Ministério Público pede e Justiça autoriza “busca e apreensão” de documentos no Pauliprev

Da Redação
14/09/2018 14:09:25
Ministério Público pede e Justiça autoriza “busca e apreensão” de documentos no Pauliprev

Guarda Civil foi acionada para garantir o cumprimento da ordem judicial

A pedido da promotora Verônica Silva de Oliveira, membros dos Conselhos Fiscal e Administrativo do instituto auxiliaram a Oficial de Justiça

Na manhã desta sexta-feira (14), uma oficial de justiça esteve na sede do Instituto Pauliprev cumprindo ordem de busca e apreensão de documentos, autorizada pelo Poder Judiciário local, a pedido do Ministério Público (MP) que instaurou inquérito civil  para apurar possíveis irregularidades no setor de investimentos da previdência municipal.

Segundo informações, a oficial de justiça recolheu APRs (Autorização de Aplicação e Resgate), atas de reuniões do Comitê de Investimentos, extratos bancários do instituto e documentos relacionados aos fundos de investimentos, que receberam aplicações do instituto. Suspeita-se  de irregularidades com o dinheiro do servidor público municipal.

A pedido da promotora Verônica Silva de Oliveira, responsável pelo inquérito civil público, integrantes dos Conselhos Fiscal e de Administração do  Pauliprev acompanharam a busca e apreensão, que contou com o apoio da Guarda Civil Municipal. Nossa reportagem ainda não conseguiu contato com o instituto.

Troca na Presidência
O advogado José de Freitas Guimarães foi diretor-presidente do Pauliprev de janeiro do ano passado até 30 do mês passado, quando foi exonerado pelo prefeito Dixon Carvalho (Progressistas). No lugar dele foi nomeado Sérgio Henrique Balbino

O motivo da saída de Guimarães ainda é desconhecido, mas, em conversa com o jornalista Mizael Marcelly, no ano passado, pouco tempo após assumir o comando do Pauliprev, o advogado garantiu que, se um dia, recebesse algum “pedido fora da legalidade” deixaria o cargo. Assim que o decreto de exoneração foi publicado no Semanário Oficial do Município, tentamos falar com Guimarães, mas ele não respondeu nossa mensagem.

Foto: Colaborador

Comentar