Após duas horas à espera do exame, Luiz Carvalho da Silva, 49 anos, foi informado que não seria atendido

Da Redação
22/10/2014 17:20:00
Após duas horas à espera do exame, Luiz Carvalho da Silva, 49 anos, foi informado que não seria atendido

[imagem] Luiz Carvalho da Silva, 49 anos, morador no bairro Serra Azul, passará por uma cirurgia de vasectomia e para isso precisa realizar vários exames pré-operatórios, dentre eles, o de Raio-X do tórax, com laudo. Em contato com nossa redação, agora há pouco, ele contou que por volta das 13h de hoje (22) foi ao Hospital Municipal de Paulínia fazer o exame, mas recebeu a informação que os três aparelhos de raio-x do hospital estão quebrados. “Fiquei mais de duas horas esperando e no fim a moça me disse que as máquinas estão quebradas, sem previsão para serem consertadas. Isso é uma vergonha, um descaso. Além de mim, várias outras pessoas também estavam esperando e saíram de lá sem o exame. Um verdadeiro absurdo”, protestou o paciente.


A vasectomia de Silva será realizada em um hospital público de Santa Bárbara, mas ainda não tem data marcada. “A minha pasta está lá (em Santa Bárbara D’Oeste) e somente depois que eu fizer todos os exames é que a operação será marcada”, explicou ele. O profissional autônomo foi encaminhado à Santa Bárbara D’Oeste pela Central de Vagas de Paulínia. “Além de não poder me operar, a minha cidade não consegue fazer nem os exames que preciso.  Mais do que lamentável, é triste”, desabafou.

O paciente relatou também a falta de um cardiologista na rede para analisar o eletrocardiograma que fez, também, em função da cirurgia. “Consegui fazer o exame, mas não tem um especialista para avaliá-lo. Veja a que ponto chegamos. Uma cidade como Paulínia, não conseguir oferecer o básico à sua população, em termos de saúde, é inacreditável. Estou indignado”, finalizou. 

Não é de hoje que as máquinas de raio-x do Hospital Municipal de Paulínia apresentam problemas. Em julho deste ano, a imprensa local e regional denunciou que um dos aparelhos estava quebrado há mais de cinco meses, sem previsão de concerto.

Sem Secretário

Desde o dia 18 de agosto, quando o então secretário de Saúde Renato Netto Cardoso foi exonerado do cargo, pelo prefeito Edson Moura Junior (PMDB), a pasta encontra-se sem ninguém que responda por ela. 

Foto: Reprodução/Portal de Paulínia 

Comentar