Correio Paulinense

Paulínia, 19 de maio de 2024
Assessoria política de Pavan (PSDB) esclarece que decisão do TCE sobre as Contas 2012 da prefeitura “ainda não é definitiva”

Última atualização em 31 de agosto de 2016

[imagem] Em outubro de 2014, a 1ª Câmara do Tribunal de Contas do Estado (TCE) rejeitou as contas da Prefeitura de Paulínia, referentes ao último ano do mandato 2009/2012 do prefeito José Pavan Junior, por supostos gastos irregulares com publicidade (leia). Pavan, na época no PSB, solicitou que o TCE reexaminasse as contas, mas o Pleno do Tribunal negou o pedido, em dezembro do ano passado.

Sexta-feira 11, o Correio citou a rejeição das contas 2012 de Paulínia na matéria sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que liberou para a disputa eleitoral deste ano candidatos a prefeito com contas rejeitadas somente pelos Tribunais de Contas Estaduais (TCEs). No julgamento da questão, quinta-feira (10), a maioria dos ministros entendeu que só poderão ser barrados pela Lei da Ficha Limpa os prefeitos que tiveram as contas reprovadas pelas Câmaras Municipais. 
Em nota enviada ao Correio, a assessoria política do prefeito José Pavan Junior (PSDB) comentou sobre as contas rejeitadas pelo TCE. “A decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre as contas referentes a gestão de José Pavan à frente da prefeitura de Paulínia em 2012 ainda não é definitiva. Os advogados (de Pavan) aguardam a publicação do acórdão (sentença) para apresentar os recursos cabíveis, o que só poderá ser feito até cinco dias após a publicação. As supostas irregularidades apontadas pela corte de contas serão totalmente rechaçadas e os advogados afirmam a inexistência de irregularidades e confiam que a verdade virá no reexame das contas, consubstanciando a aprovação das contas do exercício em questão”.
Câmara
O Poder Legislativo informou que as últimas 10 Contas Municipais votadas e aprovadas pelos vereadores foram as do ex-prefeito Edson Moura (PMDB), exercícios 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2008; e as de 2009, 2010 e 2011, do prefeito José Pavan Junior (PSDB). “As Contas de 2012, 2013, 2014 e 2015 ainda não chegaram na Casa, para votação”, afirmou a assessoria legislativa.
Foto: Internet/Reprodução

<imagem1>c958a40f01b37fbf5750501ee3409457.jpg</imagem1>

<imagem2>c958a40f01b37fbf5750501ee3409457.jpg</imagem2>

<imagem3>582bd7b3acaed657d20816240a922a79.jpg</imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima