Correio Paulinense

Paulínia, 22 de maio de 2024
Atenção Senhores Empresários Paulinenses, patrocinadores do enredo da Vai-Vai em homenagem à Paulínia, queiram por gentileza se apresentarem para os agradecimentos da cidade. Cadê eles geeeeeeeeeente?

Última atualização em 28 de fevereiro de 2014

[imagem] Boa taaaaaaaaaaarde meus amooooores! Hoje, 28, Paulínia comemora 50 Anos em meio à pior administração pública, até agora, da história. E nem adianta as almas sebosas dizerem que isso é fruto da minha mentalidade fértil, QUE NÃO É. Os fatos estão aí para comprovar. E se mesmo assim não quiserem aceitar a triste realidade da city vão cantar “Boi, boi, boi, boi da cara preta…” pra “quenga” dormir (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Paulínia inteira esperou ansiosamente o CHOQUE DE GESTÃO prometido pelos “dois prefeitos”, mas o que temos visto, desde 16 de julho, quando tomaram posse, é um verdadeiro CHOQUE DE DESTRUIÇÃO. Uma administração que até agora SÓ JUDIOU DO POVO MAIS CARENTE da city, queria o quê? UM CADERNO ESPECIAL DIZENDO O CONTRÁRIO? Impossível. É a lei da semeadura. 

Vejam o bafo Paulínia x Vai-Vai. A escola mais premiada do Grupo Especial de São Paulo homenageará os 50 Anos da City na madrugada deste sábado (29). Desde que a Vai-Vai “escolheu” Paulínia como enredo, começaram as especulações sobre quanto a city estaria pagando para ser a estrela 2014 da Saracura. A administração Moura Junior (PMDB) sempre negou o repasse de um centavo púbico à escola. 
Porém, o respeitado jornalista Juliano Dip, da CBN de São Paulo, revelou, dia 06 deste mês, que a cidade estaria patrocinando a construção da nova quadra da escola em troca da homenagem. “Paulínia trouxe o dinheiro, que era o que a Vai-Vai precisava para construir a nova quadra”, afirmou Dip. Conversei quarta-feira (26) com o departamento de jornalismo da emissora das organizações Globo, sobre a matéria do patrocínio. Segundo a emissora, as informações foram passadas pelo carnavalesco da escola, Chico Spinosa, em entrevista à Juliano Dip
A Prefeitura entrou em contato com a CBN reclamando que a informação estava errada. Dip voltou à escola, que desmentiu o premiado carnavalesco. Segundo a Vai-Vai e a própria Administração Moura Junior (PMDB) os DOIS MILHÕES E MEIO DE REAIS que a Saracura gastou a mais para homenagear Paulínia foram patrocinados por “EMPRESÁRIOS DA CIDADE de PAULÍNIA”. Traduzindo: não teve dinheiro público na “fita” (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 
Escutem o áudio da correção, feita no dia 7 de fevereiro e não 26, como afirmou esta semana, nas redes sociais, a assessoria de imprensa de Moura Junior (PMDB)..

