Correio Paulinense

Paulínia, 20 de junho de 2024
BASTIDORES DAS ELEIÇÕES (PARTE1): PEN de Sami não conseguiu nem meio voto, por cabeça; Eduardo Berenguel arrasou com Feliciano e Bépe; Lacerda e Arthur Freire queriam 3 mil; Baleia Rossi virou “lambari”!

Última atualização em 6 de outubro de 2014

[imagem] Boaaaaaaa nooooooooite meus amoooooores!  Antes das eleições em Paulínia, quero comemorar a vitória triunfante do meu amaaaaaaaaaaaado amigo João Henrique Caldas, lá nas Alagoas, um dos estados mais lindos da minha região natal. JHC, como é conhecido, recebeu exatos 135. 929 mil votos para deputado federal e desembarca em Brasília, dia 1º de janeiro de 2015, como o parlamentar mais jovem (27 anos) e bem votado da história alagoana. Que orgulho do meu amigo. Como deputado estadual, cargo que ocupa atualmente, JHC abriu a “caixa-preta” da Assembleia Alagoana, revelando para o Brasil inteiro o escandaloso desvio de R$ 500 milhões, através da folha de pagamento da Casa. Não sobrou pedra, sobre pedra.

Agora, João Henrique está pronto para mais uma jornada, desta vez no Planalto Central, onde certamente será brilhante, ainda mais. “Parabéns querido. Além de elegê-lo de forma tão espetacular, Alagoas está dando de presente ao Brasil um dos mais promissores políticos da nova geração. Tenho certeza que você honrará cada voto recebido em seu Estado e, digo mais, surpreenderá o País, na Câmara Federal. Obrigado pelo convite para estar na sua posse, em Brasília. Irei com o maior prazer e felicidade. Que Deus continue à frente do homem e do político JHC”. 

Das Alagoas para Paulínia. Por aqui, as Eleições Nacionais até que foram tranquilas, do ponto de vista policial. Segundo apurei, apenas três ocorrências graves: uma eleitora foi votar e descobriu que alguém já havia votado por ela e duas denúncias de crimes eleitorais, supostamente cometidos por três pessoas, que acabaram levadas à Delegacia de Polícia Civil, para esclarecimentos. Foram detidos Paulo Donizete Toledo, com quem a polícia diz ter encontrado “santinhos” de candidatos e R$ 679,00 (em dinheiro), Rodrigo Donizete Toledo e o queridíssimo Xandinho Ferrari, que, segundo narrado nos boletins de ocorrências, carregavam apenas “santinhos. Todos foram liberados e o material apreendido, para futuras apurações dos fatos.

{Quem registrou ocorrência contra o lindo Xandinho Ferrari foi Sami Goldstein, tesoureiro do PEN Paulínia e Diretor Comissionado de Finanças do Governo Moura Junior, junto com a também diretora comissionada Gisele Ruiz} 

