“Não adianta. A CP vai concluir se houve ou não crime”, diz Sargento Camargo

Da Redação
27/07/2018 13:07:40
“Não adianta. A CP vai concluir se houve ou não crime”, diz Sargento Camargo

Secretário acionará na justiça possíveis crimes de calúnia, injúria e difamação

Para o secretário da Comissão Processante que investiga prefeito e vereadores “desde o início, o objetivo é o mesmo: barrar as investigações”; CP está na reta final

Em reta final, a Comissão Processante (CP) que apura suposta troca de favores (votos na Câmara por  cargos na Prefeitura) entre o prefeito Dixon Carvalho (Progressistas) e 13 dos 15 vereadores de Paulínia ouvirá as últimas testemunhas e os denunciados entre sexta-feira (3) e quarta-feira (8), conforme pauta publicada no site da Câmara Municipal.

Na manhã desta sexta-feira (27), os jornais Correio Popular de Campinas e o Agora Paulínia veicularam matéria sobre uma suposta conversa entre o vice-prefeito Sandro Caprino (PRB) e o suplente de vereador Marcelo de Souza (PRTB), onde o nome  do secretário da CP, Paulo Camargo Junior, o Sargento Camargo, teria sido citado. Os veículos falam de uma suposta ajuda ao secretário, sem especificar de que tipo e com que objetivo. 

Procurado por nossa reportagem, Sargento Camargo negou ter recebido qualquer tipo de ajuda que comprometa sua conduta na CP e repudiou com veemência a notícia veiculada pelos jornais. “É nojento, tudo isso. Na verdade, desde o início o objetivo é o mesmo: barrar as investigações, por motivos mais do que óbvios. Mas, não adianta. A CP vai concluir se houve ou não crime, pois, para isso que ela foi instalada. Conversas de terceiros e atitudes rasteiras não nos atrapalham em nada, muito pelo contrário, só fortalecem a responsabilidade que temos de dar uma resposta justa tanto para os investigados como para a sociedade paulinense”, disse ele.

Camargo afirmou ainda que não vai tolerar o uso indevido do nome dele em manobras espúrias, voltadas apenas e tão somente para atingir a Comissão Processante e impedir que a verdade dos fatos, seja ela qual for, venha a público. “Tomarei todas as medidas judiciais cabíveis e os responsáveis por eventuais atos de calúnia, injúria e difamação sofrerão as consequências legais”, finalizou. 

Foto: Reprodução/Facebook

Comentar