“Recebemos com espanto”, diz nota da Câmara sobre ação dos cargos

Da Redação
14/09/2021 17:09:37
“Recebemos com espanto”, diz nota da Câmara sobre ação dos cargos

CMP vai aguardar decisão final do TJ

Texto afirma ainda que desembargador não determinou a “exoneração de quaisquer dos servidores da Casa”

Em nota encaminhada ao Correio, nesta terça-feira (14), a Câmara Municipal de Paulínia (CMP) comentou a decisão do desembargador Elcio Trujillo, do Tribunal de Justiça (TJ-SP), que suspendeu a eficácia das leis municipais de cargos e empregos no âmbito legislativo. A suspensão foi determinada no último dia 31, na ação direta de inconstitucionalidade (ADIn) movida contra as normas pela Procuradoria Geral de Justiça (PGJ). A CMP já recorreu, e aguarda o desembargador decidir. 

LEIA NOTA DA CMP:
 
“Recebemos com espanto a existência de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, movida pela Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo, que tem como objetivo a declaração de inconstitucionalidade de diversas leis vigentes. Tal ação teve sua liminar concedida pelo Relator do processo, que determinou a suspensão de inúmeras leis, as quais geram impacto em 100% dos servidores, sejam efetivos ou comissionados e ainda em todo funcionamento da Casa. 

Após a ciência da Ação, na data de 10 de setembro (sexta-feira), a Câmara Municipal, através de sua Procuradoria Jurídica, ingressou com pedido de reconsideração, ainda não deliberado pela Justiça.

Importante ressaltar também que, na data de ontem, a Procuradoria-Geral de Justiça juntou ao processo aditamento parcial da inicial, ou seja, alterou o pedido anterior, o que muda substancialmente o objeto da ação e suas implicações.

Assim sendo e em nome da segurança jurídica que deve nortear o Poder Legislativo local, a Câmara decidiu por seu Presidente que aguardará a estabilização da decisão liminar antes de tomar qualquer medida que venha prejudicar os servidores e principalmente o atendimento à população.

Vale ainda ressaltar que a decisão em nenhum momento determinou, conforme noticiado pela imprensa de toda região, a exoneração de quaisquer dos servidores da Casa. Sendo assim, a suspensão das leis ocasiona efeitos apenas para novas contratações. Qualquer interpretação diferente disto extrapola a liminar concedida. 

Portanto, a situação definitiva dos atuais servidores comissionados apenas será definida com o julgamento final da ação ou qualquer decisão que venha alterar os fatos acima expostos.

Por fim, informamos que a Câmara Municipal de Paulínia reafirma seu compromisso de não apenas respeitar todas as decisões, sejam jurídicas ou mesmo dos órgãos de controle, bem como continuar na busca incessante pela melhora da imagem do Poder Legislativo paulinense tão desgastada nos últimos anos”.

Foto: Arquivo

Comentar