Correio Paulinense

Paulínia, 20 de maio de 2024
Alex propõe e CMP aprova “Lei Vini Jr.” contra o racismo no esporte amador de Paulínia

Última atualização em 9 de julho de 2023

Protagonista estadual na realização de grandes, importantes e reconhecidos torneios amadores de futebol de campo e de quadra, Paulínia acaba de aprovar uma lei que visa combater e punir o racismo em seus ginásios e praças esportivas. Além das competições organizadas pela Secretaria Municipal de Esportes, a cidade costuma sediar etapas nacionais e estaduais de outras importantes modalidades esportivas, com destaque para o Bicicross, que sempre atraem grande número de pessoas. 


O “Amadorzão” de futebol é uma das mais  tradicionais competições esportivas realizadas há décadas pela Secretaria Municipal de Esportes    


De autoria do vereador Alex Eduardo (Solidariedade), a lei aprovada terça-feira (4) pela Câmara Municipal (CMP), leva o nome do jogador brasileiro Vinícius Junior, o Vini Jr., estrela do Real Madrid, vítima de constantes ofensas racistas na Europa. Os ataques mais recentes aconteceram em maio último, durante um jogo do campeonato espanhol, quando o atleta reagiu às ofensas racistas, e acabou expulso da partida. Absurdo!

O  texto da lei paulinense, que já seguiu para sanção ou veto do prefeito Du Cazellato (PL), estabelece, por exemplo, a criação de um “Protocolo de Combate ao Racismo”, formado por uma série de providências que deverão ser tomadas pela organização dos torneios municipais, sempre que for informada de qualquer ato ou manifestação racista, dentro ou em volta dos locais onde as competições estejam acontecendo.   

Além de providências imediatas no estádio, quadras ou campos, os responsáveis pelos eventos esportivos terão ainda que comunicar os fatos ao Ministério Público (MP), à Defensoria Pública, à Comissão de Igualdade Racial e Enfrentamento ao Racismo da CMP e à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.

Em seu artigo 5º, a lei prevê também a implementação de políticas públicas voltadas para “erradicar e reduzir”, além de atos ou manifestações racistas, “a violência, a corrupção, a xenofobia, a homofobia, o sexíssimo e qualquer outra forma de discriminação” nos  equipamentos esportivos da cidade.

“A finalidade do projeto é impedir a anuência do município de Paulínia com ataques de cunho racista, e garantir um espaço acolhedor para toda a comunidade esportiva presente nas competições”, disse o autor.



Mizael Marcelly
Fotos: Twitter (Vini Jr.), CMP e PMP 

<imagem1>VINIJR_ALEXEDUARDO.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima