Segundo Renato de Cardoso, as fitas encontradas por ele na UBS estavam com o prazo de validade quase vencido

Da Redação
30/04/2014 15:37:00
Segundo Renato de Cardoso, as fitas encontradas por ele na UBS estavam com o prazo de validade quase vencido

[imagem] Um vídeo posta na rede social Facebook, no início da tarde de hoje (30), mostra o secretário de Saúde Paulínia, Renato Cardoso, conversando com uma munícipe, que foi reclamar a falta de atendimento para tratar de um problema de saúde. Cardoso começou justificando que as vezes não se pode exigir que todo mundo tenha boa vontade e citou como exemplo a falta de fitas para teste de glicemia na rede. 


“Falaram que tinha acabado teste de glicemia, não tinha fita para glicemia. Ai eu achei aqui, na UBS aqui (o secretário se referiu à UBS do Centro, onde a conversa foi gravada por um telefone celular), há 15 dias atrás 20 mil fitas, tá certo, e tudo com prazo de um mês para vencer. O que é que vai acontecer? Nós vamos perder pelos menos umas 15 mil fitas”, afirmou ele e complementou: Então como é que não tinha? Tinha. Alguém escondeu”, afirmou o secretário. A mulher continuou falando sobre o problema de saúde dela, mas a gravação foi interrompida.

Tentamos ouvir Cardoso na Secretaria de Saúde, mas uma atendente chamada Carol informou que ele estava em atendimento e que passaria o nosso recado. Até a publicação desta matéria (vide horário no topo) o Secretário não nos retornou a ligação.

Problemas

A rede  de Saúde de Paulínia vem enfrentando a maior crise dos últimos 10 danos. Os principais problemas apontados pela população é a falta de inúmeros medicamentos em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Hospital Municipal, médicos para atender os pacientes, longos períodos de espera por diversos tipos de exames e a falta de materiais básicas, como potes para coleta de exames de sangue, fezes, urina, agulhas, soros, entre outros.

O atual prefeito Edson Moura Junior (PMDB), que desde o dia 15 administra a cidade sustentado por uma liminar expedida pelo Tribunal Regional Eleitoral TER), prometeu elevar para padrão de primeiro mundo a Saúde Municipal. “Em 180 dias deixaremos a nossa Saúde de primeiro mundo”, afirmou Moura Junior (PMDB), dia 08 de outubro de 2012.

Moura Junior (PMDB) teve o registro de candidato negado pela Justiça Eleitoral de Paulínia, dia 26 de outubro de 2012, e após uma longa batalha judicial, conseguiu no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) autorização para assumir a prefeitura, o que ocorreu em 16 de julho do ano passado, ou seja, há pouco mais de nove meses.

VEJA O VÍDEO

Foto: Reprodução/Vídeo

Comentar