Governo Dixon (PP) abre “seletivo” para professores, mas “esquece” de alterar legislação

Da Redação
16/01/2018 20:01:09
Governo Dixon (PP) abre “seletivo” para professores, mas “esquece” de alterar legislação

A Prefeitura não divulgou estimativa de contratações temporárias para a rede municipal de ensino

Projeto que modifica lei das “contratações temporárias” na Prefeitura de Paulínia chegou à Câmara ontem (15); a 1ª sessão do ano será dia 30

Professores de 21 diferentes níveis de ensino serão selecionados pela Secretaria de Educação de Paulínia para atuar, em caráter temporário,  na rede municipal. As inscrições do processo seletivo começaram dia 12 e terminam no próximo domingo (21), apenas pela internet (clique aqui).

De acordo com o edital lançado pela Secretaria, os selecionados serão chamados apenas em casos de vacância transitória do emprego público, caracterizada por faltas, afastamentos ou licença dos titulares das vagas, receberão salários entre R$ 3.487,18 + 50% Hora Atividade/mês (Educação Básica I) e R$ 3.631,77 + 33,33% Hora Atividade/mês (Educação Infantil – Creche), ou R$ 23,53 +50% hora atividade para os demais níveis de ensino, e a divulgação dos aprovados no processo seletivo será feita no próximo dia 25, no Semanário Oficial (SOM) e no site da Prefeitura. Regido pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), o contrato terá duração de um ano.

Entretanto, somente nesta segunda-feira (15) o governo Dixon Carvalho (PP) encaminhou à Câmara de Vereadores projeto que inclui na lei de contratações temporárias da Prefeitura Municipal um inciso específico para regulamentar o processo seletivo de professores temporários, já em andamento na Educação. 

Até a votação em dois turnos no Plenário, a proposta passará pelos crivos da Procuradoria Jurídica e das pertinentes Comissões Permanentes da Câmara. O Executivo pediu urgência na tramitação do projeto. A primeira sessão legislativa do ano acontece no próximo dia 30, a partir das 18h30min, com transmissão ao vivo pela WebTV (internet).

Foto: Divulgação

Comentar