Que empresários generosos hein? Generosos e poderosos, pois não é qualquer empresa que tem cacife para bancar um patrocínio de R$ 2,5 milhões para uma escola de samba. Se for verdade mesmo o patrocínio dos empresários, cabe uma pergunta: COMO ESTE DINHEIRO RETORNARÁ AO CAIXA DAS EMPRESAS PAULINENSES? Sim, porque qualquer empresa patrocina um evento em troca da veiculação de sua marca ou produto. Como não é permitida a publicidade de marcas ou produtos no Sambódromo (a não ser os anunciantes da Globo, que patrocina os carnavais do Rio e de São Paulo em troca de exclusividade na transmissão dos desfiles) que tipo de retorno os “patrocinadores” do enredo 2014 da Vai-Vai terão? Quais? E mais: QUEM SERIAM ESSES EMPRESÁRIOS? Alguém conhece um para uma “exclusiva” comigo?
Segundo o filho, a city foi escolhida pela Vai-Vai devido à sua importância para o Brasil. Ah thaaaaaaaaaaaaaaa! Somos uma cidade importante sim. Somos a 7ª renda per capita do País e merecemos sim homenagem, mas, não uma  homenagem tipo aqueles troféus de “Melhor do Ano”, que se compra por qualquer “cem real”. De jeito nenhum. Todo mundo sabe que a maior festa popular do planeta também é uma preciosa fonte de renda, principalmente para as grandes escolas de samba. Por isso, eu sabia que a Vai-Vai não amaria Paulínia de Paixão sem “nenhum centavo” de incentivo”. Eles dizem que empresas paulinenses estão bancando a escola, então, tha né?  
Mudando de assunto, a saída  do advogado Arthur Augusto Campos Freire da Secretaria dos Negócios Jurídicos do governo Moura Junior (PMDB) é o segundo bafo da semana. Ele foi exonerado ou “pediu pra sair”? O assessor de imprensa Silvio Mota disse que o fiel advogado da família Moura pediu pra sair por motivos pessoais. Ixiiiiiiiiii. O que aconteceu? Será que a “lindinha” não quis voltar (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Ou será que Arthurzinho descobriu ser mais lucrativo ficar impetrando ações de danos morais contra mim (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas)?. 
Minha opinião sincera. Data venia, Dr. Arthur nunca foi o nome mais indicado para a Secretaria Jurídica, principalmente pela inexperiência no ramo. Nem vamos contar a condenação dele em primeira instância, por distribuir fotos de crianças em cenas pornográficas. Os projetos de Lei de Moura Junior (PMDB) enviados à Câmara da City, durante a gestão Freire, foi cada um pior do que outro. Péssima redação. Textos confusos. Sem contar a arrogância com que o ex-secretário respondeu alguns requerimentos dos vereadores. Misericórdia. 
Mas Arthurzinho pediu exoneração mesmo ou foi exonerado? Para mim, ele foi exonerado por falta de competência para continuar no cargo. Sempre o achei incompetente. A gota d’água deve ter sido o Projeto de Lei 05/2014, que dividia R$ 900 mil dos cofres públicos com 3 (três) escolas de samba para desfilar em Paulínia – R$ 300 mil para cada uma. “Me perdoem o palavreado, mas este projeto foi muito mal e porcamente elaborado”, disparou a vereadora Angela Duarte (PRTB), durante a votação do PL, na sessão extraordinária do dia 20. 
Repetindo, os cachês para as escolas de samba de fora foram derrubados por 7 votos a 5.  Os vereadores Custódio Campos (PT), Angela Duarte (PRTB), Doutor João Mota (PT), Danilo Barros (PCdoB), Simeia Zanon (PROS), Tiguila Paes (PRTB) e Fabio Valadão (PROS) não autorizaram Moura Junior (PMDB) pagar. Sandro Caprino (PRB), Du Cazellato (PP), Zé Coco (PTB), João Mota Pinto (PSDC) e Edilsinho Rodrigues (PPS) votaram a favor do pagamento do cachê, mas foram vencidos pela maioria.  Que vergonha para estes vereadores. 
Vergonha maior ainda para o evangélico Sandro Caprino (PRB), líder de governo na Câmara. Segundo informações, antes da sessão, ele pediu para os vereadores da oposição não perguntarem nada sobre o projeto, pois ele odeia carnaval e o projeto de Moura Junior (PMDB) “era uma bosta”. Então tá! Graças a Deus ele e os outros quatro submissos ao poderio Moura foram votos vencidos. 
Um carnaval maravilhooooooooooooooso para vocês, com muita paz, alegria e sobretudo PROTEÇÃO DIVINA.  Beijos e muitos abraços. Au revoir!

Foto: Ilustração

<imagem1>6d3207c89b23714fbcd297ead6725a8d.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima