Discursos de veteranos e estreantes também marcaram a 1ª Sessão Ordinária da Legislatura 2013/2016

Da Redação
29/01/2013 00:00:00
Discursos de veteranos e estreantes também marcaram a 1ª Sessão Ordinária da Legislatura 2013/2016

Mizael Marcelly

Sob a regência do maestro Eduardo Furtado, a Banda Santa Cecília de Paulínia tocou os Hinos Nacional e de Paulínia na abertura da primeira sessão ordinária da Câmara Municipal, na noite desta terça-feira, dia 29. Em seguida, o presidente da Casa, Marcos Roberto Bolonhesi, o Marquinho Fiorella (PP), auxiliado pelos vereadores Edilson Rodrigues (PPS ? Primeiro Secretário) e Tiguila Paes (PRTB ? 2º Secretário) abriu os trabalhos convocando todos os vereadores e a plateia para um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da tragédia ocorrida na boate Kiss, na cidade gaúcha de Santa Maria, no Rio Grande do Sul.

Na sequência o primeiro secretário da Mesa Diretora leu a íntegra da Moção assinada pelos quinze vereadores, lamentando o fato que chocou o país e o mundo, na madruga de domingo (27). ?Esta tragédia ficará marcada para sempre na memória brasileira e esperamos que jamais algo parecido volte acontecer em nosso país?, disse Fiorella, antes da sessão.

Uma série de discursos na Tribuna Legislativa também marcou a sessão desta terça-feira, a maioria em agradecimento aos eleitores, familiares e colaboradores de campanha. Os vereadores Sandro Caprino (PRB) e Zé Coco (PTB) foram mais profundamente em algumas questões políticas, como os problemas enfrentados por algumas áreas do município e a expectativa do julgamento no TSE do recurso do candidato a prefeito da ?Coligação Sorria Paulínia?.

O discurso mais aguardado pelo plenário lotado foi o do vereador Fábio de Paula Valadão (PTB). O petebista repudiou com veemência o episódio lamentável ocorrido na eleição da Mesa Diretora da Câmara, dia 1º de janeiro, quando ele e a sua família, presente na plateia, foram vítimas de agressão física e verbal por parte de pessoas ligadas ao ex-prefeito Edson Moura e ao ex-vereador Francisco Almeida Bonavita Barros. ?É tão claro que foi tudo arquitetado. Fatos covardes que não sangraram apenas a mim e a minha família, sangraram também a Instituição Câmara Municipal. Criticas são perfeitamente aceitáveis, violência não?, disse o vereador.

Valadão agradeceu os colaboradores de campanha, candidatos da sua coligação (PTB/PMDB/PHS/PRB) e também ao presidente municipal do PTB, mas sem citar o nome do mesmo. ?Agradeço também a todos que torceram contra a minha vitória, pois eles não sabem, nem imaginam, o quanto foram importantes para que eu chegasse até aqui?.

Os bastidores completos e os principais pontos dos discursos dos vereadores você conferem quinta-feira, na coluna ?Deixem-me Falar...?

Fotos: Fábio Gomes/CP Imagem

Comentar