Prefeito escolhido em eleição suplementar poderá ficar até 2022

Da Redação
11/06/2019 14:06:17
Prefeito escolhido em eleição suplementar poderá ficar até 2022

Proposta de Emenda à Constituição prevê outras mudanças políticas, como o fim da reeleição para o Executivo

Mandatos dos atuais vereadores de Paulínia poderão ser aumentados em dois anos; essas e outras mudanças estão previstas em PEC

Tramita no Congresso Nacional Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê a unificação das eleições no Brasil. Ou seja, Presidente e Vice Presidente, Governador e Vice-Governador, Prefeito e Vice-Prefeito, Senador, Deputado (estadual e federal) e Vereador serão escolhidos pelos eleitores brasileiros em eleição única, a cada quatro anos, a partir de 2022.

O deputado Valternir Pereira (MDB-MT), relator da PEC na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal, já emitiu parecer favorável à unificação das eleições. Se a PEC for aprovada até outubro deste ano, as eleições municipais de 2020 serão canceladas

Além disso, não haverá mais reeleição para Presidente, Governador e Prefeito; Senador só poderá ter dois mandatos consecutivos, cada um de 10 anos; e, a duração de todos os mandatos eletivos passará de quatro para cinco anos.

Caso a PEC entre em vigor em todo o país, ainda este ano, o futuro prefeito escolhido na possível eleição suplementar ficará no cargo até 31 de dezembro de 2022. Da mesma forma, os atuais vereadores do município. O novo pleito eleitoral na cidade ainda não tem data para ocorrer.

Foto: Reprodução 

Comentar