Já no campo político, o pleito na city foi marcado pelo indiscutível fracasso nas urnas paulinenses de todos os candidatos apoiados por Moura pai, Moura filho, o vice Bonavita, Vereadores Mouristas (Sandro Caprino, Tiguila Paes, Gustavo Yatecola, Zé Coco, entre outros) cargos de confiança, integrantes do primeiro escalão e outros aliados da desastrosa administração Moura Junior (PMDB). Até Dilma (PT), candidata dos Moura ficou em terceiro na disputa local. Que fase, hein! Pois é, a campanha nacional em Paulínia City acabou comprovando o verdadeiro “ibope eleitoral” de dois tipinhos políticos: o que se acha capaz de eleger até poste e aquele que trai covardemente um amigo e parceiro fiel, depois de conseguir o que quer. É a LEI DO RETORNO, LEI ESTA QUE EM 2016 SERÁ MAIS IMPLACÁVEL AINDA. Podem apostar! 
Com o apoio mourista, Baleia Rossi, Presidente Estadual do PMDB, virou “lambari” na city (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Escalada pelos primos (Moura pai e Moura filho) para defender o nome de Baleia, Simone Moura conseguiu parte dos 230 votos que o candidato a deputado federal teve nas urnas paulinenses. Misericórdia! Se dependesse apenas daqui, Baleia não tinha chegado nem à piaba (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).
Já Mário Lacerda e Arthur Freire, Presidente do PauliPrev e Secretário dos Negócios Jurídicos, respectivamente, viraram foi bestas fubanas (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas) quando souberam da votação (1.428 votos) de Campos Filho (DEM), o candidato estadual deles. Oxi! E eles queriam os votos da city inteira, era? Um democrata paulinense me contou há pouco que a meta mínima era 3 mil. Ah, tá! E pra deixar Lacerda e Arthurzinho ainda mais nos cascos o candidato não virou deputado (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Agora, não adianta chorar o dinheiro derramado.
{Não tão feliz na política, mas felicíssimo na vida familiar. Sábado (4), Lacerda casou a lindíssima filha Pâmela (felicidades à ela e ao Leandro, seu esposo) e se prepara para fazer o mesmo, em breve, com o filho Mário Lacerda Junior, fisgado pela belíssima Patrícia Groot, herdeira da ex-prefeita de Holambra, Margarete Groot. Um passarinho me contou que uma big e confortável house própria, no alto padrão Terras do Cancioneiro, em Betel, já está à espera do futuro casal. Desde já, meus votos antecipados de felicidades aos pombinhos}
Voltando à política. Sami Godstein, o estranho Diretor de Finanças de Moura Junior (PMDB), está comemorando e muito os 84 votos (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas) que ele, o querido Carlos Amorim, o apresentador Gerson Borges e demais integrantes do Diretório Municipal Provisório do PEN (Partido Ecológico Nacional) conseguiram na city, para Adilson Barroso, presidente nacional da legenda e candidato a deputado federal. Segundo o próprio Goldstein, foram dois meses de trabalho, que resultaram na 6ª melhor votação de Barroso, na Região Metropolitana de Campinas (RMC) (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Eita peste! 
Perto do “Senhor das Finanças” sou um analfabeto na calculadora, mas consigo fazer duas continhas básicas. Vamos lá! 84 votos, divididos por 60 dias de trabalho dá uma média de 1,4 votos por dia.  Já dividindo a média diária conquistada pela quantidade de membros do diretório ecológico não chega nem perto de meio voto por cabeça (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas).  Oxi! Só falta a pastora Sara Bem, líder da ala afrodescendente do PEN Paulínia, fazer um culto de ação de graças para comemorar o feito histórico (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Se continuar com esses excelentes puxadores de votos, o PEN de Sami vai elegê-lo prefeito de Paulínia, com a Pastora Sara de Vice, em 2016 (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
Já o meu amado amigo Eduardo Berenguel, ex-presidente do PEN Paulínia, está rindo à toa. Mesmo após ter perdido a direção do partido para o grupo do também “exímio articulador político” Sami Goldstein, o homem responsável pela 6ª maior votação do presidente Barroso na RMC (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), Eduardo não abandonou a legenda.  Ele encabeçou as campanhas de Feliciano Filho, estadual, e Bépe Pantera, federal, e o resultado não poderia ter sido outro. Feliciano foi o sétimo mais bem votado em Paulínia, com 1.107 votos, e eleito com quase 189 mil no Estado, enquanto o queridíssimo Bépe ficou em 4º na disputa local, com 2.364 votos. Tá bom ou querem mais? Repito: É A LEI DO RETORNO, QUE EM 2016 SERÁ MAIS IMPLACÁVEL AINDA.
Bem meus amores, voltarei quarta-feira com a segunda parte dos Bastidores das Eleições Nacionais em Paulínia City.  Será imperdível. Uma semana cheia de bênçãos e felicidades. Que o NOSSO PODEROSO PAI CELESTIAL CONTINUE NOS GUIANDO E PROTEGENDO. Beijos, abraços. Au revoir!

<imagem1>419759cdcf3b17271d023747b827d0c0.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima