Correio Paulinense

Paulínia, 13 de julho de 2024
A LEALDADE que dominou o encontro do PTB não é a mesma que a Família Valadão Nasário tem há 23 anos com o partido na cidade

Última atualização em 25 de agosto de 2013

[imagem] Além da redução da maioridade penal, a PEC 01 e os 70 anos de história do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), a LEALDADE dominou os discursos do deputado e presidente estadual Campos Machado, do atual presidente municipal e vice-prefeito Francisco Almeida Bonavita Barros, e do vereador Zé Coco, durante o Encontro Regional do Partido, em Paulínia, na manhã deste sábado (24).  “Eu sei que o significado da palavra lealdade é até aparentemente simples, mas quem pratica a lealdade sabe o quanto isso é importante, o quanto isso está a cada dia mais difícil e todos nós sabemos muito bem disso, principalmente nós que militamos na vida pública”, filosofou Bonavita.
Política e definitivamente falando, a LEALDADE de Campos Machado, Bonavita e Zé Coco está muito aquém da LEALDADE que a Família Valadão Nasário (Geraldo, Kika, Valadão e Caroline) tem com o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) de Paulínia, há 23 anos. No primeiro ano da década de 90, o saudoso desembargador Adalberto José Queiroz Telles de Camargo Aranha apresentou à Família Nasário o saudoso Roberto Cardoso Alves, na época deputado federal e líder nacional do PTB. Começou aí a história dos Valadão Nasário com o PTB. A matriarca Kika Valadão Nasário assumiu a presidência do partido em Paulínia e convidou figuras paulinenses conhecidas e reconhecidas, como Mirão, João Barulho (estes in memorian), Dilá, Juvenal “Dentinho”, Careca, Bonavita e tantas outras, que juntos passaram a colecionar importantes e inesquecíveis vitórias para o PTB na cidade. 
Em 1992 o PTB da Família Nasário elegeu 5 (cinco) dos 15 vereadores para a 7ª Legislatura da Câmara Municipal de Paulínia (1993/1996): Ângelo Corassa (in memorian), João Lanza Júnior, Luis Gonçalves Rosate (o Bolinha), Odair José Bordignon e Francisco Almeida Bonavita Barros. Naquele ano o PTB integrou a coligação que apoiou para prefeito Plínio Borges, candidato do então prefeito José Pavan Júnior.  O estreante Edson Moura (PMDB) venceu Plínio, mas não conseguiu fazer a maioria na Câmara Municipal. A coligação PTB/outros partidos elegeu 8 (oito) vereadores e a peemedebista 7 (sete).
Como precisava da maioria para governar pela primeira vez a cidade, o ex-prefeito Edson Moura (PMDB) conseguiu conquistar o estreante Bonavita, que trocou o PTB pelo PMDB, antes mesmo de assumir o mandato. Além de ter dormido oposição e acordado situação, Bonavita ainda foi o voto de minerva na eleição da primeira mulher para a Presidência da Câmara, a peemedebista Sonia Prado de Oliveira. Enquanto isso a Família Valadão Nasário continuou firme no PTB.
Em 1996, Bonavita foi reeleito pelo PMDB, mas desentendeu-se com Edson Moura e voltou para o PTB. Enquanto isso, a Família Valadão Nasário continuou firme no PTB. Em 2000, Bonavita conquistou o terceiro mandato, desta vez pelo PTB, mas voltou a se entender com Moura e mais uma vez voltou para o PMDB, abandonando o partido que o elegeu a primeira vez. Enquanto isso, a Família Valadão Nasário continuou firme no PTB.  Em 2004, o quarto mandato de Bonavita foi pelo PMDB, onde ele permaneceu até quase a metade do quinto e último mandato legislativo (2009/2012). Enquanto isso, a Família Valadão Nasário continuou firme no PTB.   Em meados de 2011, após mais um desentendimento político com Moura, Bonavita foi expulso do PMDB e voltou para o PTB. Enquanto isso, a Família Valadão Nasário continuava firme no PTB.
Em 2012, outra vez aliado à Moura e com o apoio de Campos Machado, que sempre chamou a eterna petebista Kika de sua “irmãzinha”, Bonavita não apenas tirou o comando do partido da Família Valadão Nasário, bem como destituiu Kika Valadão Nasário dos cargos de Vice-Presidente, Presidente do PTB Mulher e Delegada do PTB Municipal, funções que ela acumulava por exigência do deputado que dizia tê-la, até então, como “irmãzinha”. Destituiu também Geraldo Nasário do cargo de Secretário Geral do PTB local. Mesmo assim, a Família Valadão Nasário continuou firme no PTB, desta vez como simples filiados. 
Entretanto, nenhum ato de deslealdade praticado “de cima para baixo” ou vice-versa foi capaz de macular A HISTÓRIA DE VERDADEIRA LEALDADE dos Valadão Nasário com o PTB Municipal. Em 2012, a família lançou o filho Fábio de Paula Valadão candidato a vereador pelo PTB e contra todos os desejos e manobras de petebistas, não tão petebistas como eles, conquistaram uma vitória pessoal, mas, sobretudo, mais uma importante para o partido. Valadão aproximou-se da casa dos 1000 votos e está honrando a confiança lhe dada pela população paulinense, com muita dignidade, competência e, sobretudo, lealdade aos seus princípios éticos e morais. 
Em seu discurso no encontro regional do partido em Paulínia, o deputado Campos Machado disse que “um homem desleal é bandido, é um delinquente, marginal, é um delinquente moral”. Além de provocar o Artigo de hoje, a declaração de Campos Machado, que segundo Bonavita é o “mandatário e dono do PTB”, chamou para a seguinte reflexão: QUAL DOS PERSONAGENS DA IMPORTANTE HISTÓRIA DO PTB MUNICIPAL SE ENCAIXA PERFEITAMENTE NO PERFIL TÃO BEM TRAÇADO PELO PRESIDENTE ESTADUAL DO PARTIDO? 
Enquanto isso, A FAMÍLIA VALADÃO NASÁRIO CONTINUA FIRME NO PTB DE PAULÍNIA!!!!!

Foto: Álbum de Família

<imagem1>7ded72d556118f980dfd97e6a6674a03.jpg</imagem1>

<imagem2></imagem2>

<imagem3></imagem3>

<imagem4></imagem4>

<imagem5></imagem5>

<video1></video1>

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima