Correio Paulinense

Paulínia, 22 de maio de 2024
Câmara: TSE atualiza quadro de eleitos e Flávio Xavier (PSDC) entra no lugar de Yatecola (PTdoB)

Última atualização em 3 de novembro de 2016

Boaaaaaaaaaaaaa noooooooite, meus amooooores!!! O blog “Fala Japa”, da “japa” mais linda, doce e querida que conheço, Bruna Kavabata Barros, está bombando na rede (site e Facebook). Para Bruninha, “melhor que viver é compartilhar”. E, ela compartilha histórias, tudo o que lhe faz bem e ainda dá dicas sobre eventos, restaurantes, bares, etc… Muitos artigos interessantes, além de belas imagens da exuberante mulher, que conheci menininha. Vale a pena conferir. “Beijos amaaaaaaaaaaada, e que Deus te proteja seeeeeempre”.
Por aqui, o último dia (terça-feira, 1) para prestação de contas eleitorais até que foi tranquilo, levando em conta que a city teve mais de 300 candidatos à Câmara e 7 à Prefeitura – felizmente, a maioria antecipou as prestações. Por volta das 18hs30 do prazo final, a equipe do Cartório Eleitoral atendia, sem problemas ou filas, os últimos candidatos. Agora, é aguardar o julgamento do meritíssimo Carlos Eduardo Mendes. 
Pelo calendário da Justiça Eleitoral, a diplomação dos eleitos – Prefeito, Vice-Prefeito e Vereadores – deve acontecer até o dia 19 de dezembro, no Plenário da Câmara Municipal. Os eleitos em 2012 foram diplomados pelo então juiz eleitoral da city, Ricardo Augusto Ramos, em 19 de dezembro mesmo, um dia depois do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) manter a cassação do registro do prefeito cassado Edson Moura Junior (PMDB). 
Este ano, apesar da forte boataria sobre possíveis mudanças no quadro majoritário eleito  – Dixon (Prefeito), Caprino (Vice) – dia 02 de outubro, por enquanto, tudo caminha para uma diplomação tranquila. Já no dia 1º de janeiro de 2017 acontece a Sessão Solene de Posse, provavelmente, no Teatro Municipal “Paulo Gracindo”, e, na sequência, a 1ª Sessão Extraordinária para eleição da nova Mesa Diretora da Casa 2017/2018, na sede do Legislativo. Esta sessão será presidida pelo vereador eleito mais votado e presidenciável, Kiko Meschiati (PRB). 
Segunda (31), na sala do presidente Sandro Caprino (PRB), o prefeito eleito Dixon Carvalho (PP) conversou com os novatos Xandynho Ferrari (PSD), Fábia Ramalho (PMN), Manoel Filhos da Fruta (PCdoB), Kiko (PRB), Marcelo D2 (PROS), Loira (PSDC). O futuro prefeito disse aos eleitos o óbvio: que apoia Kiko para a próxima Presidência da Casa. Além de ser da coligação do prefeito eleito, o novato mais votado é do partido do Vice eleito, que, claro, também apoia o colega para o lugar dele, a partir de janeiro do próximo ano. Segundo apurei, Kiko já teria, pelo menos, dois votos certos rumo à cadeira de Presidente: os dos vereadores reeleitos Zé Coco (PV) e João Pinto Mota (PSDC). 
Um passarinho que acompanhou a reunião na Câmara me contou que uma das “vantagens” de votar “Kiko Presidente” é poder indicar dois cargos comissionados do futuro governo Dixon (PP). Segundo minha fonte, um dos novatos saiu da reunião saltitante, com a suposta garantia de indicar um dos próximos Diretores Municipais. Já entre os reeleitos o nome cogitado para Presidente seria Dú Cazellato (PSDB), o terceiro mais votado para a Câmara. 
Os bastidores políticos, pós-eleição, indicam que muitas coisas, a partir de 2017, não serão como antes – certamente, não. O novo governo que se aproxima tem um estilo muito próprio, maaaaas em alguns pontos deverá atuar de acordo com o figurino do sistema, para não encontrar dificuldades pela frente. Na primeira coletiva com a imprensa local, dia 6 passado, o prefeito eleito ressaltou, alegremente, o fato de não ter que lotear a Prefeitura com vários partidos políticos, o que, segundo ele, lhe possibilitará formar com tranquilidade seu staff na Prefeitura e sua base na Câmara. Pode até ser, mas é claro que ele tem grandes compromissos a cumprir. 
Por exemplo, uma gaivota me contou que o PRB, partido do Vice Caprino, deve indicar 6 Secretários Municipais. Tamanho espaço para o PRB, no futuro governo municipal, teria feito parte do acordo para o atual presidente da Câmara compor a chapa de Dixon, na disputa pela Prefeitura. Além disso, os demais partidos – PSDC, PEN, PTC e PSL – certamente vão reivindicar seus espaços – ou não?
No âmbito da Câmara, para ter a maioria dos vereadores ao lado dele, durante os próximos quatro anos, o prefeito eleito terá que transformar em aliados, no mínimo, 5 dos 12 vereadores eleitos pelas coligações de seus adversários políticos – isso pra ter a maioria simples. Se quiser mais do que isso, o esforço terá que ser maior. Será preciso conversar também com os vereadores que não foram reeleitos ou disputaram o majoritário, mas que votarão o Orçamento para o primeiro ano do governo dele. O vice Caprino (PRB) está atuando nessas frentes, mas parece que as coisas não estão transcorrendo com tanta facilidade.
Lógico que, independentemente de ser situação ou oposição ao futuro governo Dixon (PP), todos os vereadores votarão sempre SIM aos projetos de interesse da população. Já às matérias de interesse exclusivo do Chefe do Executivo, quanto mais aliados melhor, pois significa menos discussões e polêmicas. 
Falando em polêmica, o reprocessamento dos votos para a Câmara ocorreu segunda-feira (31), porém somente hoje (3), o TSE (Tribunal Superior Eleitoral)  atualizou o quadro de vereadores eleitos da city, após a inclusão dos 194 votos obtidos por quatro candidatos que foram impugnados pela Justiça Eleitoral local, mas liberados pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

Com o reprocessamento, ficou de fora o vereador Gustavo Yatecola (PTdoB) e entrou Flávio Xavier (PSDC).  Segundo o Cartório Eleitoral, houve um erro no próprio sistema da Justiça Eleitoral, por isso o resultado só foi atualizado hoje. A moça do cartório, com quem falei no início desta tarde, não citou que problema aconteceu. 

Amanhã, também, estão na pauta de julgamentos do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) dois recursos eleitorais de Paulínia: o do ex-candidato França (PCdoB), que teve seu registro negado pelo juízo eleitoral local (leia), e o impetrado pelas minhas amadas Fernanda Machado e Mara Ferrari, que questionam os  Demonstrativos de Regularidade dos Atos Partidários (DRAP) das  Coligações “Viva Uma Nova Paulínia”, “SD, PT, PSC”, e “PRP e PPL, REDE, PSB e PTB”. O doutor Carlos Eduardo Mendes já decidiu contra as impugnações pedidas pelas amadas, agora, resta aguardar se o TRE vai manter ou não a decisão de primeira instância. 
Bem, por hoje é só. Um fim de semana espetacular, abençoado e protegido por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Muitos beijos e abraços. Au revoir!

Foto: CP Imagem/Arquivo

<imagem1>yatecola_xavier.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima