnas, neste domingo (27), para eleger o novo presidente do bairro. A votação aconteceu na escola Padre Narciso e o cargo foi disputado pelo mestre de Capoeira Domingos Anastácio de Brito (Chapa 1) e a dona de casa Carmem Rute da Costa (Chapa 2). Brito, mais conhecido como Mestre Domingos, obteve 55 dos 95 votos válidos, vencendo a sua oponente. Os votos nulos somaram 20.
Segundo a presidente Rute a votação terminou uma hora e quinze minutos antes do horário previsto. “Pelo edital da eleição o horário era das 09h às 13h, mas por volta das 11hs45min o mestre Domingos encerrou a votação, alegando que era necessário fazer a contagem dos votos”, afirmou a presidente. Rute contou que a decisão de encerrar a votação foi tomada por seu concorrente e uma comissão formada na hora, sem a participação dela. “Eu fui almoçar e quando voltei me disseram que a votação estava encerrada. Como eles tomaram uma decisão sem a minha participação? Eu estava concorrendo e tinha o direito de decidir também”, questionou a dona de casa. 
A presidente ainda relatou que por conta da antecipação do término da votação vários moradores do bairro  foram impedidos de participar da escolha. Morador do João Aranha há décadas, Eleandro Durante disse à nossa reportagem que ele e outros dez amigos também não conseguiram votar. “Chegamos lá um pouquinho antes do meio dia e nos disseram que a votação havia sido encerrada. Questionei, disse que era um absurdo, mas não teve conversa”, afirmou o morador. 
Outros indícios de irregularidades também foram apontados pela presidente Rute. Segundo ela, as cédulas de votação não foram assinadas pelos candidatos e nem contadas, antes do início da votação. “Eles apenas me mostraram uma quantidade de cédulas e pegaram duas eleitoras para assinar como testemunhas na ata da eleição”.

As urnas usadas na eleição também não estavam lacradas, segundo informou a presidente. “Estou me sentindo lesada, pois a eleição não foi conduzida com a transparência que deveria. Por isso, tomarei as medidas cabíveis para impugnar esta eleição e convocar uma nova votação. Não estou reclamando porque perdi, mas sim porque tanto eu quanto as pessoas que não puderam votar tivemos os nossos direitos violados”, finalizou a dona de casa.

Nossa reportagem tentou falar com Anastácio Domingos de Brito. Deixamos um recado em sua página no Facebook (inbox), mas até a publicação desta matéria (vide horário e data acima do título) ele não havia respondido. Confira outros detalhes da Eleição do João Aranha na coluna “Deixem-me Falar” de hoje. 
Fotos: Lucas Rodrigues/CP Imagem

<imagem1>47b13a3d00c63063ca07f75ed73662b4.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima