Justiça obriga governo Dixon (PP) comprar insulina e insumos para diabéticos

Da Redação
09/03/2018 21:03:56
Justiça obriga governo Dixon (PP) comprar insulina e insumos para diabéticos

Além da insulina, vários outros medicamentos continuam em falta na rede pública de Paulínia: o problema é antigo

A falta de insulina e até fitas para medição de glicose na rede municipal de saúde é um problema que vem se arrastando há anos, sem solução

Quatro pacientes diabéticos de Paulínia conseguiram, na Justiça, insulina e insumos para bomba do medicamento, durante um ano.  D.L.M, L.R.V e V.P necessitam da Insulina Lispro 100 UI/ML, indicada no tratamento de pacientes com diabetes mellitus para o controle da hiperglicemia, cujo preço varia entre R$ 89,00 e R$ 224,00. 

As decisões judiciais garantiram também aos mesmos pacientes e mais a F.R.S. insumos para bombas de insulina. “AUTORIZO, na forma da lei, a aquisição de Insumos para Bombas de Insulina, medicamento necessário para atendimento aos mandados judiciais dos usuários do Sistema Municipal de Saúde”, despachou o prefeito Dixon Carvalho (PP), na autorização publicada no Semanário Oficial desta quinta-feira (8).

Desabastecimento
A falta de insulina e insumos básicos para diabéticos no sistema municipal de saúde tem sido constantemente relatada nas redes sociais, por pacientes ou familiares de portadores da doença, em seus variados tipos.

A Insulina Lantus é uma das mais procuradas e não encontradas nas farmácias públicas, além de insumos básicos. Até fitas para medição de glicose vive em falta, o que atrapalha e prejudica o tratamento de centenas de pessoas. 

Em julho do ano passado, a mãe de um menino de 5 anos, paciente de diabetes melittus tipo 1, comoveu as redes sociais com o vídeo em que aparece emocionada, pedindo  para o prefeito Dixon Carvalho (PP) resolver a falta da Insulina Lantus, pois, seu filho Miguel não pode ficar sem o medicamento.  “Peço socorro tanto pelo meu filho quanto pelos filhos de várias amigas minhas. Peço que alguém tome providências”, apelou ela. O vídeo foi visto por mais de 40 mil pessoas.  Apesar disso, a mãe continua reclamando a falta do medicamento para o filho.

Foto: Ilustração

Comentar