Correio Paulinense

Paulínia, 15 de junho de 2024
8 de janeiro: moradora de Paulínia segue presa e internautas compartilham hashtag por liberdade

Última atualização em 4 de dezembro de 2023

A imagem da estátua símbolo do Supremo Tribunal Federal (STF) pichada correu o mundo
Foto: Joedson Alves/Agência Brasil


Em 17 de março, quase nove meses atrás, a Polícia Federal (PF) deflagrava a oitava fase da operação Lesa Pátria, que apura os atos antidemocráticos de 8 de janeiro, em Brasília (DF). Na ocasião, a PF cumpriu 46 mandados de busca e apreensão e 32 de prisão preventiva em nove estados e no Distrito Federal.

Um dos mandados de prisão foi cumprindo em Paulínia contra Debora Rodrigues dos Santos, 38 anos, moradora da cidade. Ela foi  apontada pela PF como a mulher filmada pichando “perdeu, mané” na estátua da Justiça, símbolo do  Supremo Tribunal Federal (STF).  Desde então, Debora está presa no Centro de Ressocialização Feminino (CR) de Rio Claro,  distante 57 km de Paulínia. A frase foi dita pelo ministro Luis Roberto Barroso, atual presidente da Corte, após ser hostilizado por um bolsonarista em  Nova York (EUA), no mês de novembro de 2022.

Desde o último dia 30, circula nas redes sociais a hashtag “liberdadeparadebora”, ilustrada por uma imagem dela com seus dois filhos e a definição “presa política”. Até a publicação desta matéria, a hashtag em apoio à Debora, que nasceu em Irecê (BA), somava 14 compartilhamentos e 35 comentários em um dos perfis que publicou. O Correio não conseguiu localizar a defesa , para comentar o assunto. 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima